CPI do HSBC quer ouvir UOL e jornal O Globo

Jornal GGN – A CPI do HSBC, em sua primeira reunião, aprovou na quarta-feira um requerimento para realização de audiência pública com os jornalistas Fernando Rodrigues, do UOL, e Chico Otávio do jornal O Globo. O ex-secretário da Receita Federal, Everardo Maciel, também foi convidado. Os dois jornalistas foram convidados por serem os únicos no país a terem em mãos a lista de clientes do HSBC na Suíça, vazado por um ex-funcionário, em comoção mundial denominada SwissLeaks.

A CPI do HSBC teve início na terça-feira e vai investigar irregularidades praticadas pelo HSBC na abertura de contas, quando mais de US$ 204 bilhões foram ocultados do Fisco em mais de 100 países. Nesta lista a presença de 8.667 brasileiros, com estimativa preliminar de US$ 7 bilhões, aparentemente sem cumprimento das obrigações tributárias.

Na quarta-feira o senador Paulo Rocha (PT-PA) foi eleito presidente da CPI. A escolha do petista fez com que o jornal O Globo desqualificasse, em sua matéria, seu nome, colando ao senador que foi investigado no “escândalo do Mensalão”, mas sem lembrar que ele foi inocentado pelo STF pelo crime de lavagem de dinheiro quando ainda era deputado federal.

Com informações de O Globo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Nova cepa da covid é mais rápida e letal entre jovens

10 comentários

  1. Os jornalistas convidados por

    Os jornalistas convidados por certo estão se sentindo privilegiados, e não deixarão passar a oportunidade para serem mais vistos, enquanto suas armas serão a de grandes prosopopeia.

    Nunca acreditei em CPI nenhuma, e não será desta feita que vou perder meu tempo com isso.

  2. Se depender desses dois

    Se depender desses dois jornalistas o acesso aos nomes da lista do HSBC, pra que CPI?

    Os ricos sonegam imposto e o trabalhador é quem paga o rombo.

     

  3. HSBC: lista de raposas gordas

    Acerca da lista do HSBC, tenho me perguntado, e pensativa, preocupada se a sociedade já desconfiou das raposas gordas, crias dos oligopólios (marinhos & cia), que não diz uma só palavra sobre seus pupilos, artistas e grandes nomes do jornalismo da casa grande enfiados até a garganta na tal lista que beira os bilhões. Cadê a senhora Miriam Leitão com seus números diários? Cadê o senhor Sanderbeg com seus gráficos noturnos? Enfim, acham mesmo que somos todos burros, alienados, idiotas? A turma tucanata sem se fala, aliás — não falam. Emudeceram a casa grande. O país não tem um lado só. Tem muita coisa embaixo do tapete e ninguém quer varrer pra fora, —todos agarrados tomando conta do galinheiro.

  4. Vai desqualificar qualquer um

    Vai desqualificar qualquer um que ouse botar a Globo na roda. O jornalista deles, Chico Otávio, foi convocado como testemunha. Como réu, eles só admitem que seja convocado a dona Lilli, falecida viúva do dr. Roberto, presente na lista deles. Ôpa, ela está morta, não poderá ir. Assim como o Sergio Guerra, o unico tucanos denunciado pelo Moro, junto com o bode Anastasia, que não poderá ser processado na Lava Jato. Ele também está morto!

    Vai sobrar para a Maitê. Acho que a Globo decidiu isso, Nassif. Vai sacrificar suas celebridade decadentes e seus defuntos, até os mais célebres, a viúva do homem! Que falta de consideração

  5. Bom, evidentemente o

    Bom, evidentemente o monopólio sobre a lista do HSBC não vai poder ser mantido indefinidamente. CPI tem autonomia para requisitar documentos, e CPIs não tem o costume de agir “em segredo de justiça”.

    Provavelmente é por isso que O Globo começou a permitir que apareçam os primeiros nomes; é controle de danos. Já que a divulgação é inevitável, optaram por divulgar eles mesmos, para tentar resguardar pelo menos a imagem de “objetividade”.

    Quanto a nós, pelo visto continuaremos no rumo de desqualificar toda e qualquer possibilidade de romper o cerco político como mera manobra, desta forma agravando a situação. A vontade geral de destruição já nos contaminou, é preciso que comecemos a reagir contra o nosso próprio derrotismo, e a parar de, intimamente, desejar a destruição do regime democrático.

  6.  
     
    Dinheiro sujo do Suiçalão

     

     

    Dinheiro sujo do Suiçalão pagou campanhas do PSDB

    Por jornalista Miguel do Rosário

    postado em março 26th, 2015

    FONTE [LÍMPIDA!]: http://www.ocafezinho.com/2015

    FALA, MATUTO, hoje, ‘mais alegre do que pinto no lixo’!

    RISOS ESTONTEANTES!

    … Cambada DEMoTucana de corruptos!
    Salafrários hipócritas!
    Acoloiados ao um juizinho mequetrefe de primeira instância do Paraná do Albert(o) Yousseff &$ ao [fascista] PIGolpista tentaram mais uma vez consolidar o golpe jurídico-midiático ainda ora em curso desde o antanho do MENTIRÃO!
    Milhares de desempregados(as)!
    Pais e mães de famílias brasileiras!
    Nenhum escrúpulo!
    Nenhum gesto de piedade!
    Incompetentes para governar – e odiado pelo honesto povo trabalhador brasileiro – posaram como se fossem vestais impudicas!
    “Lote” de sacripantas!
    Tremeis, energúmenos criminosos: a hora de vocês está chegando!
    Conhecerão o degredo e a ignomínia de uma Papuda [mais do que merecida], infames ‘assassinos de reputação’ a soldo de interesses sórdidos e inconfessáveis!
    Aprendizes de ‘nacionalicidas’!…

     

    ######################

     

    “NUMDISSE”?!

    ########################

    EFEITO LAVA JATO: 250 MIL DEMITIDOS NA CONSTRUÇÃO

    Saldo negativo foi registrado nos últimos cinco meses e é o reflexo direto da investigação no setor econômico; segundo o ministro do Trabalho, Manoel Dias, a Lava Jato fez com que houvesse demissões em empresas que prestam serviços à Petrobras; se não bastasse, o deputado federal Raul Jungmann (PPS-PE), ex-ministro de FHC, entrou com representação questionando todos os acordos de leniência que possam ser firmados com a União; sem os acordos, a consequência será a quebradeira geral das construtoras brasileiras, tornando ainda mais aguda a crise no setor de infraestrutura; ex-governador paulista Alberto Goldman chegou a dizer, em artigo, que uma das condições para um eventual impeachment é a deterioração econômica; tucanos e aliados apostam no “quanto pior, melhor”

    26 DE MARÇO DE 2015 ÀS 19:58

    (…)

    FONTE:http://www.brasil247.com/pt/247/economia/174769/Efeito-Lava-Jato-250-mil-demitidos-na-constru%C3%A7%C3%A3o.htm

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome