A  mais nova agressão ao MPF por parte de Bolsonaro, por Wellington Cabral Saraiva

Nomear um membro fora da lista tríplice, que já havia pedido aposentadoria e é pouquíssimo conhecido no MPF gerará dificuldades intransponíveis de liderança e de formação de equipe.

Foto Folha de S.Paulo

A  mais nova agressão ao MPF por parte de Bolsonaro

por Wellington Cabral Saraiva

em seu Facebook

A imprensa divulga que teria sido escolhido para a Procuradoria-Geral da República o Subprocurador-Geral Antônio Carlos Martins Soares. Pode ser mais um balão de ensaio. Se não for, será uma agressão ao Ministério Público Federal. Ele estava aposentado e reverteu ao serviço por ordem do TCU. Não participou da lista tríplice.

O Subprocurador-Geral Antônio Carlos Martins Soares é praticamente desconhecido no MPF. Estou no MPF há 24 anos (desde 1995), já fui diretor e vice-presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), assessor do PGR Rodrigo Janot em dois mandatos e chefe de duas unidades do órgão. Ele tem meu respeito, mas desconheço atuações suas de destaque.

[O GGN prepara uma série no YouTube que vai mostrar a interferência dos EUA na Lava Jato. Quer apoiar o projeto pelo interesse público? Clique aqui]

Nomear um membro fora da lista tríplice, que já havia pedido aposentadoria e é pouquíssimo conhecido no MPF gerará dificuldades intransponíveis de liderança e de formação de equipe.

Diz a imprensa que o Subprocurador-Geral Antônio Carlos Martins Soares teria sido indicado pelo advogado de um filho do presidente. É essa falta de institucionalidade que deve prevalecer na nomeação de um cargo relevante como o de PGR?

Para um governo que se dizia a favor do combate à corrupção, o PGR, chefe de órgão crucial como o MPF, não deveria ser aquele/a membro/a com mais capacidade de liderança, de formação de equipe eficiente e com melhores projetos para aperfeiçoar a atuação do órgão?

Uma nomeação de PGR que desuna e enfraqueça o MPF é o oposto do que espera o próprio eleitorado do presidente, o qual esperava avanços e não retrocessos no combate à corrupção. Já está havendo prejuízos ao trabalho da Receita e do COAF.

10 comentários

  1. Cômica abordagem, não fosse trágica para nosotros. O simples fato de haver se aposentado e obrigado a voltar por conta de irregularidades constatadas pelo TCU, em si, bem demonstra o mau caráter. Sem contar outras histórias, como a da falsidade ideológica eou de assinatura falsificada em documento que o beneficiaria. Se somarmos a tudo isso o fato de haver sido indicado pelo bolsonada-miliciano-rachinha, então… Mas, de outro lado, houvesse – desde o início – sido republicano, agora, com certeza os bolsonazis não teriam coragem de “meter a mão”, mas, como, também desde sempre, foram corporativista no que há de pior e, por cima, assumidamente partidários-aéticos-e-mesmo-bolsonaristas, contra o PT e seu republicanismo, agora, estão à disposição e ao alcance de qualquer saltimbanco-fascista. Perdeu, palibói!

  2. “Uma nomeação de PGR que desuna e enfraqueça o MPF é o oposto do que espera o próprio eleitorado do presidente, o qual esperava avanços e não retrocessos no combate à corrupção.”

    Bidu… uma que é óbvio que os golpistas não querem combate à corrupção. A família Bolsonaro pratica corrupção desde sempre, assim como Moro, Dallagnol e associados. E esteja certo de que parte significante do eleitorado (senão ele todo) desse governo também não quer combate à corrupção. Sabe aquela história de que “sonegar não é crime, é defesa pessoal”? O mote da corrupção é apenas desculpa para afastar o PT do poder.

    Além disso, de forma mais abrangente, a ideia é esfacelar a coisa pública, usá-la para atendimento de demandas pessoais e privadas, sem falar nas demandas estrangeiras do pessoal que emite e controla o dólar.

    Mas o MPF é parte – das mais importantes – da coisa pública, não tem porque as pessoas que se alinham à ideia de um capitalismo desregulado trabalharem senão para tornar a PGR e daí para baixo numa pocilga. Enfim não há espanto em bagunçar e desmontar a PGR por esse governo que aí está.

  3. Quer tanto uma PGR quanto qualquer instituição pública funcionando? Afaste da administração pública pessoas comprometidas com a iniciativa privada. De quebra isso promoverá o fim da corrupção.

    • Buaaaaaaaaa…

      “Afaste da administração pública pessoas comprometidas com a iniciativa privada”

      Minhas palestras em empresas denunciadas e chantageadas por mim estao incluidas ai????????

      Buaaaaaaaaaaaa(lambiopirulito)aaaaaaaaaaaa…

  4. lula respeitou a lista triplice,o que aconteceu? o Janot antes da eleição se mostrou um defensor do MPF, democratico,justo, se transformou em um entreguista,deixou a lava jato solta,acabando com nossas empresas,foi aos eeuu e entregou a Petrobrás,se mostrou um traidor da patria,foi parcial, engavetando processos contra o psdb,a instituição como um todo merece o que está passando e vai passar,pois salvo uns poucos procuradores,ñ fizeram nada para defender nossa soberania,viram seus colegas na lava jato se lambuzando na corrupção e por medo,covardia e corporativismo se calaram.Nos que ñ temos acesso as informações de bastidores já sabiamos o que estava acontecendo muito antes do theintercept ,como vcs podiam ignorar,vcs são uma decepção para o povo brasileiro,esperava honradez,coragem e despreendimento,viraram uma instituição que só pensa em ganhar cada vez mais,viram concurseiros,tenho nojo de vcs,a maioria apoiou esse governo,
    Vcs deram as costas em quem quis fazer de vcs uma instituição honrada,agora paguem o preço.

  5. WELLINGTON: a sua instituição está infestada de criminosos, ignorantes metidos a filósofos, cúmplices de corruptos…
    Depois de Gurgel, Janot e Dodge você não tem vergonha na cara de vir a público defender a lista tríplice ?

    • Eles estao iguais o FBI. So a carreira imediatamente futura interessa. As vitimas nao interessam.

      Que paguem pelo passado com o qual lucraram horrores primeiro. So que… o passado nao existiu, nao eh mesmo?

      Foi tudo “fantasia” sua… eles nao tiveram nadinha com isso. Nesse meio tempo, perto de 40 assassinos em massa mencionaram Trump nos ultimos ano e meio.

  6. O MPF vai voltar a ser o que era antes dos governos petistas: uma instituição de direita que sempre se calou com a corrupção da direita e que sempre compôs com governos de direita. Não vai ter rebelião nenhuma. A turma da Lava Jato, por exemplo, se dá muito bem com esse governo.

  7. Cara Procuradoria Geral:

    VTNC, FDPs.

    Que venham as brigas de facas e foices, mas pelo menos tenham a decencia de brigar de facas e foice EM PUBLICO, filhos da puta, pois de Dallagnois voces ja estao entupidos, literalmente

    Mostrem a cara pelo seu preferidinho pro cargo, bastardos. Deixem sua covardia tipica de lado.

    BRIGUEM PELO CARGO EM PUBLICO, FILHOS DA PUTA.

    DALLAGNOIS DE MERDA.

  8. Wadih Damous, em 16.08.2019, ao Cafezinho: “Essa história de nomear o primeiro da lista lá da associação de procuradores da república foi uma invenção do presidente Lula que vai morrer com ele e com a Dilma”

    Minuto 11:16 – “Mas, de qualquer maneira, tanto os nossos governos, quanto nossos ministros da justiça, não entenderam, acho que eles achavam que a luta de classes não aconteceu no aparelho de Estado. Acontece, e acontece de forma renhida. Essa história de nomear o primeiro da lista lá da associação de procuradores da república foi uma invenção do presidente Lula que irá morrer com ele e com a Dilma. Ninguém faz isso, nem é pra fazer. Foi um erro. Eu tive a oportunidade de de dizer isso ao presidente Lula. Eu pegaria essa lista da associação e jogaria na lata do lixo. Quem nomeia…se o Bolsonaro nomear alguém fora da lista estará agindo corretamente, que a Constituição permite que ele faça isso. E não acho que tenha nada de democrática essa história de nomear o primeiro da lista de uma corporação, de um sindicato de classes, como é a Associação Nacional dos Procuradores da República. Um sindicato como é o dos metalúrgicos, como é dos engenheiros.
    Então, acho que nosso grande erro foi ter a ilusão que a democracia estava consolidada e nós poderíamos aprofundar a democracia, sobretudo nos rumos dos direitos sociais, e achar que não haveria reação”.

    Minuto 14:45 – Essa questão de PGR, aquilo estava no DNA do presidente Lula, o que aconteceu foi o seguinte, no final das contas. O PT teve medo, o PT teve medo, os governos tiveram medo. O medo que Bolsonaro não tem, o PT teve em excesso. Medo, excesso de cautela, ministros da justiça absolutamente acoelhados diante de possíveis reações do aparelho de Estado. Repito, falar de fora, falar depois em retrospectiva é bem mais fácil, mas que o PT teve medo, teve.”
    https://www.youtube.com/watch?v=7lXT8R0qChs&t=1063s

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome