Especial GGN Covid Brasil: 5o dia consecutivo de alta na média diária de casos

No mapa que reflete a variação de casos nos últimos 14 dias (sempre na métrica da média diária semanal), houve alto crescimento de casos em 11 estados, e crescimento moderado em 4 estados. Houve queda em apenas 2 estados.

Não dá para falar em tendência, ainda, mas os dados mostram o quinto dia de alta sucessiva na média semanal diária de novos casos.

No dia 23 de outubro, a média era 21.908. Hoje fechou em 24.214.

Quando se analisa um período maior, no gráfico, percebe-se, na ponta, uma reversão da queda. Essa reversão começou no dia 14 de outubro, 14 dias atrás, quando a curva atingiu seu piso.

No mapa que reflete a variação de casos nos últimos 14 dias (sempre na métrica da média diária semanal), houve alto crescimento de casos em 11 estados, e crescimento moderado em 4 estados. Houve queda em apenas 2 estados.

Na análise das regiões de saúde, após uma redução consistente da população em áreas com mais de 20% de crescimento em 28 dias, nos últimos dias houve uma reversão. Depois de bater em um piso de 68 milhões de pessoas, subiu paa 73 milhões.

O que chama a atenção é que essa reversão ocorre em cima de uma base muito alta.

Analise o caso da cidade de São Paulo.

Comparando com os picos da doença, a última média de casos ainda está longe dos picos anteriores.

Mas fica nítida uma reversão da curva na ponta.

Analisando os últimos cinco dias, a evolução da pandemia fica mais clara.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  GGN Covid Brasil: as altas de casos em São Paulo, problema estatístico ou real?

3 comentários

  1. Como os números de óbitos tem um retardo entre 1 a 2 semanas em relação aos casos E como somos um pais atrasado até em relação às ondas da pandemia, não é preciso ser Olavo de Carvalho (há astrólogos melhores) para imaginar o que poderá acontecer nesta Ilha de Vera Cruz.
    Cuidemo-nos!

    • Não precisa ser astrologo apenas curioso.

      Em Itajaí o tratamento precoce começou a ser implementado em julho quando a mortalidade estava em 2 mortes por dia, 62 mortes mes.

      Em agosto foram 51 por que tiveram de contabilizar as mortes ocorridas no sistema prisional estadual, mas com queda consistente nos últimos 10 dias do mes.

      Em setembro caiu para 13 óbitos, 1/5 das mortes em julho.

      E em outubro até hoje foram 8 óbitos.

      E isso para uma cidade de 200 mil habitantes, numeros de vidas salvas muito superiores a de cidade de SC com mesmo numero de habitantes como Criciúma.

      Não olhe para o céu. Olhe para o Brasil e encontrará as respostas.

  2. No primeiro gráfico, visualmente, da a impressão que o número de novos casos mais que dobrou. Sei que o valor está escrito em casa barra… Mas é forçar demais a barra…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome