Ciro vai à PUC debater alternativas para o desenvolvimento

Jornal GGN – Nessa quinta-feira (28), o presidenciável pelo PDT, Ciro Gomes, estará presente em um evento na Pontifícia Universidade Católica (PUC). Na ocasião, ele vai oferecer diagnósticos da crise política e alternativas para o desenvolvimento brasileiro. Também estarão presentes o professor do departamento de Política da PUC, Pedro Fassoni Arruda, e a professora do departamento de Economia da universidade, Mariana Ribeiro Jansen Ferreira.

No convite do Facebook para o evento, os organizadores já oferecem um diagnóstico preliminar da conjuntura política nacional. “Desde o período que antecedeu o golpe militar de 1964, o país não passa por uma disputa tão intensa de projetos de nação, que se divergem por suas essências ideológicas, mas se assemelham pelas suas faces intrinsecamente sistêmicas, demonstrando a ineficácia das instituições políticas brasileiras bem como a inoperância daquilo que é chamado de ‘governo de coalizão partidária’”.

Tudo isso agravado por uma crise econômica que aumentou a taxa de desemprego e o índice de inflação, derrubou a produção industrial e os resultados fiscais e orçamentários. “Todos esses fatores culminaram no rebaixamento do grau de investimento do Brasil por duas das três principais agências de risco do mundo e impuseram uma nova agenda de político-econômica ao governo brasileiro, baseada a partir de agora na austeridade e na redução dos gastos públicos correntes”.

Para os organizadores do evento na PUC, é fundamental criar um espaço de debate para discutir alternativas para o retorno do desenvolvimento.

“Todos esses acontecimentos, com a ajuda das redes sociais, são acompanhados de perto pela população, que desde 2013 vem se organizando em movimentos das mais variadas pautas, com maior assiduidade, protagonizando no Brasil as maiores manifestações de rua já registradas na história. Seja por milhares de pessoas reivindicando a redução do aumento da tarifa de transporte público, seja por greves de diversos setores, seja por manifestações contra ou a favor do atual governo. A questão principal é que a sociedade brasileira está retomando o ativismo político e há uma gama de interesses de movimentos que buscam o protagonismo, na tentativa de defender o que acham ser o melhor caminho a ser tomado pelo país”.

O encontro será realizado na quinta-feira (28), às 19h, no auditório Dom Paulo Evaristo Arns (117 A), na PUC, Rua Monte Alegre, 984, Perdizes, São Paulo. 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

8 comentários

  1. Não confio no Ciro Gomes, mas…

    … acho que a formatação de um programa econômico FACTÍVEL, DESENVOLVIMENTISTA, SOCIALMENTE INCLUSIVO E AMBIENTALMENTE RESPONSÁVEL é condição sine qua non para termos alguma chance de salvar o país da rataiada que ora se prepara para a predação às custas dos direitos sociais, da democracia, e da decência…

    • Ciro 2018

      O que me parece favorecer o Ciro Gomes neste momento é seu induvidoso caráter de nacionalista, em contraponto aos entreguistas que querem se aboletar no poder. Nao espero milagre.

      Ademais, como nunca acreditei em salvador da pátria, tal cidadão me parece, neste momento, a melhor opção para presidência, pois mesmo eu tendo votado no Lula e na Dilma, não votarei mais pela mentira deslavada das eleições de 2014, o que não significa dizer que sou favorável ao golpe que Temer et caterva pretendem perpetrar, pois para mim governo ruim se retira pelo voto.

  2. Mais um oportunista querendo se dar bem com a crise

    Programa desenvolvimentista e inclusivo com Ciro Gomes? Mas me lembro dele, na penúltima eleiçao, ter dito que se Aécio fosse candidato ele nao se candidataria pois ambos teriam o mesmo perfil. Mesmo perfil do Aécio? E dito por ele mesmo? Tô fora!

  3. Cyro não disse que não aceitaria o golpe? Onde ele se meteu?

    Seria bom, muito bom, que alguém aí de São Paulo que comparecesse a este evento, lembrasse ao Sr. Cyro Gomes que ele disse em uma entrevista gravada ao Paulo Henrique Amorim que caso houvesse o impeachment da Presidente Dilma ele seria o primeiro a sair às ruas para enfrentar os golpistas. Até agora, uma semana se passou e dele nada ouvi. Será que espera, numa posição oportunista, caso haja alguma reviravolta no processo e este processo se encaminhe para uma nova eleição, se candidatar ao trono de Brasília, deixando às calendas o que prometeu? 

  4. Mudança de rumo

    O candidato Ciro Gomes já demonstra ter mudado de pensamento sobre o impeachment. Ele já está no palanque há bastante tempo, querendo se apresentar como uma quinta via, já que temos os PT, PMDB, PSDB, e Rede com aspirantes a candidatos para 2018. Ao mirar nas próximas eleições Ciro confirma que para ele esse governo acabou antes da hora.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome