Cantareira tem nova queda e está com 5,9% da capacidade

Em quedas sucessivas há sete dias, o volume armazenado no Sistema Cantareira, principal reservatório de água da Grande São Paulo, chegou hoje (18) a 5,9% da capacidade. Desde o dia 16, não é registrada chuva na região dos reservatórios, de acordo com boletim diário da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). A média pluviométrica para janeiro é 271,1 milímetros (mm), mas o acumulado do mês é bem inferior, 60,1 mm.

Os demais reservatórios da região metropolitana de São Paulo também apresentaram queda. O Alto Tietê também registra níveis críticos, com 10,5% da capacidade de armazenamento. O volume do Guarapiranga, na zona sul da capital paulista, passou de 39,7% para 39,3% neste domingo. Houve redução ainda no Alto Cotia (de 29,4% para 29,1%), no Rio Grande (de 69,7% para 69,4%) e no Rio Claro (de 24,5% para 23,9%).

Nesta semana, o secretário de Saneamento e Recursos Hídricos de São Paulo, Benedito Braga, informou que as obras para a interligação do Sistema Cantareira com a Bacia do Rio Paraíba do Sul devem começar ainda este mês. Ele participou na sexta-feira (16) de reunião, em Brasília, com representantes da Agência Nacional de Água (ANA) e dos estados do Rio de Janeiro e de Minas Gerais.

Com a interligação, será construído um reservatório que bombeará água para o Cantareira. O projeto apresentado no ano passado pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, prevê a construção de um canal entre as represas Atibainha, que integra o sistema que abastece a Grande São Paulo, e o Reservatório Jaguari, um dos afluentes do Paraíba do Sul, principal fonte de abastecimento do Rio de Janeiro, que também abastece Minas Gerais.

Segundo o secretário, o processo de interligação não comprometerá o abastecimento do Rio de Janeiro e deve começar a funcionar em março do ano que vem. “A ideia é aumentar a segurança hídrica da Bacia do Rio Paraíba do Sul. Ou seja, vamos armazenar água nos reservatórios para que o Rio de Janeiro tenha segurança hídrica. Vamos interligar a Bacia do Rio Jaguari com o Sistema Cantareira para que São Paulo tenha segurança hídrica. Não há conflito nenhum”, declarou.

A ideia, conforme a proposta paulista, é construir um sistema de “mão dupla”. Ou seja, quando um dos reservatórios tiver excedente de água, o volume será enviado para a outra represa. A interligação, no entanto, enfrentou resistência do Rio de Janeiro, já que dois terços das águas do Rio Paraíba do Sul são desviados para garantir o abastecimento da região metropolitana do Rio.

O Paraíba do Sul, que nasce em São Paulo e atravessa os estados do Rio de Janeiro e de Minas Gerais, contribui para o abastecimento de 15 milhões de pessoas por onde passa.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

18 comentários

  1. Aos engenheiros de plantão (ou quem puder responder).

    Vá que realmente a água do Cantareira acabe. Quais serão as consequências imediatas? Haverá como sair do possível caos?

    • Não é mais um problema só de engenharia!

      Caro Evandro, me parece que para os meus colegas engenheiros de São Paulo (tem muitos e alguns muito bons) não caiu a ficha, e digo com todas as letras os maiores culpados por uma futura e altamente provável situação de CAOS são exatamente as organizações de Engenheiros do Estado de São Paulo e as Universidades.

      Se fosse aqui no Rio Grande do Sul eu já estaria me mobilizando com quem conheço para que fosse já decretado algo como estado de Calamidade Pública pelo governo Federal devido a inépcia do governo Estadual.

      O que se configura claramente com altissimo grau de probabilidade de ocorrência é uma falência do sistema de abastecimento público em São Paulo.

      Para que se faça alguma coisa que evite esta falência do Abastecimento Público em São Paulo seria necessário uma espécie de operação de guerra. Operação de Guerra no sentido de na eminência de uma situação catastrófica em São Paulo, possa se prescindir de licenças ambientais, concorrências públicas e outras medidas legais tomadas em situação normal.

      É necessário a realização de Obras Emergenciais, pois simplesmente uma falência no abastecmento público numa cidade como São Paulo pode virar um verdadeiro Inferno. São Paulo não está preparada para ações de combate ao desabastecimento que são levadas no Nordeste brasileiro, por exemplo, não há caminhões pipa nem pontos de captação próximos para soluções de emergência deste nível.

      Se forem optar por ações normais de captação na Bacia do Rio Paraíba do Sul estas obras não ficarão prontas antes que o caos se estabeleça.

      As manifestações de 2013, pelo não aumento da passagem se tornaram violentas, entretanto no caso da falta total de água (algo que se configura para breve) a violência das manifestações poderão atingir níveis de sublevação civil.

      A implantação de condutos, estações de bombeamentos provisórias são coisas que em dois meses em regime de emergência podem ser feitas, retirando água onde houver, porém em situações normais, discutindo com o comitês de bacia, obtendo licenciamento ambiental, realizando concorrências públicas, sendo impugnadas pelo ministério público e todos os acidentes de percurso faz com que uma obra emergencial se prolongue para mais de seis a nove meses (uma instalação emergencial, se for pensado numa instalação permanente com financiamento do PAC e outras firulas, vai para ano e meio).

      Claramente o que está ocorrendo em São Paulo é um ciclo de seca, que pode perdurar até cinco ou mais anos até que as temperaturas dos oceanos mudem, mudando a circulação atmosférica local).

      Agora porque culpo as associações de engenharia e as uviversidades? Simplesmente porque para que haja intervenção federal é necessário um apoio técnico forte que simplesmente mostre a população que é o único caminho.

      Eu já venho falando nisto há mais de seis meses, e na esperança que o verão fosse chuvoso não tomaram nenhuma providência, nesta situação se nenhuma obra deste tipo for feita e as condições meteorológicas se modifiquem por completo no mínimo quando começar o período de seca o caos estará criado.

      Está faltando responsabilidade de quem deveria tomar a peito esta ação, ou seja, os governos estadual e federal por rescaldo de uma campanha eleitoral acirrada, uma imprensa que não está pensando no tamanho do prejuízo que isto causará ao estado de São Paulo e ao Brasil simplesmente estão todos imobilizados.

      Guarde este texto, e releia-o daque a três meses, mas como diz um “personal Troll” que tenho nas minhas intervenções, sou um mero professor da província do RGS de Recursos Hídricos que trabalho no assunto há quase quarenta anos.

      • Neste contexto eu acredito que o imobilismo pode ter pausa

        Eu acho que o imobilismo acabaria mais rápido se a Internet ficasse fora do ar por 48 horas… rs… tem muita gente que fica 72 horas sem água, mas não fica 24 sem Internet.

        Mas não há dúvida de que a falta de água também poderá acarretar acontecimentos imprevisíveis.

        Lendo sua postagem eu me lembrei do romance Ensaio Sobre a Cegueira (Saramago).

         

  2. As obras prometidas – pas de panique ?

    As obras prometidas de interligação do Cantareira com o Paraiba, se realizadas, só ficarão prontas dentro de um ano e meio.

    Com a queda diária de 0,1 % no nível do Cantareira – hoje, domingo, com 5,9% da água que pode armazenar – teremos o sistema totalmente seco dentro de 59 dias.

    Serão mais de 4,5 milhões de moradores sem água alguma. Em meados de março próximo.

  3. Como tudo vira briga política…

    O caos se aproxima.

    Qualquer empresa ou indústria que dependa da água irá para o buraco este ano.

    A agricultura do estado de São Paulo nas regiões de seca mais intensa irá para o buraco também neste ano.

    O PIB do país que ainda depende muito de São Paulo afundará mais.

    Ações não foram realizadas no passado por incompetência.

    Ações não estão sendo realizadas no presente por causa da maldita briga política eterna. Afundarameos todos juntos, muitos brigando e culpando o outro ou o além.

    Já fomos chamado de República das Bananas, mas o que somos mesmo é uma república de bananas (*).

     

    (*) Indivíduos covardes ou sem iniciativas.

      • rdmaestri, você acredita

        rdmaestri, você acredita mesmo nisto?

        Eu gostaria de acreditar, mas não consigo. A não ser que seja alguma ação de pessoas com suas bundas confortavelmente coladas nas cadeiras espalhando hastags, clichês e comentários profundos como um pires, como o meu amigo Henrique clasifica, nas redes sociais para fazer de conta que se está exercendo/exercitndo/praticando a cidadania.

        As pessoas estão virando zumbis. Andam pelas ruas sem desviar os olhos de seus celulares para não perder nenhma fofoca ou discussão fútil. Está tudo dominado e sob controle dos donos das redes sociais. Só vai sair alguma coisa se eles quiserem e manipularem as pessoas como andaram testando no ano passado.

        E quem não está abduzido pelas redes sociais está abduzido pela imprensa decadente. Não questiona o que lê ou ouve. Imobilismo completo.

         

  4. O ex-ministro Bresser Pereira

    O ex-ministro Bresser Pereira andou dando declarações bem interessantes sobre, mas , e está aí a reeleição do Alkimim para não deixar mentir,  os paulistas estão aí para isso? É a natureza que anda pregando das suas!!…

  5. Sistema de mão dupla ? Como,

    Sistema de mão dupla ? Como, se o Cantareira está seco? Essa transposição tem de ser debatida com a sociedade para ser aprovada ou não. Qual o ganho do Rio com isso? Muito estranho o Pezão dar aval a isso sem nenhum debate.

  6. Não estão preocupados

    O que mais me preocupa é que não estão preocupados. Aparentam saber o que estão fazendo, aparentam saber como lucrar politica e economicamente com o caos. 

     

  7. Pela tranquilidade esboçaba

    Pela tranquilidade esboçaba pelo governador, tudo vai dar certo!

    O que poderá acontecer, é que os mais pobre ficarão sem água e terão que se mudar!

    Ai, os especuladores imobiliários adquirirão estes locais e quando a água voltar, vão lucrar com estes negócios!

    Ele está muito tranquilo…

    Vai sobrar para quem não tem voz…

    Já deixaram bairro alagados e a mídia os escondeu o quanto pode!

    O estoque de bala de borracha não acabou…

  8. Castigo Divino
    NÍVEL DOS RESERVATÓRIOS DE SÃO PAULOShare on email  Recomende por Email  Share on facebook Facebook  Share on twitter Twitter  

     

    Sistemas
    Rio Grande 0.0 mm
    Rio Claro 0.0 mm
    Alto Tietê 0.0 mm
    Cotia 0.0 mm
    Guarapiranga 0.0 mm
    Cantareira 0.0 mm

      Quantidade de chuva
      precipitada sobre os manan-
      ciais nas últimas 24 horas

      Fonte: SABESP

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    Enquanto o descaso com a Billings se prolongava, privatizaram a sabesp priorizando o lucro.

    E agora Jose?

     

  9. acabou

    A agua do Cantareira e dos demais reservatórios acabou faz tempo.

    A COTA ZERO FOI ULTRAPASSADA NO ANO PASSADO!!!!

    Zero! O que sai das torneiras (quando sai) é a raspa do tacho das poças que restaram.

    Os 5,9 %  NÃO EXISTEM !!! O que ainda resta é o lodo do fundo das represas. NÃO é agua potável !!!

    Ainda há muita gente que devido a falta de informação (criminosa) por parte do governo (Aidimim) estadual  e de sua imprensa partidária, continua gastando água como se não fosse faltar!  

    São irresponsáveis e estão todos loucos! Pior, na tentativa de se safar de suas responsabilidades vão por a culpa no LULA e na Dilma.

     

  10. Tô esperando sentado a Globo falar a verdade

    Tô esperando sentado a Globo dizer a verdade, ou seja, que a situação decorre da falta de investimento no setor

    Melhor esperar sentado, afinal de contas Geraldo não é do PT 

    Interessante se notar que no nordeste há agua, pq será….

    É de dar nojo ver os meios de comunicação de massa dando um jeito de fazer com que o povo de SP creia que não foi problema de gestão desse governador com jeitão de caipira mas que de bobo só tem mesmo o andado e  a fala mansa prá enganar os incautos…

  11. E daí?!Ninguém está ligando

    E daí?!

    Ninguém está ligando pra isso no tucanistão! Qual o interesse jornalistico disso? Estão todos lá preocupados com alguma “revanche” pro “apagão”!

    Deixa pra lá; eles lá acreditam que é tudo culpa do pt, do pt, do pt, mesmo…

    Como diz o “velho deitado”: o que não tem remédio, remediado está…..

    Não teve eleição melhor do que essa do Alckmin. Imagina se “caísse no colo” de qualquer outro?

    “Quem pariu mateus que o embale”…

    Conduza, Alckmin! Se for necessário o Brasil “passa o rodo”!

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome