Crise hídrica: segunda cota do volume morto será liberada, mas em parcelas

Jornal GGN – A ANA (Agência Nacional de Águas) aceitou que a Sabesp libere a retirada da segunda cota do volume morto do Sistema Cantareira em “parcelas” mas, impôs novas regras de captação para que a empresa do governo do estado de São Paulo não esgote completamente o sistema. Com estas regras a intenção da ANA é que o manancial chegue até abril de 2015 com pelo menos 10% da capacidade original. Na sexta, o n´nivel caiu para 3,9% da capacidade e, na prática, o manancial está cerca de 15% negativo. Leia a seguir.

do Estadão

ANA aceita liberar 2º volume morto do Cantareira em parcelas

FABIO LEITE – O ESTADO DE S. PAULO

Agência federal afirma que captação de mais água da reserva profunda é necessária por causa da seca, mas quer novas regras de retirada e estipula meta de recuperação do manancial

SÃO PAULO – A Agência Nacional de Águas (ANA) aceitou nesta sexta-feira, 17, liberar a retirada de água da segunda cota do volume morto do Sistema Cantareira em “parcelas sucessivas”, mas com novas regras de captação para que o manancial chegue ao final de abril de 2015 com pelo menos 10% da capacidade original. Nesta sexta, o nível dos reservatórios caiu para 3,9% da capacidade, considerando a primeira cota da reserva profunda, captada desde maio. Na prática, o manancial está cerca de 15% negativo.

Em ofício enviado ao Departamento de Águas e Energia Elétrica de São Paulo (DAEE), o presidente da ANA, Vicente Andreu, afirma que o uso do segundo volume morto, de 106 bilhões de litros, é “necessário em função da severa estiagem”, mas propõe que a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) apresente uma proposta da quantidade de água que precisará utilizar até o dia 30 de novembro “para que não haja risco de descontinuidade no abastecimento” da Grande São Paulo e da região de Campinas, onde cerca de 12 milhões de pessoas ainda são abastecidas pelo Cantareira. Segundo a empresa, a primeira cota deve durar até o dia 15 de novembro.

 

Nilton Fukuda/Estadão
Nesta sexta, os reservatórios estão com apenas 3,9% da capacidade dentro da primeira cota da reserva profunda

A liberação ocorre um dia após o Tribunal Regional Federal (TRF) derrubar uma liminar que proibia a captação da segunda reserva deferida pela Justiça Federal de Piracicaba a partir de uma ação movida pelos Ministérios Públicos Federal e Estadual. Ontem, eles anunciaram que vão recorrer da decisão. “O juiz analisou a competência, mas não o mérito da ação. O fato é que os órgãos gestores não estão se entendendo na condução da crise, e a situação está se agravando”, disse o promotor Rodrigo Garcia. 

A Sabesp conta com a segunda reserva para manter o abastecimento até março de 2015 sem decretar racionamento oficial. A ANA, contudo, quer que a Sabesp reveja o planejamento apresentado no projeto de operação do Cantareira enviado na semana passada. Segundo Andreu, o volume de água que tem entrado nas represas está 3,8 vezes abaixo do utilizado pela Sabesp em suas projeções. 

Ele defende que a companhia retire uma quantidade de água condicionada ao volume de entrada para que o manancial chegue ao final de abril de 2015, quando começa o próximo período de estiagem, com ao menos 10% da capacidade, mesmo índice de abril deste ano. Essa meta também estava na liminar que foi derrubada pela Justiça.

A proposta da Sabesp previa em seu pior cenário que o Cantareira chegaria ao final de abril com -5% da capacidade e a manutenção do volume retirado em 18,5 mil litros por segundo por seis meses, a partir de novembro. Caso o DAEE concorde com a proposta da ANA e a seca continue nos próximos meses,, a Sabesp terá de reduzir sua captação para atingir a meta, o que pode provocar mais falhas no abastecimento de água da Grande São Paulo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

6 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Frederico69

- 2014-10-18 23:53:13

em pouco tempo

quando acabar a agua vão anunciar que iniciou o racionamento!!

Ivan de Union

- 2014-10-18 16:07:42

"A ANA liberou com quais

"A ANA liberou com quais exigências?":

As decorativas.

E nem teve outra escolha:  nao ha agua suficiente pra se fazer exigencia qualquer sem o Sabesp cortar a agua e acusar o governo, antecipando a revolta popular em Sao Paulo que todo mundo esta esperando pra quando a agua deles acabar de vez.

jc.pompeu

- 2014-10-18 15:42:48

"Crise hídrica: segunda cota

"Crise hídrica: segunda cota do volume morto será liberada, mas em parcelas"

então tá muito bem explicada a causa preponderante da crise hídrica de são paulo que já começa a se espalhar por outras regiões do país...

o gatilho causante da crise hídrica paulista com o risco de ser nacional é a macropolítica de cotas paratudo e paratodos implantada pelo dinástico governo lulopetista-dilmista!

 

Dulce (Madame X)

- 2014-10-18 14:23:29

Se o "primeiro volume" já era

Se o "primeiro volume" já era pastoso...o segundo será "bebido de garfo e faca".

Não endendí ainda...

Se na época do apagão de FHC, "tinha mais água do que agora", porque é que NÃO temos apagão AGORA? Áí meu "tico", responde a meu "teco": É que no governo Dilma TEM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA". Ahhh, então S.Paulo deveria agradecer, não é mesmo? "Xápralá"! 

Nicolas Crabbé

- 2014-10-18 14:07:09

E depois?

Quais são as consequências se o DAEE concordar mas a Sabesp não respeitar as condições impostas? Nenhuma,como sempre, a não ser o agravamento da crise em 2015.

Quem sofre é a população, iludida por um político irresponsável, que transmite uma imagem de competência e seriedade diametralmente oposta à sua capacidade de gestão, com o auxílio escancarado da grande imprensa.

emerson57

- 2014-10-18 13:18:31

divulgação

É necessário um mínimo de inteligência.

Deu de "mão beijada" ou...A ANA liberou com quais exigências?

Por acaso pediu uma extensa divulgação do ato na mídia?

Impôs exigência de campanha em toda mídia pedindo economia de guerra e dando a real noção ao povo da situação dos reservatórios?

Condicionou a exigência de divulgação da farta documentação da própria Sabesp recomendadando o racionamento no início do ano e as anteriores desde 1999 que previam o colapso do sistema?

Ou já escolheram o culpado pela crise, não outro que não o santo comunista São Pedro mancomunado com o diabo em pessoa o LULA?

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador