Após deixar o governo rumo à OEA, Ideli dispara contra a Lava Jato

Jornal GGN – Substituída por Pepe Vargas na Secretaria de Direitos Humanos, a ex-ministra Ideli Salvatti deixou o país essa semana para assumir uma nova missão, a pedido de Dilma Rousseff: ser a secretária de Acesso a Direitos e Equidade na Organização dos Estados Americanos (OEA), em Washington.

Antes disso, em entrevista a um jornal de Santa Catarina, seu berço eleitoral, Ideli disparou críticas contra a Operação Lava Jato. A ex-ministra de Relações Institucionais do primeiro mandato de Dilma foi citada pelo réu delator Alberto Youssef, que disse que ela, assim como Gilberto Carvalho, tinham conhecimento do pagamento de propina a partidos políticos com dinheiro da Petrobras.

“Eu tinha um cargo em que eu me relacionava com todos os partidos do Congresso. Eu era ministra das Relações Institucionais da presidente Dilma. Agora, daí a fazer ilações, dizer que eu tinha conhecimento disso e daquilo… Outra coisa inadmissível: se fosse para levar a sério [a Operação], Youssef não poderia estar fazendo delação premiada nenhuma. Ele fez uma no [caso] Banestado, mentiu, não entregou todos os bens dos quais ele ilegalmente se apropriou naquele escândalo, e hoje está credenciado em uma nova delação premiada. Alguém que não cumpriu a regra não poderia ser beneficiado por uma delação premiada”, disse Ideli.

Para a ex-ministra, outros dois pontos na Lava Jato são “inadmissíveis”. “O primeiro é a perda da soberania brasileira, perda do interesse das empresas [em investir no país], que está em andamento. Coisa como o Ministério Público pedir aos Estados Unidos para investigar empresas brasileiras. Isso é inadmissível! Você pode imaginar o Barack Obama pedindo para outro país investigar uma empresa dos Estados Unidos? Isso nós deveriamos repudiar fortemente”, comentou.

“A outra questão é (…) você desmontar setores econômicos estratégicos do país. Por exemplo, nossas empresas de infraestrutura. Se teve algum diretor que cometeu irreguladidade, que ele seja punido, mas a empresa tem que continuar. Você tem que dar garantias”, endossou, reproduzindo o discurso da presidente Dilma.

Leia também:  Transparência Internacional denuncia retrocessos de combate à corrupção em governo Bolsonaro

Segundo Ideli, o Brasil ainda vive clima de terceiro turno. “Eu acredito que tem muito de não se conformar com o resultado das eleições, de não respeitar as regras. Para desmontar e retirar a governabilidade [de Dilma] e a viabilidade, inclusive, de um retorno de Lula em 2018, vale tudo. Vale quebrar o país, quebrar as empresas brasileiras, perder a autonomia e pedir socorro aos Estados Unidos. Isso não poderíamos admitir.”

Lula

Ideli ainda disse que enxerga as críticas duras do ex-presidente Lula sobre o PT como um empurrão para uma auto-crítica necessária a um partido que está no poder há tantos anos. “Eu entendo as plavaras do presidente nessa lógica, uma chacoalhada necessária para a gente se reavaliar e continuar contribuindo.”

Saída da SDH

Sobre a saída da Secretaria de Direitos Humanos, Ideli revelou que ficou surpresa quando soube da notícia, mas que a “presidente Dilma não dá ponto sem nó”. Segundo ela, estava tudo acertado para que, com a eleição de Luis Almagro (ex-ministro de Relações Exteriores de Mujica) para a secretaria-geral da OEA, o Brasil teria um cargo de destaque na nova equipe.

Com informações do Diário Catarinense

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

17 comentários

  1. Quando a história registrar

    Quando a história registrar que Ideli foi ministra do PT e depois ir pra O E A , os historiedores poderão confirmar a pobre e podre e  poítica petista.

              Eu gostaria de estar vivo,não estarei,mas meus netos estarão,pra explicar UM ,de centenas, dos descalabros petistas.

                Sem pensar, até pra petistas:

                   Quantos/ as são mais capacitados do que ela?

                      É UM ESCÁRNIO COM O PAÍS !

  2. A história conta que tivemos

    A história conta que tivemos 36 presidentes–É isso mesmo? Pouco importa o número deles.

          Alguém consegue dizer qual deles foi pior que Dilma?

    • Grande Dilma, grande

      Grande Dilma, grande presidenta, grande mulher. Vai brilhar nesse próximo encontro com Barack Obama.

    • Nem precisa pensar muito,

      Nem precisa pensar muito, fernando henrique cardoso, o fhc; criou um apagão após seis anos de desgoverno, fez um plano de segurança no qual a maior medida era iluminar melhor as ruas, tres meses depois as ruas foram apagadas pela crise; arrochou salarios, o desemprego era descomunal, vendeu empresas para pagar a divida, o dinheiro sumiu e a divida sextuplicou, deu aumentos irrisorios para o minimo,  os juros eram estratofericos, as mesnsalidades escolares era uma bagunça com uma mp por mes, não tinha financiamento estudantil ou para a casa propria, enquanto criou o proer e torrou bilhões para salvar bancos falidos, acabou com o programa nuclear brasileiro, e por ai vai, esse é imbativel – o pior dos piores.

    • Pior presidente do Brasil : FHC

      Bem, eu posso enumerar alguns de muitos presidentes que foram piores que Dilma: Comecemos pelo entreguista do patrimônio público FHC, na verdade, o pior de todos. Daí podemos falar em Collor, Sarney, os presidentes militares…..e por aí vai. Querer que seja ruim é uma coisa, ser mesmo é bem diferente. Fatos e estatísticas desmontam esta sua falácia.

  3. Rendição ?

    “… Para desmontar e retirar a governabilidade [de Dilma] e a viabilidade, inclusive, de um retorno de Lula em 2018, vale tudo. Vale quebrar o país, quebrar as empresas brasileiras, perder a autonomia e pedir socorro aos Estados Unidos. Isso não   poderíamos   admitir…”

    Culpados : José Eduardo Cardozo e Aloísio Mercadante…

  4. Os catarinenses agradecemos a

    Os catarinenses agradecemos a ausência da paulista em nosso território. O Berreiro a Procura de uma Ideia fez a mala, vai morar em Uóchintom, empregrou o ex-marido Eurides Mescolotto no BESC e está vivendo de boa para uma sindicalista do SINTE que com suas greves, um semestre sim outro também, tanto atrasou a educação no estado.

  5. Afirmações megalomaníacas em dúvidas insanas!

    Um presidente pior que a Dilma foi um certo Nero, metido a incendiário e anarquista, sério!

  6. Estamos aguardando pontos nos

    Estamos aguardando pontos nos nós Mercadante e Cardozo e não podemos admitir que o governo diga não poderiámos ao estado de golpe magistralmente montado

  7. Ideli, sei da sua história

    É pouca recompensa para uma vida de luta…

    Quem conhece Ideli sabe do seu historico de luta em favor dos trabalhadores de SC, principalmente a classe educadora do estado. Junto com Luci Choinaski, duas grandes referências de liderança, não só da classe femenina.

    Quem a critica, tirou alguma vez a bunda da cadeira para lutar por alguma coisa além de seus privilégios?

    Defender e alinhar-se aos que sempre ganham neste país de miseráveis é mole. Duro é caminhar na calçada da frente…

  8. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome