Alckmin continua enfrentando a seca com factoides

Jornal GGN – o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anuncia medidas: a construção de estações de tratamento para produção de água de reúso. A crise hídrica está instalada, e já há muito foi anunciada. A previsão para estas estações é dezembro de 2015. Leia a matéria do Estadão.

do Estadão

São Paulo vai tratar esgoto para consumo

FABIANA CAMBRICOLI – O ESTADO DE S. PAULO

05 Novembro 2014 | 13h 31

Governador Geraldo Alckmin anuncia construção de estações que enviarão água de reúso de volta para bacias de dois sistemas

SÃO PAULO – O governador Geraldo Alckmin anunciou nesta quarta-feira, 5, a construção de duas estações de produção de água de reúso que vão abastecer diretamente as bacias dos sistemas Guarapiranga e Alto Cotia. Serão as duas primeiras instalações no Estado para captar o esgoto e transformá-lo em água de reúso, que servirá mais tarde para consumo.

“Na estação do Guarapiranga, vamos gerar 2 metros cúbicos por segundo de água de reúso. Teremos esse valor a mais sendo devolvido ao Guarapiranga independentemente de chuva”, disse ele. A outra estação será feita na região do Rio Cotia e terá capacidade de produção de 1 metro cúbico por segundo. Cada metro cúbico de água é suficiente para abastecer 300 mil pessoas, segundo o governador. 

Werther Santana/Estadão
Alckmin anuncia que São Paulo usará água de reúso para consumo

As estações estão em projeto e têm previsão de entrega para dezembro de 2015.

Alckmin também anunciou a construção de 29 reservatórios, que aumentarão em 10% a capacidade de reserva de água tratada na Região Metropolitana. 

O governador revelou ainda que a Sabesp vai aumentar a água transferida da Represa Billings para o Sistema Guarapiranga. O volume repassado passará dos atuais 2 para 4 metros cúbicos por segundo. Para isso, foi reduzido há um mês a água enviada da Billings para usina hidrelétrica do litoral. 

As medidas de reforço nos demais sistemas de abastecimento da Região Metropolitana têm como objetivo diminuir a demanda sobre o Sistema Cantareira. Hoje, 2,3 milhões de consumidores deste último são atendidos pelo Guarapiranga e Alto Tiete.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

55 comentários

  1. Uma frase que Alckmin sempre

    Uma frase que Alckmin sempre pronunciou e que eu até hoje acho muito enigmática: “São Paulo tem água garantida até março”.

    Alguém sabe se tem alguma outra profecia Maia dizendo que o mundo vai acabar em Março/2015?

    Se não tiver, o que acontece a partir de abril?

    • OMS Água

      Segundo a OMS são necessários 100 litros/dia/pessoa (comida/beber/higiene).

      1 metro cúbico = 1.000 ml x 1.000 ml x 1.000 ml = 1.000.000.000 ml

      100 litros = 100 x 1.000 ml = 100.000 ml

      logo:

      1 metros cubico / consumo por pessoa =  quantas pessoas seram abastecidas

      1.000.000.000 ml / 100.000 ml = 100.000 pessoas

      A conta pode ser feita com litros, mas como está faltando água, cada ml é precioso.

      Somente 100.000 pessoas podem ser abatecidas com o MÍNIMO recomendado pela OMS.

      Somente lembrando que o consumo de água em SP aumentou depois do inicio da crise.

       

       

       

       

       

      • ??

         

        1 metro cúbico = 1000 litros 

        Isso é uma caixa d’água doméstica padrão.

        Se cada pessoa precisa de  100 litros por dia:  1000/100 = 10 pessoas

         

        Precisa muito mais que isso para abastecer São Paulo.

         

        Cada metro cúbico de água é suficiente para abastecer 300 mil pessoas, segundo o governador.

         

        1 metro cúbico = 1.000 litros = 1.000.000 mililitros

        1.000.000 mililitros / 300.000 pessoas = 3,3 mililitros por pessoa por dia.

        Só ratinhos do deserto conseguiriam viver com isso.

         

        OBS: como converter de metros cúbicos para litros

        O litro foi definido como o volume de 1 decímetro cúbico = 10 cm X 10 cm X 10 cm

        Isso é um cubinho com uma aresta de 10 cm.

        Em um metro cúbico podemos colocar 1000 desses cubinhos.

        Então um metro cúbico tem 1000 litros.

         

         

  2. falta capim prá tanto jumento

    quando vivo, meu pai se referia a um grafito ‘o homem da cara-de-pau’ que, segundo ele, só poderia referir-se ao jânio quadros.

    é porque ele não conheceu este geraldo alckmin.

    ficou assim: a sabesp distribuiu “lucros”, a título de dividendos, no importe de us$4,5 bilhões na ‘borça di noviórqui’.

    depois, vem o governo federal e ‘oferece ajuda’ para a crise hídrica de responsabilidade da … sabesp.

    ninguém vai preso, mas os coxinhas, eleitores do alckmin, querem o impeachment da chefe do governo federal, a presidente da república, a quem atribuem a culpa pela falta d’água em função do … “desmatamento na amazônia” …

    tá certo esse trabalho?

    o grande problema da crise hídrica em são paulo é que já falta capim prá tanto jumento.

  3. Para quem olha de fora, ELE

    Para quem olha de fora, ELE RESOLVEU O PROBLEMA…

    Resta saber o que está ocorrendo, coisa que a gente de fora não VÊ!

    Esta censurado? Ou não está acontecendo nada?

  4. A falta de água em SP

    é tão problemática  que o calendário das escolas estaduais está sendo antecipado e tudo na surdina. Esses tuCANALHAS são competentes mesmo.

  5. São Paulo é uma cidade

    São Paulo é uma cidade tecnologicamente avançada.

    O paulista bebe a própria urina, como os cosmonautas da Estação Espacial Internacional.

     

    Que xique heim!

    •  
      Além é claro da

       

      Além é claro da “sustentabilidade” do processo!

      Água de reuso gera “piriri”, “piriri” gera mais esgoto, esgoto gera água de reuso, água de reuso gera “piriri”…

       

      Esse Alckmin é mesmo um “jênio”. Nem a Marina pensou nisso…

  6. É a tabelinha Alckmin criando

    É a tabelinha Alckmin criando factóides e a velha mídia repercutindo como se sério fosse…

    Ontem no SPTV da Globo, durante uma reportagem sobre a chuva, eis que do nada, aparece o próprio desgovernador paulista para comentar a “chuva molhando o chão”…..

    Só faltou dizer que a chuva caiu pq o Geraldin pediu…

    Tá difícil.

     

     

  7. desperdício

    Eles querem fazer obras, que vão custar muito dinheiro e vão aparecer na mídia, como fazia Maluf.

     

    Mas 31% da água tratada pela sabesp é perdida entre as estações de tratamento e a casa dos consumidores.

    Isso não é desperdício da população, é cano furado da sabesp.

    31% é quase 1/3 da água. a cada 3 copos, um é jogado fora pela própria sabesp.

    Se reduzisse essa perda, nem teria problema de falta de água

     

    Porque não tem anúncio de conserto dos canos para evitar perdas?

    Isso não aparece, então não interessa para eles.

    • São cegos pelo lucro

      Fazer o conserto dos canos aparecer pras pessoas? Era só anunciar que, concomitantemente aos reparos da rede. o preço da conta diminuiria conforme os vazamentos fossem eliminados. Todo mundo sairia ganhanho – exceto os acionistas, claro, que preferem ver a água se perder e colher lucros no curtíssimo prazo ao invés de promover melhorias na rede que garantiriam a própria existência da empresa, no longo prazo.

      • Mas a outorga expedida em

        Mas a outorga expedida em 2004 tinha como meta reduzir o desperdício para uma taxa de 25%, que eu acho um absurdo, mas é um parâmetro internacionalmente aceito. Tipo, deve ser o teto máximo tendo em vista a incapacidade de investimentos de governos do terceiro mundo, que é, na verdade, o que SP tá virando.

        Se a ANA fosse uma agência séria e descomprometida, não renovaria a outorga da Sabesp, não apenas por não cumprir metas, mas pela falta de transparência ao consumidor e total irresponsabilidade futura com a capacidade de produção de água.

        Ou, no mínimo, renovaria a outorga com novas exigências, incluindo uma punição – o de não aplicar qualquer reajuste de tarifas enquanto as metas não forem atingidas. Segundo andei lendo, especialistas estimam que demorará 5 anos para a restauração dos reservatórios. Seria a devolução dos ganhos dos acionistas da Sabesp (cerca de Us$ 4 bi em 5 anos) ao povo de SP que é o último culpado deste crime de responsabilidade do Governo Alckmin.

  8. Engraçado que desde que

    Engraçado que desde que começou este longa metragem da falta de água em São Paulo, não vi ou li em lugar algum uma viva alma atacando três pontos do problema:

    1 – Segundo a própria Sabesp 37% da água é perdida entre o tratamento e a casa de quem a recebe ou seja, de cada 100 litros de água tratada simplesmente 37 litros não chegam a lugar algum. Qualquer boteco de esquina sabe muito bem que se desperdiçar 37% daquilo que produz QUEBRA em dois tempos;

    2 – O assoreamento das barragens de captação de água é uma realidae não somente em São Paulo mas em qualquer parte do país onde este sistema é utilizado. Não se viu ou ouviu ninguém por parte do governo estadual dizendo que iria aproveitar a seca destes mananciais para dar uma ‘limpeza’ nos fundos dos reservatórios;

    e por último:

    3 – Não se ouviu também dos governos estadual e municipais de São Paulo uma proposta de solução para a devastação das matas ciliares destes reservatórios e as concentrações de invasões de terras para a construção de cass de forma irregular. Não estrou dizendo que sou contra a construção de casas para a população de baixa renda. Estou dizendo apenas que estas concentrações urbanas às margens dos lagos também são uma forma de reduzir cada vez mais os espaços dos mesmos e assoream e interferem na qualidade das águas.

    Fica aí a palavra aos entendidos;.

  9. Pffft…

    As duas primeiras usinas do estado. E com uma capacidade pífia de produção. 3 m³ de água são 3000 L, como isso pode abastecer 300 mil pessoas?

    De resto, para vermos a “seriedade” desse compromisso, eis a seguinte tabela, tirada da página da Wikipedia sobre os esgotos de Paris (em francês, lamento, mas acho que não é difícil assim de entender):

                                 

    Tomemos a maior usina (que, vejam só, já existe desde 1940), já com  a capacidade diminuída (1,5 Mm³). Isso dá uma capacidade de tratamento de aproximadamente 17m³/s, só para aquela usina. E isso para uma população muito menor que a RMSP!

    As duas usinas a serem implantadas em SP chegam juntas a 3m³/s, o que dá um volume diário de 259200 m³. Nessa tabelinha, ela estaria em antepenúltimo lugar – e isso para uma população com quase 4 vezes mais pessoas! (9 milhões da RM de Paris versus os mais de 32 milhões da RMSP!)

    Agora, é o tal negócio: a tecnologia de tais estações já estava estabelecida há bastante tempo, bem antes do PSDB existir. Por que nunca se cogitou antes de se fazer tais investimentos?

     

  10. Nesta altura, tudo vai depender mesmo é de São Pedro

    Mas enquanto desprezam a população, vão ganhando com os parças uma boa graninha em obras emergenciais.

    Pra variar.

    • Não penso que sejam emergenciais

      Ao contrário, é uma prática aplicada em diversos países do mundo. Isso pode contribuir para a limpeza dos rios, e para uma cidade do tamanho de São Paulo, são realmente necessárias. As perguntas que faço são:

      1. Por que não foram pensadas antes?

      2. Por que não foram construídas antes?

      Não é questão de tecnologia, já que a mesma existe desde pelo menos 1940 e vem sendo continuamente aperfeiçoada.

  11. A enquete do Terra

    O portal de notícias “Terra” está com uma inquete curiosa.

    Hoje ela está no seguinte link:

    http://noticias.terra.com.br/brasil/cidades/ana-comparacao-da-sabesp-com-o-palmeiras-foi-infeliz,5e5aa2eca7089410VgnVCM5000009ccceb0aRCRD.html

    A enquete é sobre de quem seria a responsabilidade sobre a crise hídrica em São Paulo e o resultado é surreal!

    Você tem que votar para ver o resultado, mas vou colocar o “placar atualizado”:

    De quem é a culpa da falta de água em SP?

    4775 votos – São Pedro 17677 votos – Geraldo Alckmin 25334 votos – Dilma Rousseff 7490 votos – Você, consumidor

     

     

     

     

     

     

     

     

    Por que vocês acham que o Governador comete impropriedades sobre essa crise sem se preocupar?

    Abraços!

    André

      • Sinceramente, não acho que seja só isso…

        Acho que isso exprime o quanto a mídia tem provocado confusão na cabeça do distinto público.

        Aqui em São Paulo a coisa mais fácil do mundo é ver gente culpando o Governo Federal pelo que não é feito pelo nosso Governador.

        Abraços!

        André

  12. “Israel consegue utilizar 70%
    “Israel consegue utilizar 70% do esgoto tratado, o sul da Europa, cerca de 40 a 50%. O mesmo número alcançado em alguns estados americanos”, aponta Luciano Borges, professor de engenharia química da Coppe/UFRJ.

    Quanto preconceito contra água tratada nos comentários. Até parece que tomam banhos com leite de pêra.

    • Água é vida, é um direito e não mercadoria

      Alo amigo, 

      Olha, usar é um verbo muito pouco específico. Temos que pensar O Que Seria usar adequadamente a agua de reuso?

      Certamente que, considerando o “tratamento”, nunca jamais nenhum desses países citados tem qualquer tipo de Reúso que inclua “tratar” e depois colocar de volta no reservatório de onde se tira a água “Não Utilizada”. Israel por exemplo trata água do mar para beber, gastando muito mais dinheiro. Não estranharia, entretanto, devido à situação conflituosa, que destinem água de reúso para os Palestinos beberem… Como rico compra bombona, quem vai beber essa m….. é o pobre, quem sabe não signifique que o governador vê o povão como “paulestinos” mesmo. 

      Essa estatística que apresentastes não define em que atividade se faz o Reúso. Certamente que vai para agricultura, lavagem de ruas, lavagem de carros, descarga, etc. Consumo humano, só coisa de primeira, sem mimimi.O conceito de reúso é perfeitamente cabível para fornecer água para usos menos nobres, como dar descarga, por exemplo, digamos que para lavar a mão, tomar banho ou lavar a roupa poderiamos discutir mas talvez, após considerar que o resultado do tratamento tenha sido um sucesso, aí sim deferiria-se este uso. 

      Se o governador investisse esse dinheiro para que se implantasse um sistema mais inteligente de reuso no local de consumo, usando a água do banho para a descarga, por exemplo, ou aproveitamento de água da chuva, seria elogiável. Mas aí né…, as pessoas reusariam, para aqueles usos menos nobres, a mesma água, duas ou mais vezes. e sem ter que pagar nada a mais para o Lucro dos Acionistas de Nova Iorque…, entende como é boa essa solução apresentada? Resover não resolve, ao contrário piora a qualidade do reservatório, coloca em risco a saúde pública (tá cheio de merdas que tratamento nenhum consegue remover a 2 m3/s), mas aparece na propaganda política e agrada os piratas/acionistas que se beneficiam com o “lucro” operacional, que deveria ser retornado em investimento.

      A proposta apresentada não é uma solução! É o ápice do desaforo completo e irresponsável para com o cidadão. Seria quase o mesmo que dizer que iria tratar a água do Tietê para abastecimento humano, e que as pessoas iam pagar a mesma coisa para fazê-lo.

      Parece-me que o essencial do momento é discernir se a água é um direito ou uma mercadoria, e este problema nada tem a ver com a chuva. Se é um direito, e acredito que sim, então temos uma grande lista de malfeitos para cobrar os responsáveis

      Não venha com mimimi de leite de pera

      Saudações

       

    • FALTA DE PLANEJAMENTO

      Ora, a falta de água foi prevista pela própria SABESP.

      Há anos e anos as represas vem, cada vez mais, diminuindo suas capacidades até chegar a atual situação.

      Ora, por que, pergunto agora, somente depois que o desastre aconteceu é que esta obra está sendo anunciada?

      Falta total de planejamento deste governo estadual. É uma lástima.

      Ademais, existem milhares de ações e obras que podiam ter ajudado e que a SABESP deveria ter tomado, junto com o governo do Estado, fazendo investimentos e não dando bilhões de lucros aos seus acionistas, tão somente. Há condições de buscar água em locais mais afastados da metrópole, obra que demandaria possivelmente mais de dois anos e poderia ter sido realizada. Fáceisl de serem planejadas e previstas: as perdas de água, com canalizações danificadas,  sérios vazamentos, etc, que podiam ser evitados por uma ação preventiva. Dizem haver uma perda de quase 40% da água antes de chegar às residências. É possível, ainda, v. gratia, a utilização da água de chuva tanto no setor público como no setor privado, em condomínios, etc,  não para consumo humano – mas  para lavagem de veículos, de páteos, passeios, irrigação de parques, de campos esportivos, etc.

      Ora, há tanto que poderia ter sido feito.

      Mas não houve planejamento.

      Bendito planejamento, o grande fator do Super-Homem!

      Agora, se houvesse planejamento, não haveria o Salvador da Pátria, o Super-homem.

      Agora, o salvador da Pátria vem vindo. E vem a toda.  Voando.

      Grande solução.

      Maravilhosa solução.

      Viva Alckmin.

      Viva nosso eterno governador.

      Viva a Imprensa Brasileira.

       

  13. consumimos esgotos midiático

    consumimos esgotos midiático há tempos….

    o alquimista quer transformar lodo em água.

    é um deus dos pigs e da chuva.

    são pedro salvará são paulo?

  14. Os paulistas já estão

    Os paulistas já estão fedorentos por falta de água para tomar banho, agora vão beber cocô reciclado. Por favor, fiquem bem longe do Rio de Janeiro.

  15. Saúde! Tim, tim!

    Cada eleitor bebe o que merece. O eleitor paulista bem mereceu o que vai beber…

    Quem sabe se com o cocktel de fezes aprendem a votar melhor! Acho difícil…

  16. Governador mal das contas — de água inclusive

    Cada metro cúbico de água é suficiente para abastecer 300 mil pessoas, segundo o governador.

     

    1 metro cúbico = 1.000 litros = 1.000.000 mililitros

    1.000.000 mililitros / 300.000 pessoas = 3,3 mililitros por pessoa por dia.

    Só ratinhos do deserto conseguiriam viver com isso.

     

    1 metro cúbico = 1000 litros 

    Isso é uma caixa d’água doméstica padrão.

    Se cada pessoa precisa de  100 litros por dia:  1000/100 = 10 pessoas

     

    Precisa muito mais que isso para abastecer São Paulo.

     

     

    OBS: como converter de metros cúbicos para litros

    O litro foi definido como o volume de 1 decímetro cúbico = 10 cm X 10 cm X 10 cm

    Isso é um cubinho com uma aresta de 10 cm.

    Em um metro cúbico ( um cubo com uma aresta de 1 metro ) podemos colocar 1000 desses cubinhos.

    Então um metro cúbico tem 1000 litros.

    • mas, talvez….

      Se, ao invés disso:

      “A outra estação será feita na região do Rio Cotia e terá capacidade de produção de 1 metro cúbico por segundo. Cada metro cúbico de água é suficiente para abastecer 300 mil pessoas, segundo o governador.”

       

      O que deveria ter sido escrito fosse isso:

      “A outra estação será feita na região do Rio Cotia e terá capacidade de produção de 1 metro cúbico por segundo. Cada metro cúbico de água por segundo é suficiente para abastecer 300 mil pessoas, segundo o governador.”

       

      Bom, se forem 1 metro cúbido por segundo, então temos 86.400 metros cúbicos por dia, ou 86.400.000 litros por dia.

       

      86.400.000 litros / 300.000 pessoas = 288 litros por dia por pessoa.

       

      Já não seria tão ruim.

       

    • sim…

      mas creio que a matéria se refere “a geração de 2000 litros por segundo.

      Coisa que também gostaria de ver explicado. Como se faz um tratamento de reuso d´água com vazão de 2.000 l por segundo…

      Existe um descompromisso com os números, nestas matérias.

  17. Reúso de água em São Paulo

    Esse sistema é conhecido no jargão técnico como “reúso indireto potável”. Reúso por que usa esgoto tratado como fonte alternativa de água para ser usada novamente. Indireta por que o esgoto tratado é lançado em grandes corpos d’água para que se processe diluição e assimilação natural. Exige um tempo para esse processo se dê e prevê interação da água de esgoto tratado nos processos naturais no corpo d”água que o recebe. E diz-se potável por que servirá ao abastecimento humano. Todo esse processo requer controle sanitário adicional e cuidadoso. As notícias que se têm para tais aplicações se referem a contextos de ausência de recursos hídricos naturais.

    Não vejo justificativa técnica para tal adoção. Temos fontes naturais no vale do Ribeiro do Iguape, presentes como alternativa em todos os estudos que deram lugar aos Planos Metropolitanos de Abastecimento da Sabesp.

    É preciso perceber uma justificativa de natureza financeira que se enquadra perfeitamente na gestão da Sabesp privatizada. Percebam que as obras de captação no vale do Ribeira significam alto investimento financeiro. O esgoto é a matéria prima que já está nas mãos da Sabesp nas estações de tratamento de esgotos. Após o tratamento de esgoto que se pratica basta adicionar o sistema de pós tratamento para lançar esse esgoto tratado na Guarapiranga e no Alto Cotia.

    Acho que o projeto foi elaborado pelos tais 49,7% de acionistas da Sabesp.

     

  18. Duas notícias sobre a crise de água em SP

    Uma notícia boa e uma péssima.

    A boa: dentro em breve, estaremos bebendo água de esgoto (de merda);

    A péssima: a água (de merda) não vai dar para todos. 

  19. Acho que entendi a conta de

    Acho que entendi a conta de ALkimin, finalmente!  Continua errada?  Confira:

    Eh dois metros cubicos por segundo.  O dia tem 86.400 segundos.  Logo…  172.800 metros cubicos por dia.  Se, segundo o Marcon, um metro cubico eh suficiente pra 10 pessoas…  ja me perdi na conta pra fazer chegar ao total da reportagem!

    Aqui entra o Departamento de Coisas Mais Importantes:

    Alguem vai chamar o estadao ao tapete por causa dessa reportagem?

  20. E a água dos subsolos dos prédios?

    Todos os edifícios de São Paulo com mais de um subsolo precisam de um sistema de drenagem, por conta do lençol freático, mas esta água é bombeada para a sarjeta e entra no sistema de vazão pluvial, desaguando nos esg…. digo, nos rios que cortam a cidade.

    Não seria mais barato, mais fácil e mais inteligente estimular que estes prédios armazenassem e utilizassem esta água, para o sistema de descargas sanitárias?

    Porque não há nada a respeito sobre este assunto?

    • Talvez voce esteja

      Talvez voce esteja superestimando a quantidade de agua que mina em um edificio, JCFix.  Se fosse em quantidades de agua remotamente aproveitaveis, o edificio nao seria sequer estavel.

  21. Tucanos sempre tucanos.

    Semana passada foi a divulgação do Convênio com a Fundação Cacique Cobra Coral.

    Ontem o encontro com o engenheiro que queria vender uma máquina de fazer chuva (segundo a Folha). lembrei dos desenhos do papalégua e coiote, onde o coitado do coiote sempre vinha com uma máquina definitiva da ACME para finalmente pegar o rápido papaléguas.

    Hoje o factóide é reuso de água.

    Talvez semana que vem tenhamos a contratação de índios americanos para executar a dança da chuva.

    Este é o planejamento destes senhores.

    Seria engraçado se não fosse trágico.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome