A demissão do assessor e o aprendizado de Levy

Assessor de comunicação do Ministro da Fazenda Joaquim Levy, Fernando Thompson é um grande profissional de comunicação, já tendo desempenhado papel relevante na Vale do Rio Doce e se afastado quando a companhia tornou-se um QG eleitoral do seu então presidente Roger Agnelli.

O pedido de demissão foi antecedido por um bate-boca entreouvido nos corredores do Ministério. Thompson insurgia-se com a compulsão de Levy de, em qualquer oportunidade, em qualquer encontro com empresários ou políticos, falar mal da política econômica anterior, de Guido Mantega.

Thompson alertava que, falando mal da política de Guido, no fundo Levy falava mal da política da própria presidente da República. E seria impossível montar uma comunicação eficiente com quem vivia atirando na própria presidente.

Foi o segundo incidente dentro do processo de aprendizado de Levy.

O primeiro foi no próprio Congresso, em conversa com o presidente do Senado Renan Calheiros. Levy valeu-se do estratagema de economistas dos tempos dos pacotes: ameaça de fim de mundo se o Congresso não aprovasse. Renan mostrou que a jogada não valia mais.

Na rodada seguinte, depois do choque de realidade, Levy voltou mais cordato. 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

36 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Nira

- 2015-04-08 14:30:43

É por não acertarem um número

É por não acertarem um número que inventaram o "algo parecido com...".

Nira

- 2015-04-08 14:28:58

Por favor, nem fale isso.

Por favor, nem fale isso. Vamos que ele também deixe de ser ministro e vire presidente ?

Cosme Henrique

- 2015-04-08 13:47:18

Concordo 100%! Para ocupar o

Concordo 100%! Para ocupar o cargo da maior empresa do país não basta ser excelente técnico em sua área de atuação, como é o caso da Graça Foster, mas um CEO com forte tino político, senão não sobrevive aos ataques de todos os lados, tanto o dirigente quanto a emrpesa.

hbcwb

- 2015-04-08 05:01:05

Até tu brutus!

Infelizmente, a Presidenta só vai perceber a dimensão da escolha do Levy (ano), quando for tarde, e sentir o sangue escorrendo pelas costas!

João Teles

- 2015-04-08 02:56:59

Levy Presidente

Se Levy for candidato a presidente da república pelo PT, eu voto nele. =)

edmorc

- 2015-04-08 00:50:51

Arroganciômetro

Não sei o que é mais arrogante, um economista neoliberal ligado ao mercado financeiro ou um daqueles especialistas médicos que se julgam deuses. O fato é que esses economistas vivem uma distância sideral das dificuldades do dia-a-dia da população, e não dariam conta de tocar nem um botequim pra vender pinga em dose. E ficam vomitando em nossas cabeças toda essa baboseira, baseada em modelos econométricos artificiais, que eles tomam como o ó do borogodó.

Jose de Almeida Bispo

- 2015-04-08 00:43:19

Mais um ministro da Rede

Mais um ministro da Rede Globo! (Falo Rede Globo  por ser esta a representante mor da "midiocracia")

Levy trabalha, não pela economia; mas pelo que dirão os articulistas no dia seguinte.

azzisem

- 2015-04-07 23:51:02

Levy parece-me um operador
Levy parece-me um operador com um belo diploma.

azzisem

- 2015-04-07 23:43:51

Graça é uma ótima técnica,
Graça é uma ótima técnica, mas fraca como presidenta (CEO) e ainda mais fraca como política. Presidente da Petrobrás tem que ser política.

Jose Mayo

- 2015-04-07 20:45:05

É, meu amigo...

Se for o Levy a fazer o de "líder político", é bem provável que a política vá parar no CTI, e subindo!

Lucinei

- 2015-04-07 20:45:01

Me parece, Juliano, é que o

Me parece, Juliano, é que o esforço inicial é pra passar aquilo que depende do Congresso. Em seguida viriam as medidas da esfera do executivo.

Lucinei

- 2015-04-07 20:40:06

E pior: não acertam um

E pior: não acertam um número. Acreditam que só porque constroem argumentos com números são "mais racionais". Só que não acertam uma previsão de nada.

O Guido Mantega mesmo apanhando de tudo quanto é lado enfrentou a maior crise da história depois de 30 com emprego recorde e inflação dentro do combinado. É isso que esse pessoal "competente" não engole.

Jose Mayo

- 2015-04-07 20:39:11

É chato né? Rir sozinho?

É chato né? Rir sozinho?

Lucinei

- 2015-04-07 20:29:31

O Armínio jjá falou que o

O Armínio jjá falou que o ajuste deveria ser da ordem de 3% do PIB, portanto, muito, mas muito mais drástico. Sem falar nas declarações da campanha sobre o os bancos púbicos e os salários.

Dizer que "a Dilma está fazendo oque a oposição faria" é o que a máquina de propaganda da oposição que está ligada à todo vapor quer que as pessoas repitam.

 

De Paula

- 2015-04-07 20:24:12

Depois da tese. a antítese...

Depois da tese. a antítese... Quem será a síntese?

joel lima

- 2015-04-07 18:39:17

Mantega não é genial e nem

Mantega não é genial e nem medíocre = apenas reflete com uma boa exatidão a imagem de seu chefe. 

Quando seu chefe era Lula, fez um trabalho brilhate; quando seu chefe foi Dilma, fez um trabalho medíocre. 

Resta torcer para que Levy seja um aluno que aprenda rápido. E ainda por cima, por falta de um líder político do governo, ele tem que fazer esse papel, o que é mais desgaste ainda. 

Maria Luisa

- 2015-04-07 18:34:11

Pois

Interessante citar Adam Smith, a esquerda em geral, e eu em particular, não é fã dele. Mas esses tempos andei lendo uma abordagem da Historia Econômica através de uma BD, chamado Economix de Michael Goodwin. O livro é bem acessivel e Goodwin retira a poeira de todos esses pensadores da economia, inclusive redime (reexplicando ) que Adam Smith não estava tão distante assim de Karl Marx.  

E ao ministro Levy, recadinho: não imite FHC em sua deselegância. O ex-ministro da Fazenda amanhã sera você.

Athos

- 2015-04-07 18:20:20

Sendo uma pessoa de fé,

Sendo uma pessoa de fé, acredito nas folhas de chá.

Acho que é bem por aí. O Levy está no time mas parece fazer questão de se distanciar daquilo ali.

Falta descer do salto alto.

Tem um monte de jogadores de futebol com este comportamento adolescente. A diferença é que são todos sem exceção semianalfabetos.

Yacov

- 2015-04-07 18:02:56

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK... Mexeu

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK... Mexeu com as mães do País !?!?  Só se forem as mães solteiras, como Maitê Proença, cuja filha ainda recebe a pensão do Avô. O Estado deve financiar toda a dinastia de famiglias como esta !?!? Pelamor ...

 

"O BRASIL PARA TODOS não passa na REDE GLOBO DE SONEGAÇÂO & GOLPES - O que passa na REDE GLOBO DE SONEGAÇÃO & GOLPES é um braZil-Zil-Zil para TOLOS"

Almeida

- 2015-04-07 18:00:44

Não chegam a ser economistas.

São na realidade econometristas, um pessoal que vive num mundo pitagórico em que os números descrevem tudo, em que é possível modelar matematicamente sociedade e política. E o pior é que modelam com os estados de uma única variável, a moeda, seus fluxos e seus valores; nada em realação ao número de emprego, índices de desenvolvimento social e muito menos taxas de sustentabilidade ambiental. 

Ai da sociedade, se ela não se enquadra nos números que calculam nos seus modelos; se ela insiste em pisar com pé 42 esquerdo e o modelo deles epecifica 38 direito, pronto, f*[email protected] calos e joanetes, lá vão eles enfiar o pé na forma que acreditam conveniente. Todos parecem semi-autômatos, com aquela vocação inata de  burocratas, vieram de um mundo sem mediação e política.

Nira

- 2015-04-07 17:58:44

A testemunha auricular que

A testemunha auricular que ouviu o bate boca no ministério tem tanta credibilidade quanto as testemunhas das "ásperas discussões no palácio ", tão questionadas ?

Dúvidas à parte, é interessante saber que chicago boys também ficam nervosinhos. Que sofram uma ou outra azia, para aprenderem a não tirar o franguinho assado da mesa do trabalhador.

Severino Januário

- 2015-04-07 15:46:31

O Renan está irreconhecível.

O Renan está irreconhecível. Esta muito mais para PFL que para PMDB.

Sérgio Rodrigues

- 2015-04-07 14:58:39

Sem base

Mantega disse a que veio...no conjunto, seu trabalho foi exitoso e muito benéfico para o Brasil. Já Levy, ainda tem muito que provar!...

gabi_lisboa

- 2015-04-07 14:53:37

Cuidado com esse pensamento

a turma de fãs dos chicago boys impera na europa atual. A perda de direitos trabalhistas, geração de exército de reserva e politicas de transferência de renda das populações mais pobres para os ricos banqueiros é o que tem sido feito nos ajustes impostos na Grécia, Portugal, Irlanda, Espanha, etc. Esses "ajustes" ainda estão em vigor e não parecem perto de acabar, anualmente eles têm sido renovados nas politicas orçamentárias dos países da zona euro.

Jose Mayo

- 2015-04-07 14:50:28

Eu não gosto de exibir os

Eu não gosto de exibir os meus dotes de bruxo, mas, na última consulta que fiz às folhas de chá, eu vi que o referido ajudante que se julga chefe já está doido para ser mandado embora, e assim dizer que não resolveu os problemas do Brasil porque não o deixaram agir... Esse aloprado não entrou para ajudar a resolver nenhum problema da economia, mas para cometer haraquiri político; ao mexer com as pensões, mexeu com as mães do país.

Realmente a Dilma tem o "dedo podre", no que diz respeito à escolha da sua assessoria.

joao

- 2015-04-07 14:28:58

outro problema!
Ai nao se trata de fogo amigo! Ele eh mercado e a velha escola economica. Representa o conservadorismo do capital e quem perde eh o trabalhador. Quem perde com Levy eh o Brasil. Voltamos a etapa do FHC e outros. A ditadura e os planos Economicos que sabemos que nao daram certos. O outro problema que Levy eh do contra mesmo. Contra o povo brasileiro, contra o PT, contra a esquerda, contra o progressista social e CONTRA A DILMA E O PT. Levy pensa que eh a salvacao e a Dilma tambem. Estao errado. E estamos voltando, despencando na economia, na politica social e recuado numa frente elitista do passado agora agregando a influencia e impossicao das informacoes de corrupcao e roubos que Dilma e o PT se omitiram. Calaram com medo e covardia. A governabilidade do PT do Lula ao governo Dilma esqueceram a segunda fase de um programa politico e economico. Dilma e Lula nunca foram pensadores e Lula sabe disto. Dilma acha que pensa, faz politica, lidera, entende da economia e administra e esta como sempre enganada. Esta com um inimigo ao lado. Como o outro Jobim estava tambem. Dirceu e outros se nao voltarem a pensar o vacuo da governabilidade da Dilma nao chega ao final. Cada dia o povo ve a fragilidade e a mentira tomar conta de seus coracoes e mentes. Levy eh outra cilada da Dilma.

JB Costa

- 2015-04-07 14:26:13

Falta-nos, André Araújo, a

Falta-nos, André Araújo, a rica e profunda Economia Política. De trás para diante: Adam Smith, Karl Marx, Engels, Say, Thomas Malthus, John Stuart Mill, David Ricardo, John Galbraith, Jevons, Marshall Hodgskin, Hicks, Hayek, Keynes......No Brasil, Celso Furtado, Eugênio Gudin, Roberto Campos e mais uns gatos pingados. Menos economistas e mais filósofos. Gigantes intelectuais e eruditos por formação. 

Hoje predomina uma Ciência Econômica presunçosamente matematizada.  Nenhum gráfico, nenhuma equação diferencial ou integral, pode apresentar - nem em termos simbólicos - o que é intrinsecamente humano. Duas das maiores obras de toda a civilização ocidental; que mais influência tiveram na história,  pouco ou nada remeteram ao tecnicismo pelo tecnicismo. Foram 90% mais filosóficas que econômicas. Refiro-me à RIQUEZA DAS NAÇÕES, de Adam Smith, e O CAPITAL, de Karl Marx. 

Lionel Rupaud

- 2015-04-07 14:14:10

O nosso AA já escreveu sobre este ministro:

tem um programa medíocre de contenção fiscal, o.k. vamos chamar assim de reorganização, que só atende o mercado financeiro, donde ele vem e onde logo logo voltará, muito provavelmente fugindo dos resultados catastróficos deste.

A (in)abilidade de Dilma Roussef em achar ministros medíocres é inacreditável: só se lembrar que reconduziu o ministro da justiça cujo nome me escapa. E nesse caso ela virou refém da mediocridade que foi buscar num banco.

Interessante perceber que Nelson Barbosa, que é tudo menos medíocre, está totalmente quieto. Provavelmente esperando os resultados previsíveis do tal programa medíocre de contenção fiscal, enquanto trabalha nas concessões de infraestrutura.

E esse Fernando Thompson deve ter um faro para fugir de pavões enlouquecidos pelo próprio poder, fugaz como todo poder.

Fernando J.

- 2015-04-07 14:01:54

Enquanto isso, no Ministério da Educação...

Renato Janine vai mostrando a todos - e principalmente à sua superior - como se monta uma equipe de trabalho e como se faz comunicação inteligente, rápida e precisa com a sociedade. E como se ocupa os espaços na mídia, valendo-se das redes sociais. 

PS.: O mesmo vale para Aldemir Bendine e sua equipe, na Petrobrás. Os resultados vão evidenciar o quanto Graça Foster era despreparada para o cargo. 

Juliano Santos

- 2015-04-07 13:59:27

Mas não devia ser o papel

Mas não devia ser o papel dele. Pelo que sei a idéia era que fizesse o ajuste fiscal, que desandou no primeiro mandato. O que junto com sua imagem perante o "mercado", daria tranquilidade aos tais "agentes econômicos".

Agora li na Carta Capital que quem manda é ele. Dilma está virando a Rainha da Inglaterra. Quero crer que seja um exagero do Mino. Mas mesmo assim, cadê a agenda positiva? O Nelson Barbosa?

PS: Li na Carta também, creio que na coluna do Mauricio Dias, sobre uma referência ao projeto do José Carlos Assis, comentarista aqui do blog. Aguardo maiores informações 

Andre Araujo

- 2015-04-07 13:58:22

Meu caro Costa,  dá-lhes

Meu caro Costa,  dá-lhes ""LICÃO DE CASA"", ""NÃO TEM ALMOÇO GRATIS"", ""CURVA DA TAXA DE JUROS ",

""ALGO PARECIDO COM "",  e tantas baboseiras mal compreendidas no seu contexto original que eles transplantam

para a caboclada fazendo caras e bocas, revirando os olhinhos para saborear a ingorancia dos matutos que não cursaram a Universidade de Chicago ou a Wharton School da Pennsylvania University, esses economistas padrão FMI estão fora de moda no mundo inteiro, aqui como é do costume brasileiro, custa a cair a ficha, ainda temos Centros Positivistas (em São Lourenço), filosofia que na terra original, a França, já acabou há 80 anos, pegamos sempre a rabeira dos cantores decadentes que já não tem mais mercado nos seus paises e aqui fazem sucesso ainda por mais vinte anos.

Francy Lisboa

- 2015-04-07 13:45:27

P colega Alexander weber já

P colega Alexander weber já profetizava. Guido ainda terá seu espaço devidamente reconhecido.

jc.pompeu

- 2015-04-07 13:32:43

Aprendizados de Confúcio à distância crítica da Confusão de Egos

3.19  O duque Ding perguntou: "O governante comanda o ministro, o ministro serve ao soberano. Está de acordo?".

Kongzi respondeu: "O governante comanda o ministro, conforme os Ritos. O ministro serve ao governante, conforme a Lealdade".

 

13.17 Zixia servia como ministro na cidade de Yingfu, quando perguntou sobre como governar. O Mestre disse: "Não deseje [resultados] rápidos, não procure pequenas vantagens. Se desejar [resultados] rápidos, não terá êxito. Se procurar pequenas vantagens, não alcançará grandes realizações".

 

14.23 Zilu perguntou como servir ao governante. O Mestre disse: "Não se deve enganá-lo, mas confrontá-lo".

 

4.23 O Mestre disse: "Aqueles que cometeram erros ao usar de moderação são poucos".

 

Os Analectos de Confúcio. Tradução, comentários e notas de Giorgio Sinedino. Editora Unesp, 2011.

 

JB Costa

- 2015-04-07 13:27:33

Salvo raras exceções, todo

Salvo raras exceções, todo economista é presunçoso. Os neoliberais, então, são o máximo em termos de autossuficiência e narcisismo intelectual. Ao falarem, se preocupam menos em comunicar e mais em ouvirem seus belos sotaques e elucubrações teóricas. 

Nos tempos de Fernando Henrique Cardoso foi uma miséria só. Iam desde o chiado carioca ao arrastado "r" dos paulistas. No vocabulário, nove entre dez palavras eram do mais puro economês. Pedro Malan, o czar da economia nos governos tucanos,  adorava usar nos seus pronunciamentos um ex-post,  um ex-ante, uma correlação negativa na Curva de Phillipis entre inflação e emprego e o indefectível ceteris paribus. Fico imaginando como ficava a cara do povão ao ouvir tanta sapiência. 

Joaquim Levy é dessa safra, merce de mais humilde e recatado. Se for verdade, e não fuxico da imprensa, pega muito mal essa estória de ficar falando mal do antecessor Guido Mantega. Demonstraria insegurança e falta de ética. 

Manoel Junior

- 2015-04-07 12:57:32

Só pensa naquilo.

   O Levy faz o que sabe fazer. Dirige a Fazenda para os fazendeiros, ou seja os banqueiros. Fala como banqueiro,age como banqueiro . È o que sabe fazer. Todo o pacote e ações do Ministro tem sido o de penalizar oa segmentos populares.

  Alta despudorada da Energia,alta dos Combustíveis,ataques no setor trabalhista e tudo que o Armínio faria . Culpa dele? Acho que não.É oque sabe fazer.  Ela ganhou com o andar de ¨baixo¨, mas governa com o ¨terraço¨.

JoaoMineirim

- 2015-04-07 12:39:33

Demitiu o assessor por que

Demitiu o assessor por que ele assessorava de verdade ?

É por essas e outras que a Administração Pública está cheia de ASSPONE. Assessor que permanece no cargo é aquele que nunca contraria o Chefe, nem mesmo se ele estiver cavando a própria cova. Afinal de contas, é melhor ir pra rua quando o Chefe sair, do que sair antes, né ?

Torço que o Levy acerte e consiga realizar seu trabalho técnico sem causar mais crise política ou econômica. Mas ele deveria copiar a humildade e serenidade do Guido Mantega, antes de procurar defeitos para criticar. Afinal de contas não é qualquer Ministro da Economia que permanece tanto tempo no cargo, pelo menos no Brasil, já que aqui, a torcida quer trocar o técnico a cada derrota. 

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador