Fábrica da CoronaVac, na China, é aprovada pela Anvisa

Este é um requisito importante para que o processo de registro da vacina tenha continuidade, parte das exigências para autorização de uso emergencial.

Jornal GGN – A fábrica chinesa da CoronaVac, da Sinovac, recebeu certificação de boas práticas de fabricação pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). A Sinovac, no Brasil, faz parceria com o Instituto Butantan para a produção da vacina. A certificação foi concedida nesta segunda, dia 21.

Este é um requisito importante para que o processo de registro da vacina tenha continuidade, parte das exigências para autorização de uso emergencial. Esta certificação é válida por dois anos.

Entre 2 a 13 de dezembro, uma comissão da Anvisa esteve na China para inspecionar a fábrica da CoronaVac. Na quarta, dia 16, o Instituto Butantan apresentou o plano de ação à Anvisa, o que compôs o processo, concluído no domingo, 20, antecipando em 10 dias a previsão inicial da decisão.

No dia 23, quarta-feira, o governo de São Paulo vai apresentar o estudo preliminar da fase 3 para a Anvisa, e assim pedir o registro definitivo da vacina CoronaVac. Ao mesmo tempo, a Sinovac conseguirá o registro na NMPA (Administração Nacional de Produtos Médicos) o equivalente chinês à Anvisa.

A expectativa no governo estadual é que a China conceda o registro definitivo da Coronavac em cerca de três dias.

Com isso a Anvisa fica em situação delicada, já que a legislação existente a obriga a analisar o pedido em até 72 horas. Segundo a lei, qualquer fármaco contra a Covid-19 que for aprovado por agência de vigilância norte-americana, europeia, japonesa ou chinesa deverá ter

Na China, já há uma aprovação emergencial para o uso da CoronaVac.

Com informações da Folha.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora