Home CPI da Covid Meta de vacinação pode não viabilizar Natal sem Covid

Meta de vacinação pode não viabilizar Natal sem Covid

0
Meta de vacinação pode não viabilizar Natal sem Covid
Vice-presidente da CPI da Pandemia, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) à mesa. Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Jornal GGN – A possibilidade de se passar um Natal livre da covid-19 anda a passos arrastados e, pelo que se viu na CPI da Pandemia, não parece ser muito plausível por conta do atual ritmo de vacinação.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou em sua oitiva que a meta do governo federal é vacinar toda a população acima de 18 anos até o final do ano – “em dezembro, 160 milhões de brasileiros estarão vacinados com as doses que já foram contratadas”.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) lembra que tal meta deveria ser atingida no final de outubro, ou começo de novembro, para permitir que os brasileiros passem o Natal sem a ameaça da covid-19. “Tem outra preocupação: com a nossa média de vacinação, que me parece em 500 mil, ou 600 mil, para chegarmos nessa meta em outubro ou novembro seria necessário aumentar essa de vacinação para 2,5 milhões de brasileiros por dia”.

Queiroga rebateu dizendo que essa é a meta, caso existam doses suficientes. “Esse mês de junho, há uma programação de se distribuir 40 milhões de doses. Nós vamos ter alguma dificuldade em julho e agosto, mas o Ministério da Saúde já tem um acerto com a AstraZeneca de fornecer IFA suficiente para produzir 50 milhões de doses de vacinas até que a Fundação Oswaldo Cruz possa produzir com IFA nacional”. Segundo o ministro, a previsão é que a vacina da Fiocruz seja produzida com IFA nacional a partir de outubro.

Queiroga também afirmou que a meta do Plano Nacional de Imunização foi estabelecida em outubro de 2020, onde a meta estabelecida era de 78 milhões de brasileiros. Porém, Randolfe lembrou que a atualização do plano é de maio deste ano. “A atualização do plano, que consta de maio agora, é de 78 milhões”.

Quanto aos 474.614 mortos pela covid-19 no país, Queiroga confirmou que os números são oficiais e podem ser revisados para mais ou para menos. Questionado se o Brasil tem mais supernotificação ou subnotificação, Queiroga diz que elaborou um estudo onde aponta aumento de óbitos de 2019 em relação a 2020.

Questionado sobre as imagens do presidente Jair Bolsonaro em diversas aglomerações pelo Brasil, Queiroga desconversou e falou que “a recomendação do Ministério da Saúde é bem clara em relação às medidas não farmacológicas, e essas recomendações são válidas para todos, indistintamente. E falei que eu não iria fazer juízo de valor acerca da conduta do presidente da República (…)”.

Acompanhe a CPI da Covid-19 pela TV GGN

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

GGN
Sair da versão mobile