Crise: do pesadelo criado pela imprensa ao verme fantástico

A crise política e econômica, que em breve explodirá numa crise social e militar, é um pesadelo criado pela imprensa brasileira financiada com dinheiro norte-americano. Os meus pesadelos noturnos ninguém precisa financiar.

Estou andando por uma rua terra lamacenta. Do meu lado esquerdo há uma cerca de madeira clara. Sinto uma fisgada na palma da mão direita. Com cuidado retiro uma farpa de madeira próxima do dedo indicador e jogo fora. Não lembro quando e onde o objeto se estranhou na minha carne.

Sigo adiante, mas não sei exatamente que rumo tomar. Nova agulhada na palma da mão direita. Retiro a outra farpa maldita que me incomoda. Mas desta vez não a jogo fora. Coloco-a na palma da mão e o observo.

Subitamente a farpa começa a se desenrolar até se tornar um objeto comprido e muito delgado com a largura de mais ou menos um centímetro e meio. Como se fosse um pedaço de papel de seda ao vento o objeto começa a se mover. Pernas pequeninas aparecem no ventre do verme plano e ele começa a andar na minha mão. Jogo-o longe.

O verme cai na cerca de madeira e caminha na mesma direção que eu. Paro e observo a ex-farpa que me feriu, ela vira para mim o que parece ser uma cabeça e diz magoada.

-Porque você me rejeitou?

Desperto sem uma resposta. Tudo aquilo que nós destacamos de nós mesmos, coisas e pessoas, são modos de ser da nossa personalidade. Acumulamos até o que nos fez mal. E nos sentimos chantageados pelo que aparentemente ainda quer ser nosso. Projeções de projeções…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome