CPI da Covid afirma já ter indícios de crime sanitário por Bolsonaro

O principal trabalho dos parlamentares, de coletar provas de que o presidente cometeu crime sanitário, já está adiantado.

Foto: Reprodução

Jornal GGN – Já há indícios de crime sanitário para incriminar o presidente Jair Bolsonaro na CPI da Covid no Senado. O principal trabalho dos parlamentares, de coletar provas de que o presidente cometeu crime sanitário, já está adiantado.

É como avaliam técnicos e funcionários do Senado que assessoram os senadores na Comissão Parlamentar, segundo reportagem da Folha de S.Paulo. A conclusão da CPI poderá, assim, apresentar em seu relatório final os ilícitos que o presidente cometeu no manejo da pandemia e encaminhar as provas e depoimentos ao Ministério Público Federal (MPF) para o indiciamento.

Mas a continuidade das apurações levantadas pela Comissão deverá atestar que Bolsonaro cometeu, também, crime contra a vida. Até esta semana, foram realizadas 6 oitivas, com ex-ministros da Saúde, o presidente da Anvisa e o CEO da PFizer na América Latina.

Parlamentares elencam que, entre as principais provas levantadas, estão a carta entregue em março de 2020, pelo então ministro Henrique Mandetta, anunciando os riscos da pandemia e que o país poderia chegar a 180 mil mortes por Covid-19 até o fim daquele ano se medidas não fossem tomadas.

Também como provas estão as pressões feitas pelo governo de ampliar o uso de cloroquina para o tratamento antecipado de Covid-19 e a omissão direta na aquisição de vacinas, tendo como uma das provas a negligência sobre as cinco ofertas feitas pela Pfizer, desde agosto de 2020, tendo o governo ignorado a proposta de compra de 70 milhões de soses do imunizante.

“O crime contra a saúde pública já está caracterizado”, afirmou o senador Rogério Carvalho (PT-SE).

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

2 comentários

  1. Atualmente CPIs são, principalmente, para dar cheiro de democracia na ditadura milico maçônica em curso desde o golpe de estado aplicado em 2016. A CPI que deveria ter sido implantada logo de cara, seria a dos 39k de cocaína no boing da FAB, onde até hoje o sargento mula maçom não delatou quem são os donos da cocaína tucana e quem foram os recebedores, deixando claro que continuam traficando nos boings da FAB com mulas maçons fardadas, sugerindo que cada um carrega 39k. O ariano mourão declarou que o sargento estava traficando pois estava em dificuldades financeiras, deixando claríssimo que o vice presidente é o dono da cocaína juntamente com seus comparsas milicos maçons generais nazifascitas que surrupiaram o governo democrático do país. Cadê a CPI da cocaína do mourão pô????

  2. Não se esquecer do Tenente-coronel Alexandre Augusto Piovesan, do GSI trabalhando na sala em frente ao chefe das milícias no palácio de vidro, que também foi preso por trafico de cocaína, a menos de 30 dias

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome