Gilmar autoriza investigação sobre Aécio, Paes e Clésio

Jornal GGN – Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou abertura de novo inquérito para investigar o tucano Aécio Neves, hoje senador e candidato derrotado nas eleições presidenciais de 2014. Na decisão, são incluídos nesta investigação, o ex-deputado e atual prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB) e o ex-governador de Minas Gerais, Clésio Andrade, também do PSDB. O pedido de investigação foi feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

O que norteia esta investigação é um dos depoimentos de delação premiada do ex-senador Delcídio do Amaral. Segundo ele, na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correiros, que ocorreu em 2005 para investigar denúncias da Ação Penal 470, o processo do mensalão, o tucano Aécio Neves, que era governador de Minas Gerais, “enviou emissários” para que não fossem feitas quebras de sigilos de pessoas e empresas investigadas, entre elas estariam o Banco Rural.

De acordo com Delcídio, um desses emissários seria Eduardo Paes, que era na época o secretário-geral do PSDB. Ainda conforme o relato, o relatório final da CPMI foi aprovado com “dados maquiados” e os emissários tinham conhecimento de todos os fatos e passos, ou seja, Paes e o deputado-federal Carlos Sampaio, do PSDB e um ferrenho defensor do impeachment da presidente eleita e não citada.

“Outros parlamentares também sabiam que esses dados estavam maquiados, podendo citar os deputados Carlos Sampaio e Eduardo Paes, já mencionado, dentre outros que não se recorda. Esses fatos ocorreram em 2005/2006. Esse tema foi tratado com Aécio Neves em Belo Horizonte, no palácio do governo”, está no bojo da delação do senador.

Carlos Sampaio foi incluído no pedido da PGR para as investigações, mas o ministro Gilmar Mendes entendeu que não deveria pois, mesmo citado na delação de Delcídio, seria uma inclusão prematura.

Leia também:  A noite em que a família Caetano pediu Lula Livre e os argentinos, a saída de Macri

O argumento do ministro foi que “Delcídio do Amaral limitou-se a dizer que o parlamentar tinha ciência da omissão das informações financeiras. Não há narração de qualquer contribuição ativa de Carlos Sampaio para os fatos. Tampouco há uma explicitação da razão que levou Delcídio do Amaral a crer que Carlos Sampaio efetivamente tinha conhecimento dos fatos”, argumentou o ministro.

Esse pedido de investigação foi feito pelPGR desde o dia 4 de maio. Aécio Neves, do PSDB, disse em nota nunca ter interferido nas investigações da CPMI. O candidato derrotado nas eleições presidenciais de 2014 declarou que os esclarecimentos a serem prestados demonstrarão de “forma definitiva a improcedência e o absurdo de mais essa citação feita ao seu nome pelo ex-senador Delcídio”. Reza a nota que o senador jamais interferiu ou influenciou nos trabalhos de qualquer CPI e quanto mais “isentas e céleres” sejam as investigações, mais rápido os fatos serão esclarecidos.

Por seu turno, Clésio Andrade declarou não se pronunciar por não ter conhecimento da decisão. Mas afirmou que as “delações parecem cumprir outra missão”, como “servir de instrumento de desequilíbrio político”.

Eduardo Paes afirmou estar à disposição da Justiça para prestar esclarecimentos e também disse que Aécio Neves nunca pediu qualquer benefício nas investigações da CPI dos Correios.

Outra investigação, outra citação

Aécio Neves, do PSDB de Minas Gerais, também é alvo de outra investigação no Supremo autorizada, depois de alguns percalços, pelo ministro Gilmar Mendes. Nesta investigação, Janot relata alguns crimes que teriam sido cometidos pelo senador tucano em Furanas, empresa subsidiária da Eletrobras. O pedido em questão também está baseado em declarações de Delcídio do Amaral, que afirmou que o tucano mineiro receberia “pagamentos ilícitos” pagos pelo ex-diretor de Furnas, Dimas Toledo.

Leia também:  TV GGN: A parceria entre procuradores e advogados contra a Petrobras, por Luis Nassif

No caso da investigação de Furnas, Aécio Neves divulgou nota semana passada dizendo compreender o papel do Ministério Público em dar prosseguimento às investigações, “mas que tem convicção de que sua inocência será provada”. “Tenho a absoluta convicção de que, ao final, ficará provado mais uma vez a minha inocência, como já aconteceu no passado, o que levou, inclusive, ao arquivamento dessas mesmas acusações”, disse a nota de Aécio.

(Com informações da Agência Brasil)

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

15 comentários

  1. Gaiola de Faraday
    Aético, desde os tempos do avô, vive protegido por alguma coisa que me lembra o experimento científico físico denominada gaiola de Faraday: dentro dele não entra nada, nem sinal de celular ou rádio, nem mesmo raios de 100kV….
    Podem investigar a vontade. ..
    Como diz Mano Brown:_ não pega nada!!

  2. Gaiola de Faraday
    Aético, desde os tempos do avô, vive protegido por alguma coisa que me lembra o experimento científico físico denominada gaiola de Faraday: dentro dele não entra nada, nem sinal de celular ou rádio, nem mesmo raios de 100kV….
    Podem investigar a vontade. ..
    Como diz Mano Brown:_ não pega nada!!

  3. É desalentador, sabermos de
    É desalentador, sabermos de antemão que, as investigações que têm como alvo próceres do PSDB, PMDB, DEM, PPS e seus partidos satélites, se exaurirão sem que sejam condenados alguns dos envolvidos em atos que denotam corrupção.
    O Brasil virou, e isso não é novidade, uma República da hipocrisia. Centrão na política, centrão na polícia, centrão no MPF, centrão no judiciário, além de uma mídia sem compromisso com a verdade factual.
    Parafraseando um presidente de triste memória: com essa conjuntura a salvação é um tiro no côco.
    Transformaram o Brasil numa “casa de tolerância”, tendo Temer como gerente, o Congresso como fornecedor de serviços e os outros poderes meros consumidores dis serviços ofertados.

  4. Clésio: o poderoso chefão II

    Depois de Aético, Clésio é o segundo gangster da máfia demotucana de Minas. Um trilhardário que se enriqueceu através da corrupção e da politicagem. Um grande quadrilheiro tucano.

  5. Os políticos estão brigando

    Os políticos estão brigando um contra o outro e ainda não entenderam o jogo.

    Ou barram o Janota e a LJ ou essa turma vai acabar com o País.

    E ai não haverá mais volta.

  6. Chata, mas sem galocha

    Fiquei um tempo olhando para essa chamada e pensando qual dentre os Paes da politica seria esse? E Clésio, que diacho de Clésio sera esse ? Cês exageram, hein 🙂

    No mais, quero ver se essa tal investigação é real ou para petista ver.

  7. Em 2005, Alvaro Dias entao

    Em 2005, Alvaro Dias entao Senador do PSDB,  alardeou pelo Parana afora, que o PT recebeu dinheiro para barrar a CPI dos Correios. Agora esta provado que foi o Aebrio Neves e PSDB.

  8. Se nem o Gilmar consegue

    Se nem o Gilmar consegue segurar é por que o pentacampeão da delação, Aécio “perdeu playboy” Neves está ferrado mesmo. Em vista disso, por falta de candidato, os tucanos não vão querer eleição já, daí o Gilmar jogar o julgamento do TSE para ano que vem.

    Outra coisa é que está ficando claro que a delação do Delcídio pega mesmo é a tucanagem. Paes entrou nessa porque era do PSDB na época. Aquela fuzuê entorno do “Dilma e Lula sabiam” que aprofundou a crise, dando margem à quase prisão do Lula e turbinando o impeachement, foi manipulação golpista pura e simples. 

    É bom lembrar que o cado ainda estava nas mãos seletivas da república do Paraná. Agora que está no Supremo, sob o crivo menos partidário do Teori, o Delcídio viu que para ser beneficiado teria que delatar à vera, ou seja, não para as manchetes do pig. 

  9. Hmmm…
    Limparam o caminho

    Hmmm…

    Limparam o caminho para as investigações talvez se livrando de provas contra Aécio? Porque tempo para isso houve.

    Aposto que não vão achar nada de muito relevante contra ele, se acharem. Gilmar é parte interessada inclusive nas investigações sobre Furnas, onde aparece como suposto recebedor de propinas.

    A tabelinha entre Janot e GM também foi muito estranha. Ano passado Janot não encontrou nada que pudesse enquadrar Aécio. Esse ano reabriu o caso, só que Gilmar desautorizou as investigações. Agora GM autoriza. De lá até agora se passou muito tempo. Estranho a tomada de decisão de GM depois de tanto tempo.

    Talvez essa seja uma forma de demostrar imparcialidade, tornando Aécio um boi de piranha. E também uma forma de livrar a cara dele, influenciando nas investigações. Acho que tem mais coisa aí no meio dessa história.

    O graúdo mesmo é José Serra. E, obviamente, tem o dedo dele nessa história. Nessa disputa entre o PSDB mineiro e o paulista, Aécio não tem a mesma esperteza de Serra.

    E, novamente, somos pautados pela grande imprensa. Novamente, os furos e o grosso do noticiário estão nas mãos do PIG.

    • Tambem acho camarada, para

      Tambem acho camarada, para mim é tudo um grande jogo de cena, “eu finjo que te investigo e você finge que acredita.” E assim caminhará a grande imprensa golpista dando sustentação a essa versão do seriado CSI – Brasil.

  10. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome