GGN Covid: Portugal decreta novo lockdown

Na primeira semana do ano, bares e discotecas permanecem fechados, e serão compensados por isso, e o teletrabalho será prioridade, tornando-se obrigatório em alguns casos.

Jornal GGN – O governo português adotou medidas preventivas para evitar o alastramento da Covid-19. Nesta quinta, 25, foi anunciado um conjunto de normas que passam a vigorar nas festas de fim de ano e no próximo ano. De 2 a 9 de janeiro tem lugar a semana de contenção.

Após o período de Natal e Ano Novo, quando se espera um aumento de casos, o ano se inicia com uma semana de contenção de contatos. As aulas, excetuando as universidades, recomeçarão em 10 de janeiro e os dias serão compensados nas férias de Carnaval e na Páscoa. As creches também estarão fechadas nestes dias.

Na primeira semana do ano, bares e discotecas permanecem fechados, e serão compensados por isso, e o teletrabalho será prioridade, tornando-se obrigatório em alguns casos.

A partir de 1 de dezembro, o país declara situação de calamidade e, neste dia, algumas medidas se tornam obrigatórias, como máscaras em lugares fechados; certificado digital obrigatório para acesso a restaurantes, hotéis e alojamentos, eventos com lugares marcados; teste negativo de PCR é obrigatória em visitas a asilos e doentes internados em hospitais, grandes eventos sem lugares marcados, estádios, discotecas e bares; será obrigatória a apresentação de teste negativo para aqueles que chegam a Portugal via aeroportos. O país pretende instituir, ainda, a cultura de autotestes.

Houve agravamento da pandemia desde 29 de setembro, quando restrições foram amenizadas. Atualmente, o país conta com mais de 240 casos por 100 mil habitantes, um marcador vermelho de perigo. O aumento de casos já afetou o sistema de saúde e os óbitos tiveram sensível aumento.

O governo espera que as novas medidas possam conter a dinâmica de crescimento da pandemia.

Veja os gráficos a seguir.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 comentário

  1. A manchete não corresponde à realidade, pois o que foi decretado nem de longe é um lockdown. Não haverá qualquer restrição de circulação de pessoas pelas ruas, tampouco será fechado o comércio. Temos que tomar cuidado com essa banalização das palavras, mantendo a precisão do discurso.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome