Futuros ministros e outros homens comandam transição de Bolsonaro

Os nomes dos 27 indicados foram publicados no Diário Oficial: são todos homens, entre eles alguns futuros ministros, que receberão entre R$ 2.585 a 16 mil reais


Foto: Divulgação/Band

Da ABr

Parte da equipe de transição do governo já está nomeada. A lista com os 27 nomes já escolhidos pelo presidente eleito Jair Bolsonaro foi publicada hoje (5) em edição extra do Diário Oficial da União (DOU). Inicialmente, foram definidos 22 assessores, depois incluídos mais cinco que vão atuar sem remuneração. Até o fim desta semana, outros nomes deverão ser agregados.

Bolsonaro pode indicar até 50 pessoas para sua equipe de transição. Na lista, estão alguns nomes já confirmados como futuros ministros, como o economista Paulo Guedes, que vai comandar o superministério da Economia  – que une Fazenda, Planejamento e Indústria, Desenvolvimento e Comércio Exterior.

Também compõem a equipe de transição o general da reserva Augusto Heleno Ribeiro Pereira, que assumirá a Defesa; além do astronauta Marcos Pontes, que irá para Ciência e Tecnologia. O advogado Gustavo Bebianno, que estava interinamente como presidente do PSL e um dos principaiscoordenadores de campanha de Bolsonaro, é outro nome que aparece na lista de nomeados.

Lista

Confira os outros integrantes da equipe de transição:

Marcos Aurélio Carvalho, Paulo Roberto, Luciano Irineu Carvalho, Paulo Antônio Spencer Uebel, Arthur Bragança de Vasconcellos Weintraub, Gulliem Charles Bezerra Lemos, Eduardo Chaves Vieira, Roberto da Cunha Castello Branco, Luiz Tadeu Vilela Blumm e Carlos Von Doellinger.

Leia também:  O "especialista" no qual Bolsonaro se baseou é dono de um campo de golfe nos EUA

Também foram nomeados hoje Bruno Eustáquio Ferreira Castro de Carvalho, Sérgio Augusto de Queiroz, Antônio Flavio Testa, Carlos Alexandre Jorge da Costa, Paulo Roberto Nunes Guedes, Waldemar Gonçalves Ortunho Júnior, Abraham Bragança de Vasconcellos Weitraub, Jonathas Assunção Salvador Nery de Castro e Ismael Nobre.

De acordo com o Diário Oficial da União, os seguintes assessores não terão remuneração Alexandre Xavier Ywata de Carvalho, Pablo Antônio Fernando Tatim dos Santos, Waldery Rodrigues Júnior, Adolfo Sachsida e Marcos Cintra Cavalcanti de Albuquerque.

Transição

A equipe de transição será coordenada pelo ministro extraordinário Onyx Lorenzoni, já confirmado para a Casa Civil no governo eleito. Segundo ele, além dos 22 nomeados e cinco assessores, até o final desta semana, a equipe deverá sem ampliada com a indicação de novos integrantes, além da cessão de técnicos e servidores de outras áreas, bem como a designação de mais pessoas para compor a transição de forma voluntária.

Todos os nomeados serão automaticamente exonerados dez dias após a posse de Bolsonaro. Os integrantes da equipe de transição poderão dispor de um telefone celular com acesso ao sistema que servirá como base para o governo eleito.

A plataforma, chamada Governa, já é utilizada para troca de informações entre os ministérios. A equipe de transição terá acesso irrestrito às informações das pastas, como dados sobre o governo atual e o que se planeja para 2019 com base no Orçamento previsto para o ano que vem.

5 comentários

  1. Moro o Big Brother

    Moro declara que o cargo dele é técnico e não politico. Será que ele quer enganar quem? Ou ele é um analfabeto que não sabe distinguir uma coisa de outra ou é um tremendo enganador querendo fazer-nos de bestas. Ora, um cargo como o dele que envolve vários ministérios o que não falta é politica. No fundo Moro detendo o nível de informação que ele detém a respeito de delatores condenados e não condenados, politicos  amigos e inimigos, presidentes, ministros etc. jamais poderia ocupar essa função que ele vai ocupar. Imaginem o que ele não poderá fazer se assim o desejar com essas informações secretas e privilegiadíssimas?

  2. Estrutura de governo

    A estrutura do governo é que dará o suporte físico, intelectual e emocional para que o presidente possa desenvolver a contento sua presidência.

    O Lula desprezou solenemente qualquer estrutura, se deu por satisfeito com sua personalidade concentradora de poder, a Dilma também nunca percebeu que sua falta de autoridade estava ligada diretamente a isto.

    Nos USA, onde eles não são bobos e na China com uma escola de administração pública de 5000 anos não se dá este vacilo.

    Se a equipe não perceber que sem uma estrutura que tenha unidade, univocidade e lógica irá soçobrar mesmo antes do início do governo, perdida em discussões estéreis como a de que se anexa ou não o ministério do meio ambiênte ao da agricultura, bobagem sem tamanho, discussão sem sentido, pois o nome do ministério é o que menos importa e sim como ele lida com um aspecto único e fundamental do Estado Brasileiro.

    Compor, nas palavras sempre precisas do Aristóteles é a arte de achar e representar a diversidade dentro da unidade.

    A composição dos ministérios do Governo TÊM  de obedecer a isto, salvo se deseje o fracasso.

    Como compor os ministérios, moleza, são 14 ministérios  mais um que os coordena e que está diretamente ligado ao presidente, estes ministérios terão 72 secretarias, obedecendo a geometria, ao tarot e a astrologia, existem outras ferramentas para este mister, mas estas três têm uso continuo na face da terra há milhares de anos e estão para lá de comprovadas na sua eficiência.

    Presidente, não reinvente a roda e boa sorte!

    • inventar a roda? é sobre o tamanho do marrete…..

      Na terra do tio sam, sabem que uma tempestade/tufão pode ser monitorada sem no entanto evitar os efeitos destrutivos, todo o resto é torcida.

      Falta achar um lugar seguro…

  3. Tem o Onyx Lorenzoni. Um

    Tem o Onyx Lorenzoni. Um boçal, imbecil, incompetente que passou a vida toda colocando a culpa no PT por tudo  de ruim que acontecia no Sistema Solar, desde a queda das Muralhas de Jericó até a Guerra na Síria, passando pelo Holocausto Nazista.

    Pra ele até o Big Bang é culpa do PT.

    É um dos seres mais primitivos e estúpidos gerados pelos pampas gaudérios, essa terra abençoada pelo CTG, Grenal e a farta burrice cultivada pela RBS.

    Só por aí se vê que não tem como dar certo. 

    Quero ver quem ele vai culpar depois que coisa desandar. 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome