Coronavírus: Gilmar Mendes diz que Exército ‘está se associando a genocídio’

Em debate realizado neste sábado, ministro do STF fez duras críticas à ocupação de cargos no Ministério da Saúde por militares

Ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF) - Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

Jornal GGN – O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), criticou duramente a atuação dos militares dentro do Ministério da Saúde, em cargos anteriormente ocupados por quadros técnicos.

“Pode até se dizer: a estratégia é tirar o protagonismo do governo federal, é atribuir a responsabilidade a estados e municípios. Se for essa a intenção é preciso se fazer alguma coisa. Isso é péssimo para a imagem das Forças Armadas. É preciso dizer isso de maneira muito clara: o Exército está se associando a esse genocídio, não é razoável. É preciso pôr fim a isso”, criticou Mendes, ressaltando que o atual vazio de comando na pasta é inaceitável.

O posto de ministro da Saúde é exercido pelo general Eduardo Pazuello de forma interina há 57 dias, e não existem sinais de que o presidente Jair Bolsonaro irá nomear um novo titular para a pasta.

O ministro do STF participou de debate online neste sábado, que contou também com a presença do ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta e do médico Drauzio Varella. As informações são do jornal Folha de São Paulo.

 

Leia Também
Câmara pode votar indenização aos profissionais de saúde afetados pela Covid-19
Coronavírus: Brasil não coloca testes em prática
GGN-Covid: as estatísticas especiais sobre o dia de ontem
Movimentos lançam Painel Unificador Covid-19 nas Favelas

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Quando a Covid cedeu, Israel reabriu suas escolas. Não foi bem

5 comentários

  1. Um Ministro de Corte Superior critica a atuação de militares que estão no Executivo , e com várias ações que questionam isto e que podem cair na Corte.
    Isto só é normal no Brasil.
    O STF se expõe demais , vira uma chacrinha e com isto perde o respeito.
    Minha mui modesta opinião.

  2. Nassif: se até o CarrascoDeDiamantino detona a coisa é pra valer. Mas trata-se de prática antiga, desde a GuerraDoParaguai. Tentaram, inclusive, jogar culpa no CondeD’eu (pra atingir o Imperador). Dizem os animais depois que tomam gostinho por sangue não param mais. Pintou oportunidade e pimba! E essa de agora tem múltipla finalidade. Faz sobrar dindim da Previdência (aposentados do INSS tão no bolo) e ajuda livrar o Executivo daqueles pedintes de casa, escola, transporte, segurança, educação e, sobretudo, saúde. Já imaginou quanto vai sobrar nos cofres? Nem haverá tempo de averiguar o quanto. É grana pra dedeu. Coronel, então, vai viajar o mundo à custa do erário. Há outros lugares no mundo que podem ensinar como espremer o Povo e estes continuarem pianinho. Como em Pindorama. O Mercado nem se basta de contente. E os comerciantes (da Fé, de manufaturas ungidas etc), vendilhões de lascas de madeira e pregos da cruz de Cristo? O KhmerVerde (dizem), agora que o Partido do TenenteJair tá fazendo água, sonham com o PKVD (PartidoKhmerVerdeDemocrático), registrado a toque de baioneta…

  3. É claro que não dá pra confiar em Gilmar, mas ele é o único que pensa dentro do STF.
    Foi ele quem viu que a Lava Jato queria destruir todo sistema político brasileiro. Agora ele manda a mensagem da Casa Grande para o Exército, qual seja, ele está se associando um criminoso.
    Gilmar é coronel. Gilmar tem exército de jagunços. Gilmar é bandido. Mas Gilmar está certo

    2
    1
  4. Tem o culhão invejado! Fala a verdade sobre o Brasil com inteligência e coragem. Gilmar tem culhão invejado por aqueles que por profissão deveriam tê-lo. Fala verdades que os covardes e traidores escondem. Assume as verdades que fala e machucam os omissos.Com suas palavras reconhece o valor e superioridade da conhecimento e da ciência.” O povo canta e quer cada um em seu quadrado”.

  5. Gilmar Mendes tem razão. Estamos em plena pandemia e não temos ministro da saúde.

    Ou melhor: o atual “”ministro da saúde” é um genocida bem remunerado.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome