Surgimento da Omicron aumenta debate sobre quebra de patente de vacinas

Conselho de Sindicatos Globais (CGU – sigla em inglês), que representa mais de 200 milhões de trabalhadores, pressiona mais uma vez os países sobre as patentes de vacinas.

Agência Brasil

Jornal GGN – O aparecimento da variante Omicron fez com que o debate sobre a equidade da vacina voltasse à pauta. Nesta segunda, 29, o Conselho de Sindicatos Globais (CGU – sigla em inglês), que representa mais de 200 milhões de trabalhadores, pressiona mais uma vez os países sobre as patentes de vacinas.

Diz o comunicado:

Já se passaram quase dois anos desde o início da pandemia global Covid-19. Os trabalhadores aumentaram, colocando-se em risco para salvaguardar as vidas das pessoas, seus meios de subsistência e a economia global, e impulsionaram avanços notáveis ​​na ciência e na medicina com o rápido desenvolvimento de testes, tratamentos, medicamentos, dispositivos médicos, equipamentos de proteção pessoal e, o mais importante, vacinas.

Apesar do compromisso dos trabalhadores, um punhado de governos está sabotando a recuperação global, bloqueando o compartilhamento desses avanços médicos, custando mais vidas e colocando trabalhadores e comunidades em maior risco. É necessária uma ação coletiva imediata para garantir o acesso igual e universal às vacinas Covid-19 e a produtos e tecnologias de saúde mais amplos.

O movimento sindical internacional apela a todos os governos, em particular, o Reino Unido, Alemanha e Suíça, juntamente com a Comissão Europeia, para tomar todas as ações necessárias para tornar as vacinas Covid-19 disponíveis para todos e apoiar os temporários e direcionados ‘Isenção de viagens’ proposta pela África do Sul e Índia na Organização Mundial do Comércio (OMC), enfrentando um obstáculo importante para proteger os trabalhadores e as comunidades em todo o mundo, à medida que o coronavírus continua a causar impacto. O sistema da OMC prevê a suspensão das regras de propriedade intelectual em circunstâncias excepcionais: a pandemia é claramente uma circunstância excepcional.

Na mesma linha, sindicatos de enfermagem em 28 países entraram com um recurso formal com as Nações Unidas sobre a recusa do Reino Unido, UE e outros em renunciar temporariamente às patentes das vacinas Covid, dizendo que isso custou um grande número de vidas nas nações em desenvolvimento.

Com informações do The Gurdian

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador