Depois de Doria, Dino anuncia que quer autonomia para adquirir vacina barrada pela Anvisa

Governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), afirmou que entrará com ação no STF para adquirir vacinas contra Covid-19 aprovadas por agências internacionais e impedidas pela Anvisa

Jornal GGN – O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), afirmou nesta terça-feira (08) que irá entrar com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para que os estados tenham autonomia para adquirir vacinas contra Covid-19 aprovadas por agências internacionais e impedidas pela Anvisa.

“Ingressei ontem com ação judicial no Supremo. Objetivo é que estados possam adquirir diretamente vacinas contra o coronavírus autorizadas por agências sanitárias dos Estados Unidos, União Europeia, Japão e China. Com isso, estados poderão atuar, se governo federal não quiser”, anunciou Dino, em suas redes sociais.

A declaração ocorre logo após o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), apresentar um plano de vacinação contra o coronavírus alternativo ao do governo federal, que contempla vacinas que foram aprovadas por agências sanitárias internacionais e bloqueadas pela Anvisa.

A medida é uma resposta tanto do governador de São Paulo, e agora do Maranhão, à tentativa do presidente Jair Bolsonaro de impedir a vacina produzida pela China, em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo, a CoronaVac.

Após Dória apresentar seu plano de imunização alternativo, nesta segunda (07), com as datas de vacinação previstas para o Estado de São Paulo, a Anvisa respondeu contrária à Dória, indicando que deverá manter o impedimento da CoronaVac.

A agência emitiu nota na noite de ontem afirmando que os laboratórios da vacina produzida em parceria com a China e o estado não enviaram os dados “essenciais” para que a Anvisa possa autorizar o imunizante. É a segunda vez que a agência se manifesta após as divulgações do governador de São Paulo de que dará continuidade ao processo para imunizar a população paulistana.

Na sequência, foi o governador do Maranhão quem anunciou que irá atuar independente do governo de Jair Bolsonaro, em momento em que o presidente tenta barrar o avanço da vacina chinesa. Flávio Dino disse que entrou com mais uma ação no STF para garantir essa autonomia.

Seria a quinta ação ingressada no Supremo, contra as atuações do governo Bolsonaro, relacionadas à vacinação contra o coronavírus. Duas ações questionam o plano de governo federal, com a lentidão das respostas sobre imunizar a população brasileira, e a tentativa de Bolsonaro bloquear a CoronaVac, e outras duas solicitam a possibilidade de estados e municípios determinarem a obrigatoriedade da vacina.

Bolsonaro anuncia publicamente que só irá adquirir vacinas que sejam aprovadas pela Anvisa.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora