A queda do mito Bolsonaro já começou, por Fábio de Oliveira Ribeiro

Foto O Candeeiro

A queda do mito Bolsonaro já começou, por Fábio de Oliveira Ribeiro

A trajetória pessoal do futuro presidente do Brasil é bem conhecida. Filho de um dentista prático que morava numa das cidades mais pobres do Estado de São Paulo, Jair Bolsonaro ficou impressionado com a operação militar organizada para caçar Lamarca e seus guerrilheiros no Vale do Ribeira. Muito jovem ele resolveu se tornar militar. 

Jair Bolsonaro conseguiu realizar seu sonho de se tornar oficial. Mas o sonho dele se transformou no pesadelo do Exército, razão pela qual ele foi expulso da corporação em razão de ser insubordinado e planejar atentados terroristas. Admirador da Ditadura Militar, o futuro presidente foi considerado radical e mau militar por Jarbas Passarinho e Ernesto Geisel. 

Bolsonaro fez carreira política abusando de um passado militar idealizado que ele criou para si mesmo. Nos últimos anos, todas as vezes que ele tentou falar em nome dos militares o Exército deixou bem claro que ele não falava em nome da corporação. Mesmo assim, em razão do caminho dele para a presidência ter sido facilitado pelo “golpe com o STF com tudo” e pela injusta condenação e prisão de Lula, Bolsonaro conseguiu o apoio de alguns militares da ativa. Vários generais de pijama saudosistas já estavam com ele.

Sieg Heil Führer Jair Bolsonaro é obsedado por hierarquia social e paradoxalmente age como um anarquista. Capitão, ele nomeou um General para ser vice. Esta semana ele conseguiu rebaixar um membro do Poder Judiciário. Sérgio Moro era Juiz Federal, a partir de janeira se tornará carcereiro de Lula. Suponho que o novo Ministro da Injustiça ficará surpreso e frustrado quando o Judiciário anular o processo do Triplex que foi utilizado por Sérgio Moro para seguir a trilha aberta para o ex-terrorista mentiroso que ele beneficiou ao tirar Lula da disputa presidencial.

Leia também:  Marco Aurélio diz que Eduardo Bolsonaro como embaixador é "nepotismo"

A natureza contraditória do Sieg Heil Führer se torna mais interessante em razão dele ser um alpinista social paranóico cujo ideal político (um retorno desordenado ao passado) contradiz o lema da bandeira do Brasil (ordem e progresso). Bolsonaro odeia os comunistas, mas não poderá romper com a República Popular da China. Se fizer isso ele destruirá o presente e o futuro dos ruralistas que o colocaram no poder. Se não romper com a China ele será chamado de comunista imundo por dezenas de milhões de zumbis que criou ao se tornar presidente com um discurso anti-comunista. 

Além de tratar os petistas como inimigos internos, Bolsonaro já começou a procurar inimigos externos (Venezuela, Palestina, Cuba, Rússia, ONU, etc…). Como Hitler, Sieg Heil Führer Bolsonaro nunca conseguirá conviver ou se livrar de seu verdadeiro inimigo. Refiro-me, obviamente, ao inimigo íntimo, interno, que o novo presidente não conseguiu aceitar nem domesticar. A guerra que Bolsonaro trava consigo mesmo e que projeta no munto à volta dele irá inevitavelmente destruir total ou parcialmente o país que ele supostamente queria salvar. 

A posse do Sieg Heil Führer Bolsonaro não é o início do fim, nem o fim do início. Ela será apenas a pausa indesejada entre o fim de uma Ditadura Militar que nunca foi inteiramente destruída (digo isso pensando especificamente nos principais legados do regime militar: as polícias militares e a mentalidade autoritária dos juízes) e o início de um regime verdadeiramente democrático no Brasil. 

O desastre de Jair Bolsonaro foi ter sido eleito.” Esse será o único verbete ilustrando o nome do Sieg Heil Führer do Reich tupiniquim numa lista de presidentes do Brasil daqui a 200 anos. 

Em 2002 quase toda a imprensa brasileira alardeou que Lula não estava a altura da presidência. Jornalistas como Miriam Leitão nunca conseguiram aceitar o sucesso do “sapo barbudo” ou admitir o erro que cometeram. Nesse momento, algumas empresas de comunicação acreditam que Bolsonaro está a altura do cargo que ganhou cometendo fraudes numa eleição maculada pela fraude criminosa cometida pelo Judiciário para impedir Lula de ser candidato. Somente aqueles que se posicionarem contra o Sieg Heil Führer e suas loucuras neoliberais poderão em breve dizer que não foram responsáveis pela catástrofe.

Leia também:  Žižek: Uma comédia grega do absurdo

Quando assumiu a presidência, Lula foi obrigado a romper com o legado catastrófico do governo FHC. Essa é a razão pela qual o vaidoso, envelhecido e envilecido líder tucano nunca conseguiu perdoar o ex-presidente petista. Depois que colocar a faixa presidencial, Bolsonaro se tornará mais e mais prisioneiro do legado positivo de Lula que mais de 100 milhões de brasileiros não conseguem esquecer. 

Um fantasma ronda o Brasil – o fantasma do sucesso de Lula. Desde o primeiro dia Sieg Heil Führer será tentado a comparar o declínio de sua popularidade com a altíssima popularidade de Lula que nem mesmo o cárcere foi capaz de destruir. FHC sempre disse que Lula era um mito. Agora ele terá a oportunidade única de ver aquele que se diz um mito desmanchar enquanto a humanidade e a estatura histórica do ex-presidente petista cresce dentro da prisão em que ele foi confinado.

Lula não foi derrotado na eleição de 2018. Aliás, tenho certeza de que a derrota de Jair Bolsonaro começará no dia da posse dele. O medo não venceu a esperança, pois a verdade é que a esperança nunca poderá ser morta.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

31 comentários

  1. Saudação
    Penso que não tem nada a ver o uso de uma expressão alemã, criada para Hitler, relacionada a Bolsonaro. “Salve a vitória do líder”, é uma possível tradução, que deve ser esquecida pela dor que provocou na segunda guerra mundial. O Sr Fábio de Oliveira Ribeiro não é alemão e certamente acha que o uso dessa expressão diminui o Bolsonaro ou seus eleitores. Bobagem! Escreva algo que faça sentido contextual, como as ideias que podem conturbada a nossa política externa.

  2. A ditadura militar iniciada

    A ditadura militar iniciada em 1964 só foi possível graças ao milagre econômico, quando o país crescia em média 10% cheganndo a crescer 14% em 1973. Agora a situação é completamente diferente, o país está em recessão com altas taxas de desemprego e endividamento da população. Se a equipe econômica do Bolsonaro não resolver os problemas econômicos dos brasileiros seu projeto político será inviável.

    Outra coisa, estamos na iminência de uma crise econômica e financeira internacional. A guerra comercial entre EUA e China está causando pânico nos mercados internacionais. A bolsa de valores de Nova Iorque está em queda há mais de duas semanas consecutivas. Se o Trump insistir nessa guerra comercial com a China o mundo vai experimentar uma crise de grandes proporções.

    Economias frágeis como a Argentina e o Brasil serão as primeiras vítimas dessa crise que está por vir. Soma-se o fato de péssima condução da política econômica e comercial de um Chicago Boy fundamentalista como Paulo Guedes, que poderá agravar ainda mais as conseguências da crise econômica e financeira.

    O Bolsonaro não tem noção do tamanho da encrenca que ele está arrumando. 

     

    • Eu não duvido de mais nada

      Eu não duvido de mais nada !!!

      Depois da desgraça do governo Temer e dos Brasileiros simplesmente terem escolhido pela completa continuação dele, eu duvido da capaciddade mental do Brasileiro !!!

      A classe média segue o credo mental como religião !!! Acredita que não importa as desgraças que advenham, um dia a recompens virá !!!

      E sempre tará uma mamadeira de pirú para semear o pavor dos pobres !!!

      Ahhh, na Argentina a situação econômica é péssima, a popularidade de Macri é 40% e ele lidera as pesquisas para a reeleição.

  3. Romantismo selvagem

    O tom da resistência prenuncia tempos tempestuosos.Nós, o povo ignaro,  ficaremos indefesos entre dois fogos. A direita raivosa contra a esquerda derrotada reviverão os não saudosos embates em menor escala vividos em um país europeu na distante terceira década do século XX. O nosso país sofrerá e eles continuarão vociferando conceitos e discursos estéreis ofendendo nosso corpo e nosso espírito.

    • Se o mundo sub lunar, onde os

      Se o mundo sub lunar, onde os seres humanos vivem, agem e sofrem, não lhe interessa mais você pode perfeitamente sair da vida para ir viver com seus amigos espíritos. Só não cometa o erro de querer baixar seu espiritismo no meu blogue. Aqui esse papo furado de condenar a esquerda só conseguirá arrancar gargalhadas. Vá conviver com seus manos de direita, pois numa época como a que estamos vivendo todo nóia omisso, espírita ou não, é um fascista envergonhado.

       

  4. Reservas Internacionais + Privatizações seguram 4 anos de crise

    O Brasil aguenta 4 anos de crise com a fórmula:

    1-CULPAR O PT NOS PRIMEIROS ANOS – O Anti-Petismo ainda tem fôlego para mais de um ano até os trouxas acordarem

    2-RESERVAS INTERNACIONAIS(370 Bi) + PRIVATIZAÇÕES(100Bi) Ainda existe essa gordura para queimar… mas depois começa a falência múltipla dos órgãos.

    3-REZAR PARA UM NOVO CICLO ECONÔMICO SURGIR NO HORIZONTE – Só outra China salva Bolsonaro mas a reeleição deve estar garantida

    O problema é que se não aparecer outro ciclo econômico haverá uma implosão e uma catástrofe completa! Meu medo é exatamente o Bolsonaro destruir a economia do país apenas para se segurar no poder até um novo ciclo econômico aparecer… e não aparecer nada… só um Mad Max.

    O Combate a corrupção com Moro será inútil como propaganda política… quase não existe oposição governando Estados para Moro fazer seu “show” e com tanto aventureiro na política com PSL, Novo e militares… a corrupção vai explodir sempre no colo de Bolsonaristas amadores.

    Bolsonaro não está preparado para discursos na ONU ou reuniões do G20… nem deve ser acostumado a rotinas de trabalho intenso… na campanha já demonstrou descontrole da situação… sua família vai virar piada na mídia… o peso das palavras agora vai ser diferente… com aquela arrogância ingênua de coronel do interior… 

    Eu também acho que Bolsonaro deve estar arrependido de ter aceitado essa empreitada.

     

  5. “Suponho que o novo ministro

    “Suponho que o novo ministro da injustiça ficará surpreso e frustrado quando o judiciário anular o processo do triplex que foi utilizado por sérgio moro para seguir a trilha aberta para o ex-terrorista mentiroso que ele beneficiou ao tirar Lula da disputa presidencial.”

    Infelizmente não vai acontecer.

    O mais provável é que o Lula apodreça na prisão, como já disse o bozo.

    Veja que o bozo já substituiu até o cacereiro do Lula. Trocou a bandida lebbos pelo bandido sejumoro.

    Obs.: por motivos óbvios somente o nome do Lula foi mantido com inicial maiúscula.

  6. GOVERNO BOLSONARO

    Boa noite a todos e todas.

    Estou com o Eduardo Figueiredo e com o Wilton. A chave do governo que nos espera está na economia.

    Estamos há quatro anos com a economia parada, um desemprego monstruoso (iniciado no segundo governo Dilma) e sem perspectivas. 

    A exemplo do que se dizia antes do golpe contra Dilma, nossos bravos “liberais” colocam na figura do futuro ministro da economia um poder demiúrgico para resolver essa situação. Lembremos que antes do golpe, o dono da Riachuelo disse que todos os investimentos represados aconteceriam automaticamente após a derrubada da Dilma. Nada aconteceu.

    O programa ultraliberal preparado é uma incógnita. Em nenhum lugar do mundo isso deu certo. Pode ser que durante um período a classe média seja beneficiada (como na época do milagre), mas para a maioria esmagadora dos pobres nada melhorará. Depois, o país irá à falência, com as reservas internacionais esgotadas (transferidas para os rentistas na forma de pagamento da dívida pública). A perspctiva é sombria. O Wilton chama a atenção com razão para o cenário externo, somos eternamene dependentes da exportação de protudos primários, sobretudo para a China. Na Argentina, Macri aplicou essa receita liberal. O país somente não quebrou porque o FMI injetou 50 bilhões. Se tudo der errado e houver manifestações contra o governo não podemos descartar o massacre de manifestantes e um eventual golpe, ou autogolpe, já antecipado pelo vice. 

    Um abraço a todos e vamos à luta. 

  7. já combinaram tudo?

    Como poe ter êxito econômico um governo que pretende, de imediato, cortar relações com Mercosul, que é o segundo maior consumidor de produtos nacionais. Cortar relações como a China que é o pimeiro consumidor de produtos primários do Brasil e responsável pelo superávits, ofender desnecessária e acintosamente os países árabes e Venezuela, outros grandes consumidores dee produtos do Brasil. Eles vão passar a vender tudo para os States? Já combinaram com os russos?

  8. Acho que deveríamos deixar o
    Acho que deveríamos deixar o passado pra trás, onde deve ficar e, também deixar de fazer comparações, a era Lula já passou, tiveram coisas boas e muitas ruins também, o militarismo já se foi a décadas e da mesma forma muitas coisas boas e ruins aconteceram. Estamos em uma nova era e devemos torcer para termos um governo que facilite a vida de todos os brasileiros, devemos torcer pelo melhor e deixar a especulações negativas de lado. As eleições deixam feridas, mas elas vão cicatrizar e, o eleito deve ter apoio e não torcida do contra.

  9. O problema …

    O problena é que depois de Temer qualquer governo vai parecer bom.

    Na minha modesta opinião a esquerda tem de organizar uma OPOSIÇÃO , organizar uma RESISTENCIA é um erro tolo.

    Mas parece que insistem nos erros.

  10. Muito “otimismo”

    Esse papo de governo derreter não deu certo com o Temer.

    O antiesquerdismo (e mesmo aqueles que seriam democratas entram no miolo) está forte. Sou mesmo capaz de dizer que aquela “divisão de 1/3” no ato-palestra de ontem na USP carrega um cálculo arriscado. O que pode salvar é saber – será possível? – onde, quem e quando estarão os mais hidrófobos, sobretudo entre os moralistas sem moral, antiesquerdistas querendo abocanhar o Estado.

    Mais ainda, com essa composição parlamentar nojenta (desculpe, nojenta), só ampliou o problema que já era visto quando a Dilma não tinha forte base parlamentar. A direita, ao que tudo indica, possui esta base.

    Ele é um doido, um paranoico? OK, mas consegue cruzar isto com a estupidez, o preconceito de classe, de gênero etc. , os fake news, a alienação, a esperança (sim, também a esperança)… de milhares, milhões de pessoas?

    Pessoalmente, acho Boça um fraco em todos os sentidos. Mas a sua estrutura política não me parece que seja.

    O que talvez dê um alento e esperança sejam as milhares de pessoas que verão o engano que cometeram. Ainda há aqueles que cometeram erros continuados e seguem em frente, como se nada tivesse acontecido, pra evitar a responsabilidade e a culpa (seria uma espécie de “estilo alemão de pensamento no pós-guerra”), incapazes de incorporarem na própria vida uma análise que permita uma assimilação do acontecido no passado.

    Incrível que, tanta gente capaz, “estudada”, perspicaz… não tente ao menos colocar claramente, mesmo no nível da tentativa, formas de desmontar essa máquina de mentiras que opera num nível de psicologia de massas e que retroalimenta o ódio. Está duro de acreditar…

    Não quero desalentar ninguém. De jeito algum. Confundir análises com esperanças ocas como forma de evitar mais uma “derrota” pela via do pensamento só leva a mais ilusão. 

  11. Concordo em parte com o

    Concordo em parte com o Nilson e com o  Wilton, mas só chamo a atenção pra dois fatos:

    1. Mesmo com a mais profunca crise as manifestações não serão toleradas. Moro está aí para criar a Gestapo cabocla, que vai perseguir e encarcerrar qualquer um que se oponha ao regime. E a acusação já está pronta: corrupção. E os acusados serão conduzidos só o aplauso da massa estupidificada;

    2. Isso é mais perigoso. É certo que o Bozó vai governar com a Record de um lado e o zapzap do outro. O objetivo me parece bem claro: convencer a todos que os remédios mais amargos serão aplicados para o bem de todos. E olha, tem grande chance de sucesso, dado o nível de burrice dos brasileiros. Mais assustador é o poder do zapzap, uma vez que, segundo pesquisa recente, 90% dos eleitores do Bozó acreditavam na boataria que liam nessa m&¨%%. É claro que o pessoal da Cambridge Analytica está bem ciente desse dado e vão usar e abusar…

    Acho que o sucesso do Bozó não estará só na economia, mas mais ainda na sua capacidade de fazer todos de idiotas o tempo todo. Acho que a ficha vai demorar pra cair. Se é que vai cair um dia…

  12. Sem duvida que o texto

    Sem duvida que o texto reflete DESEJOS otimistas e exagerados do autor

    Ademais, IMPREVIDENTE, ele toma os atuais GOLPISTAS como parvos e inocentes  ..não! não são ! ..como sempre denunciei, eles tem estratégia e sabem aonde querem chegar

    BOZO pode ter sido um acidente de percurso (melhor se com demonistas e tucanos) mas  ..mas perfeitamente administrável e cooptável

    MUITA água vai correr por debaixo dessa ponte  ..SEM NUNCA nos esquecermos que o tempo deturpa tudo  ..HOJE, 35 % dos eleitores NÃO conheceram o BRASIL antes de LULA  ..e só 20% tem perfeita noção do que é viver sob um coturno

      • “MUITA água vai correr por debaixo dessa ponte ..”

        Agora, colocar os pés no chão e não bancar a mãe Dinah virou pessimismo…

        Já que o governo do Boça vai cair sozinho, segundo os analistas espertos de sempre, ficarei sentado no meu sofá…

         

  13. Bolsonaro não foi expulso

    Bom dia Fábio, só fazendo uma correção ao seu texto, Bolsonaro não foi expulso foi sim transferido ex-oficio para a a reserva remunerada do Exército, por ter sido eleito como vereador pelo Rio de Janeiro, conforme o inciso XVI do Art. 98 da Lei nº 6.880/80.

    Abraço

  14. O Nassif não deveria permitir

    O Nassif não deveria permitir que textos tão ruins e raivosos como este emporcalhassem seu espaço. O autor está completamente desestabilizado. Em alguns momentos parece-me um texto de humor negro. É muito recalque e ódio para  poucas linhas tão mal escritas.

  15. Se conseguir criar emprego acalma o ego.

    É possível que o Coiso alimente uma inveja do Lula (como o Príncipe) por tudo que ele fez. Assim sendo, ele terá que convencer o Chicago Boy, Guedes, a trabalhar no sentido de criar empregos urgentes, até mesmo para acalmar seu ego. Essa talvez seja a única maneira de conter a oposição natural a seu futuro governo. Todos sabem que a criação de empregos não tem oposição e o país está transbordando de mão de obra aciosa. 

  16. MATÉRIA SEM NEXO
    Bem li e reli a matéria pra entender. Creio que não acredito em alguém que estuda tanto possa escrever algo tão vergonhoso desses. De fato alguém que não se importa com o PAÍS.

    Não podemos nem.chamar de informação, isso é de uma tremenda ignorância histórica e literária. Meu pesar ao jornalismo Brasileiro.

    ESSA REFERÊNCIA NO BRASIL É CRIME. VC FICARÁ A CARGO DA JUSTIÇA.

  17. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome