Covid Mundo 10 de agosto: Brasil tem o maior índice diário per capita de novos casos

O último gráfico mostra o comportamento dos casos diários per capita. Brasil tem a maior relação. Agora, foi alcançado pela Colombia. Estados Unidos e África do Sul seguem na lista.

Segundos os dados divulgados ontem pela Organização Mundial de Saúde:

  1. India dispara em novos casos (64.399), superando Estados Unidos (56.221) e Brasil (49.970).
  2. No balanço dos óbitos, EUA permanece em primeiro (1.069), seguido do Brasil (905) e India (861).
  3. Nos aumentos de casos em 14 dias, Colombia, India, Argentina, África do Sul e Brasil se destacam.
  4. Nos óbitos, Argentina cresce, seguido de África do Sul, Colombia, India e México.
  5. O último gráfico mostra o comportamento dos casos diários per capita. Brasil tem a maior relação. Agora, foi alcançado pela Colombia. Estados Unidos e África do Sul seguem na lista.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  A Crise Indiana, por Ronaldo Bicalho

2 comentários

  1. SÍNDROME RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE (SRAG) 2019(jan a dez)-39.190 casos —4.939 .Óbitos
    SÍNDROME RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE (SRAG) 2020(até 01 de agosto) 51 6.124 casos, 135.423 óbitos,(29,5% (40.003) óbitos por SRAG não especificado,

    BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO ESPECIAL | Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Semana Epidemiológica 31 Semana Epidemiológica 31 (26/07 a 01/08) Versão 1—05 de agosto de 2020— página 31(https://www.saude.gov.br/images/pdf/2020/August/06/Boletim-epidemiologico-COVID-25-final–1-.pdf)

    ÓBITOS POR SRAG
    Do total de 135.423 óbitos por SRAG com início de sintomas entre a SE 01 e 31, 67,2% (90.973) foram confirmados para COVID-19,
    29,5% (40.003) por SRAG não especificado,
    2,6% (3.578) estão com investigação em andamento,
    0,2% (307) por Influenza,
    0,1% (194)por outros vírus respiratórios
    e 0,3% (368) por outros agentes etiológicos (Tabela 6).

    BoletimEpidemiológico | Secretaria de Vigilância em Saúde | Ministério da Saúde Volume 50 | Nº 38 |— Dez. 2019— página 9—(https://www.saude.gov.br/images/pdf/2019/dezembro/23/Boletim-epidemiologico-SVS-38-2-interativo.pdf)

    Perfil Epidemiológico dos Casos
    Até a SE 49 de 2019 foram notificados 4.939 óbitos por SRAG, o que corresponde a 12,6% (4.939/39.190) do total de casos.
    Do total de óbitos notificados, 22,5% (1.109/4.939) foram confirmados para vírus influenza, sendo 71,0% (787/1.109) decorrentes de influenza A(H1N1)pdm09, 11,0% (122/1.109) influenza A não subtipado, 7,3% (81/1.109) por influenza B e 10,7% (119/1.109) influenza A(H3N2) (Figura 6).

    O coeficiente de mortalidade por influenza no Brasil está em 0,5/100.000 habitantes. O estado com maior número de óbitos por influenza é o São Paulo, com 24,6% (273/1.109), em relação ao país (Figura 7).Dos outros vírus respiratórios 58,3% (267/458) foram por VSR.

    página 6—Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)

    Perfil Epidemiológico dos CasosAté a SE 49 de 2019 foram notificados 39.190 casos de SRAG, sendo 81,8% (32.048/39.190) com amostra processada e com resultados inseridos no sistema.
    Destas, 17,8% (5.714/ 32.048) foram classificadas como SRAG por influenza e 23,6% (7.556/32.048) como outros vírus respiratórios.
    Dentre os casos de influenza 59,5% (3.399/5.714) eram influenza A(H1N1)pdm09, 13,5% (772/5.714) influenza A não subtipado, 12,1% (694/5.714) influenza B e 14,9% (849/5.714) influenza A (H3N2), (Figura 4).

    Entre os outros vírus respiratórios pesquisados (Vírus Sincicial Respiratório, Parainfluenza e Adenovírus), em 69,9% (5.283/7.556) dos casos foi identificado o VSR – importante ressaltar que o diagnóstico para este vírus é um diferencial desenvolvido dentro da vigilância da influenza, não existindo vigilância específica para estes casos

    https://www.saude.gov.br/images/pdf/2020/August/06/Boletim-epidemiologico-COVID-25-final–1-.pdf

    https://www.saude.gov.br/images/pdf/2019/dezembro/23/Boletim-epidemiologico-SVS-38-2-interativo.pdf

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome