“Está na hora do presidente sociólogo e o presidente operário conversarem”, diz Marina

Jornal GGN – A ex-candidata a presidente da República, Marina Silva (Rede), disse em entrevista ao blog do Matheus Leitão (G1) que para buscar saídas para a crise, os ex-presidentes Lula (PT) e Fernando Henrique Cardoso (PSDB) deveriam se aproximar. De acordo com reportagem publicada nesta sexta (13), Marina afirmou que Lula e FHC “tê força para frear o agravamento do cenário” de instabilidade política que permeia o governo Dilma Rousseff.

“Está na hora de o presidente sociólogo e o presidente operário conversarem. Se foi possível Fernando Henrique conversar com ACM, se foi possível Lula conversar com [José] Sarney, [Fernando] Collor, Renan [Calheiros], Jader Barbalho e Eduardo Cunha, por que não é possível conversarem dois ex-presidentes da República para que possamos viver os últimos suspiros da polarização?”, questionou a ex-senadora, que apoiou o então candidato Aécio Neves (PSDB) contra Dilma, no segundo turno presidencial de 2014.

Ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva ainda comentou a tragédia causada pelo rompimento das barragens da mineradora Samarco, em Mariana, Minas Gerais. Segundo ela, a negligência, a ser investigada, gerou um “dano incalculável”. E além da responsabilidade da empresa Samarco e de suas controladoras – a Vale e a australiana BHP Billiton -, é necessário apurar, também, o papel do poder público em meio a tragédia.

“Pode até se fazer um cálculo do prejuízo causado à biodiversidade, ao patrimônio histórico, enfim, à cidade, mas tem algo ali que é incalculável e onde reside a maior denúncia de descaso, porque é irreversível. Você pode reconstruir uma cidade, mas não reconstrói vidas”, disse ela.
Leia a entrevista completa aqui.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora