Os sinais promissores da vacina contra COVID da Universidade de Oxford

Diretor de instituto responsável pela vacina acredita que em julho ou agosto já será possível saber se ela funciona e o nível de eficiência

Imagem: Reuters

Jornal GGN – Na última semana, as notícias que vieram da Universidade de Oxford sobre a vacina em desenvolvimento contra o coronavírus carregaram tom de otimismo e sinais de que a droga é promissora.

Neste sábado (16), com ajuda agência Reuters, O Globo narrou que a vacina não será cara. De dose única, vem sendo pensada para ser produzida em escala global, dada a pandemia que assola centenas de países.

“Não será uma vacina cara. Será uma vacina de dose única. E será fabricada para atender um suprimento global e em muitos locais diferentes ao mesmo tempo. Este sempre foi nosso plano”, disse à Reuters o diretor do Jenner Institute, da Universidade de Oxford, Adrian Hill, que trabalha ao lado da farmacêutica AstraZeneca produzindo a vacina.

Batizada de ChAdOx1 nCoV-19, a vacina já demonstrou resultados positivos em estudo com seis macacos. Alguns deles desenvolveram anticorpos contra o vírus em 14 dias. E, no final de 28 dias de experimento, todos desenvolveram proteção.

“Quando os macacos foram expostos ao novo coronavírus, a vacina impediu danos aos pulmões e evitou que o vírus se reproduzisse. No entanto, ele ainda se replicava ativamente no nariz”, explicou O Globo.

Para Hill, os dados são “encorajadores” e dão confiança de que os testes em humanos, iniciados em abril, também mostrarão resultados positivos.

Ele acredita que em julho ou agosto já será possível saber se a vacina funciona e seu nível de eficiência. O prazo pode variar a depender da exposição dos pacientes que participam do teste ao vírus.

Leia também:  Movimento de Sara Winter emula KKK em Brasília

Hill não quis dar detalhes sobre o estudo, mas indicou que até agora não houve nenhuma intercorrência e o cronograma segue como esperado.

Sete fábricas em todo o mundo trabalham na vacina. Uma na Índica, o Instituto Serum, e as outras na Europa e China.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. Estão vendendo uma imagem positiva… mas difícil de acreditar… basta olhar os envolvidos…

  2. “No entanto, ele ainda se replicava ativamente no nariz”. Essa afirmação dos cientistas foi resolvida? A matéria é importante por trazer esperança a bilhões de pessoa mundo afora, mas ficou essa interrogação para que a vacina seja efetiva.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome