Senadores da CPI evitam embates com Supremo

Suspensão de quebras de sigilo e autorização a depoentes se calarem afeta diretamente as investigações e impulsiona pedido de regulamentação

Foto: EDILSON RODRIGUES/AGENCIA SENADO

Jornal GGN – As decisões tomadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a favor de convocados pela CPI da Pandemia começam a incomodar o colegiado: os ministros do Supremo já suspenderam quebras de sigilo e autorizaram depoentes a ficarem em silêncio, mas a tendência tem sido evitar o embate com a Corte.

 “A busca ao Supremo é normal. O que o Senado precisa é estabelecer uma regulamentação para as CPIs”, disse o senador Humberto Costa (PT-PE), em entrevista ao jornal Correio Braziliense . “Tem de ficar mais claro, até do ponto de vista legal, as possibilidades desses colegiados. Mas, por enquanto, é o normal, é o que acontece. Não gostamos, não concordamos, mas vamos cumprir.”

O senador e vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), lembrou que “decisão judicial se cumpre”, uma vez que foi graças ao STF que a CPI foi instalada, já que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), resistia a iniciar as investigações.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome