Contra fala na CPI, Wajngarten disse em março de 2020 que trabalhou “normal”

"Lembrando que os 26 dias de março eu fiquei fora", justificou na CPI. "Eu estou trabalhando normal. Tenho aprovado campanhas", disse em live à época

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O ex-chefe da Secom de Jair Bolsonaro, Fabio Wajngarten, mentiu ao usar a justificativa de que não trabalhou durante quase todo o mês de março de 2020, por se afastado enquanto estava com Covid-19 (leia aqui). Contraditoriamente, naquele mês, em uma live com Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), Wajngarten afirmou que estava “trabalhando normal” e especificou, inclusive, que estava “aprovando campanhas”.

“Lembrando que os 26 dias de março eu fiquei fora”, disse na CPI, ao ser perguntado pela primeira vez sobre a campanha “O Brasil não pode parar”, lançada daquele mês pela Secom, que estimula a população a sair de casa durante a pandemia.

“Essa campanha tem autoria, ninguém teria feito uma campanha dessa sem que o presidente da República tivesse conhecimento e que vossa Senhoria também, como secretário de Comunicação. Essa é uma das questões graves”, criticou o senador Humberto Costa (PT-PE), momentos depois.

No dia 12 de março de 2020, o ex-ministro disse o oposto ao filho do presidente, em live: “Eu estou trabalhando normal. Tenho feito calls com ministros, tenho feito calls com a Secom, tenho aprovado campanhas, tenho conversado com os criativos das agências de publicidade. Então, a vida segue. Eu estou disposto. Eu estou em isolamento.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome