A misteriosa sociedade de José Roberto Marinho com Marcos Yunes, por Miguel do Rosário

Na foto, Marcos Yunes, filho de José Yunes, o “amigo de Temer”

de O Cafezinho

A misteriosa sociedade de José Roberto Marinho com Marcos Yunes, filho do amigo e ex-assessor de Michel Temer

por Miguel do Rosário

O Cafezinho teve acesso a um documento interessante, seguindo a trilha de reportagem iniciada pelo blog do Rovai, que por sua vez se baseou em post e documentos divulgados pelo blog Tabapuã Papers.

É o documento (ver abaixo) oficial de criação da empresa Marau Administração de Bens, que integra um conjunto de documentos divulgados pelo Tabapuã Papers.

Nela, figuram como sócios, entre outros, José Roberto Marinho, um dos donos da Globo, Marcos Yunes – filho do “amigo de Temer” e ex-assessor presidencial, José Yunes -, e a offshore Shadowscape Corporation, que aparece no Panama Papers, um dos maiores vazamentos do mundo de contas em paraísos fiscais.

Nos documentos, ainda constam informações sobre empresas do próprio Michel Temer, em sociedade com José Yunes.

Os negócios de Yunes são familiares, sempre envolvendo seus filhos. A sociedade entre José Roberto Marinho e o filho de José Yunes, portanto, é uma ligação direta entre o dono da Globo e o “amigo de Temer”.

A figura chave do rolo é José Yunes, um importante empresário paulista, que foi chamado para trabalhar no governo Temer, como assessor presidencial, logo após o impeachment. É um antigo amigo de Michel Temer, e, recentemente, produziu enorme rebuliço, ao dar entrevista ao blog de Lauro Jardim, afirmando que havia comentado com o presidente Michel Temer sobre o tal “pacote” que Lucio Funaro, a mando da Odebrecht, havia deixado em seu escritório. O pacote conteria alguns milhões de reais destinado a patrocinar a campanha dos deputados da base de Eduardo Cunha.

Leia também:  Steve Bannon: 'Agora que está livre, Lula vai virar um imã para a esquerda global'

Um dos lados mais sujos da história do golpe pode estar por trás desse pacote.

Yunes pediu demissão após delação de Claudio Melo, executivo da Odebrecht, dizendo que este havia intermediado propina de R$ 10 milhões para eleger a bancada de Eduardo Cunha para a Câmara.

A ligação entre Yunes e a família Marinho, por enquanto, é apenas um elemento curioso do escândalo.

A lista de sócios da Marau segue abaixo:

AGNES LEOPARDI GONCALVES
ALBA MARIA JUACABA ESTEVES PINHEIRO
ALBERTO DOMINGUES VON IHERING AZEVEDO
ANDREA CAPELO PINHEIRO
ANTONIO AUGUSTO AMARAL DE CARVALHO FILHO
CHRISTOPHER ANDREW MOURAVIEFF-APOSTOL
CONSTRUTER PARTICIPACOES LTDA.
JEAN-MARC ROBERT NOGUEIRA BAPTISTA ETLIN
JOSE ROBERTO MARINHO
LUCILA CARVALHO LINS
LUIS TEREPINS
MARCOS MARIZ DE OLIVEIRA YUNES
SHADOWSCAPE CORPORATION
YS MARAU PROJETO IMOBILIARIO LTDA.

Seguimos investigando.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

7 comentários

  1. É um mistério para o super

    É um mistério para o super moro desvendar. Vai lá moro!!!… kkkkkkkkkkkkk  

  2. Ellen Marion

    Saiba o que há por trás desse inesperado affaire amoroso entre o delegado Protógenes e a herdeira do Crédit Suisse

     – Este inesperado caso de amor (Patrícia já estaria esperando gêmeos de Protógenes) tem conexões no RS, porque a herdeira do Crédit Suisse é Luchsinger, do mesmo ramo da família que era uma das donas da empresa gaúcha Adubos Trevo. Milhões de dólares de herança do ramo gaúcho estão em jogo. Conheça mais sobre este caso de capa e espada.

    O affaire amoroso entre o delegado da Polícia Federal e atual deputado do PCdoB por São Paulo, Protógenes Queiroz, o verdugo do Banco Opportunity, ele mesmo investigado e processado na Justiça Federal por tropelias investigatórias, e a herdeira do banco Credit Suisse, Roberta Luchsinger, é acompanhado bem de perto por parentes de Roberta no RS. Ela é parente de Barbara Luchsinger Wright, a primeira mulher de Roger Ian Wright, ambos mortos em acidentes aéreos (ela morreu antes e Roger voltou a casar, morrendo ele, a nova mulher e dois filhos em Trancoso, na queda do avião particular do sogro). CLIQUE AQUI para ler mais sobre o affaie amoroso.

    . Os Luchsinger foram sócios dos Madorin na criação e operação da Adubos Trevo, mais tarde adquirida pelo grupo norueguês Norsk Hydro. Roger Wright foi presidente da Adubos Trevo e diretor da Fiergs, ao tempo de Luiz Carlos Mandelli. Ele e Barbara tiveram intensa vida social e deixaram amigos e parentes no RS. O casal morava numa belíssima casa da Vila Conceição, até mudar para SP, quando vendeu a casa para o empreendedor rural Edson Marques, também falecido. Edson era filho do ex-vereador e ex-CEO do Diário de Notícias, Say Marques. Deixou mulher, que morreu em seguida, e dois filhos.

    . Depois que saiu de Porto Alegre, Roger Wright tocou negócio solo na área financeira e foi Diretor de investimentos do Crédit Suisse. CLIQUE AQUI para ler notícia da época.

    . Na época da morte do Roger, a RBS deu esta notícia, mostrando sua vinculação com o Credit Suisse. CLIQUE AQUI. 

    ESPÓLIO DE ROGER WRIGHT SERIA DE US$ 300 MILHÕES

    Em dezembro do ano passado, o jornalista João Dória Júnior informou em sua coluna, na revista “IstoÉ”, que os herdeiros do banqueiro Roger Wright “resolveram mostrar as caras”. Ellen Marion Mouravieff-Apostol, brasileira que vive na Suíça, e Peter Luchsinger, suíço que vive no Brasil, pediram na justiça o espólio da fortuna dos Wright que é estipulada em US$ 300 milhões. Roger Wright morreu em maio de 2009 em Trancoso, na Bahia. A bordo de um avião King Air, caiu junto com mais 10 pessoas a 150 metros da cabeceira do aeroporto do condomínio Terravista, um resort de luxo. O banqueiro era sócio fundador da Arsenal Investimentos. No site do Credit Suisse informa-se que trata-se de um banco global sediado em Zurique, que atua no mercado em negócios de Private Banking, Investment Banking e Asset Management. O Banco de Investimentos Credit Suisse (Brasil) S.A. é uma instituição na área de gestão de recursos de terceiros há mais de 20 anos. Em 1998, o Banco de Investimentos Garantia S.A. foi adquirido pelo Credit Suisse First Boston. Em 16 de janeiro de 2006, as operações globais do Credit Suisse foram unificadas sob uma mesma marca, e a razão social do CSFB passou a ser Banco de Investimentos Credit Suisse (Brasil) S.A.

     

  3. Em 02/02/2016, mudança do

    Em 02/02/2016, mudança do NIRE

    NIRE – 35216076110 – N. DA ALTERACAO: 888/16-3 – CONSTRUTER PARTICIPACOES LTDA. – INCORPORACAO DE NIRE 35216246546 (CONSTRUTERPINS PARTICIPACOES E EMPREENDIMENTOS LTDA.).
    NIRE – 35216246546 – N. DA ALTERACAO: 913/16-9 – CONSTRUTERPINS PARTICIPACOES E EMPREENDIMENTOS LTDA. – INCORPORADA POR NIRE 35216076110 (CONSTRUTER PARTICIPACOES LTDA.).

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome