Fake news em ação: a tentativa de assassinato de reputação de Marielle Franco, por Cesar Cardoso

Fake news em ação: a tentativa de assassinato de reputação de Marielle Franco

por Cesar Cardoso

A semana passada foi absolutamente extraordinária. Desde a execução de Marielle Franco, quarta à noite, as peças do jogo se moveram e se movem numa velocidade estonteante. E, além de tudo, ganhamos um inestimável presente: um estudo de caso de surgimento e contágio de fake news.

Sexta-feira, 16 de março. O Brasil acorda ainda impactado pelo extraordinário 15 de março, em que a onda de indignação com a execução da vereadora botou a aliança golpista na defensiva, talvez pela primeira vez desde o impeachment.

Rapidamente aparecem dois vetores de fake news: uma desembargadora do Rio de Janeiro, conhecida por declarações que cobrem todo o espectro de preconceito possível e imaginário, e um deputado federal, líder da “bancada da Taurus” e com uma extensa ficha corrida. Espalham fake news sobre as relações pessoais e os mapas de votação de Marielle Franco, usando “provas” photoshopadas da maneira mais grosseira possível, gerando material para sites que fazem a formatação de fake news gerarem as manchetes espalhafatosas que todo bom fake news precisa ter.

A partir daí, os grandes distribuidores, como o infame MBL, assumem o controle: espalham a matéria do site de fake news, sabendo que será pesadamente compartilhada no Facebook, no Twitter e no Whatsapp, além de gerar material para vídeos no Youtube que, graças ao trabalho dos robôs, chegarão num piscar de olhos aos vídeos em alta.

Leia também:  OAB: Nota sobre denúncia do jornalista Glenn Greenwald

O objetivo é alcançado: a conversa em torno de Marielle é envergada para o lado que os criadores das fake news. As pessoas-bomba já podem sair de cena: a desembargadora até tenta se manter um pouco mais em cena, provavelmente enquanto não consegue um futuro para seu grupo fechado no Facebook, mas o deputado federal desaparece de todas as redes.

Temos um exemplo vivo, quase de manual, de como as fake news funcionam: como surgem, para que surgem, como se espalham etc e tal.

Agora é ver se a força-tarefa montada por TSE, MPF e PF está mesmo interessada nisso.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

9 comentários

  1. É evidente que falta alguma

    É evidente que falta alguma coisa nessa análise. Nem a desembargadora nem o deputado são os criadores das fake news; eles apenas reproduzem material a que tiveram acesso – e sendo analfabetos em termos de uso de redes sociais, o fazem sem nenhuma verificação a respeito do que estão reproduzindo.

    Claro que eles passam a partir daí, devido aos cargos que ocupam, a ser a referência para a boataria. Mas alguém inventa essas coisas antes, e repassa a essas figuras depois – provavelmente para que tenha esse exato efeito.

    Quem inventa? Possivelmente o MBL ou alguma outra facção similar, ou algum grupo interno a uma delas. Nas piores hipóteses, alguma organização clandestina voltada exclusivamente a esse tipo de atividade, talvez até algum “esquadrão da morte”, alguma empresa de consultoria tentando manipular o mercado, ou os próprios serviços secretos das instituições repressivas.

    • Re ultimo paragrafo, nem eu

      Re ultimo paragrafo, nem eu nem ninguem mais tem qualquer objecao DESDE QUE o deputado e a juiza fornecam la LINKS DE REFERENCIA.  Que nao vao aparecer porque ambos deputado e juiza SAO FAVORAVEIS a fake news.

      Eles estao explicitamente a favor.  Esse eh o problema.

    • Re ultimo paragrafo, nem eu

      Re ultimo paragrafo, nem eu nem ninguem mais tem qualquer objecao DESDE QUE o deputado e a juiza fornecam LINKS DE REFERENCIA.  Que nao vao aparecer porque ambos deputado e juiza SAO explicitamente e favor de noticia fake.

    • Vetores e pessoas-bomba

      É evidente que falta alguma coisa nessa análise. Nem a desembargadora nem o deputado são os criadores das fake news; eles apenas reproduzem material a que tiveram acesso – e sendo analfabetos em termos de uso de redes sociais, o fazem sem nenhuma verificação a respeito do que estão reproduzindo.

      Sim, por isso os chamei de ‘vetores’ e ‘pessoas-bomba’.

      E não acredito que o MBL tenha criado essa campanha de assassinato de reputação contra a Marielle. Foi gente mais graúda. BEM mais graúda.

  2. O caso Mariele deixa claro

    O caso Mariele deixa claro para qualquer um quem produz e dissemina as fake news.

    Deixou claro também como são péssimos, lamentáveis parte de nossos agentes públicos, que deveriam ser demitidos a bem do serviço público ou “impeachados”..

    Mostrou ainda o quão fascista é parte de nossa sociedade: no seu circulo social os mesmos de sempre se apressaram em desacreditar Mariele disseminando fake news e muito ódio e preconceito. São sempre as mesmas pessoas, os mesmos tipos, muitos deles “temente” a Deus, com fotos em Aparecida, avatar de “Me cubra com seu manto de amor” e etc.

  3. O Psol criou um grupo que vai

    O Psol criou um grupo que vai combater as fakenews que pretendem difamar a Marielle. Inclusive com processo judicial.

    Esse caminho judicial é duvidoso, já que sabemos agora como é a cara do nosso judiciário. Mas até, devido à repercussão mundial do caso, pode ser que a desembargadora ou um ou outro sejam punidos (ficar de castigo por uma semana?)

    O problema é o pig, quando pega o que falou a desembargadora e coloca em manchete “Desembargadora acusa verreadora de assossiação com o comando vernelho”. Se voce lê o texto, o que quase nunguém faz, fica claro que é uma acusação leviana e sem base nenhuma. No entanto a dúvida já se instaura na cabeça de muita gente boa.

    O Psol vai ir contra essa estratégia piguenta manjada também? E se for, vai adiantar? Não, porque é “censura à liberdade de imprensa”. O inofensivo pig apenas “deu a notícia”. Dona Carminha já falou: “Cala boca já morreu, (quem manda aqui sou eu)”

  4. Eles sabem de onde partem a maioria das noticias falsas

    Eu cheguei a pensar que apos a Odete Roitmann nunca mais veriamos os fascistas se pronunciando em publico com tanta desenvoltura… Mas eis que o odio fomentado ao partido dos Trabalhadores deu asas a toda essa malta que nunca gostou do Brasil muito de ser brasileiro e que se sai com cada pérola….

    Qualto a PF tomar alguma atitude contra as mentiras disseminidas pela desembargadora, acho muito dificil. Isso foi criado apenas para perseguir os mesmos de sempre.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome