Governo admite chantagem em recursos de Estados


Foto: Planalto
 
Jornal GGN – O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, mostrou, nesta terça-feira (26), o tom das negociações que fará na articulação junto a deputados e senadores pelos interesses de Michel Temer: governadores que precisarem de recursos federais, repasse que é uma das obrigações do Orçamento do país, terão que ajudar o Planalto a aprovar a reforma da Previdência.
 
O tática já é comum nas estratégias para governar do mandatário peemedebista. Desde que assumiu a poltrona do Planato, Temer adota o que chama de “troca de favores” para obter apoio, seja no arquivamento do processo de impeachment na Câmara dos Deputados, seja na aprovação de todas as pautas de seus interesses. 
 
No outro lado da moeda, o presidente libera recursos na forma de emendas parlamentares, promete cargos de primeiro, segundo e terceiro escalão, articula “pacotes de bondades” com diversas medidas que ajudam os parlamentares e, mais recentemente, também inclui benesses eleitorais, como tempo de propaganda a partidos aliados, etc.
 
Mas, ainda, dentro dos “benefícios” concedidos aos fieis aliados de Temer, além dos recursos públicos gastos com as promessas elencadas acima, o peemedebista também faz chantagem com temas que não são somente interesse como, muitas vezes, necessidade dos alvos.
 
É o caso, agora, da liberação de Caixa aos governos estaduais que passam por crises financeiras, medida que deve ser feita sob a análise de risco para as entidades federativas e não como barganha política. 
 
Um de seus principais aliados que foi alçado ao comando da Secretaria de Governo, Carlos Marun, admitiu ontem que o governo de Michel Temer irá condicionar sim a liberação dos recursos ao “apoio” dos governadores. Como o interesse atual é na reforma da Previdência, os governadores precisarão apoiar e articular bases se quiserem salvar as contas de seus Estados.
 
De acordo com Marun, os financiamentos liberados pela Caixa são “ações de governo” e, portanto, submetidas às análises de Temer: “deve ser discutida alguma reciprocidade”, afirmou o articulador do governo.
 
 
 
 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

17 comentários

      • com certeza…

        e não só em poesia podemos dizer que o amor verdadeiro é o porto de cada uma delas………………….

        adoro todas……………………………….

        uma vez saí do lado mental e me aventurei nestas realidades do coração…………………………..

        antes de voltar deixei escrito algo assim:

         

        mulher!?

        apenas um corpo

        gaba-se um solitário e infeliz marinheiro – eu

        refém desse mar revolto

        sem porto

         

        sem porto seguimos cegos

        e nossa luz

        o som da mente dos que ficam, do amor verdadeiro, das preces

  1. Ainda há pessoas contra a

    Ainda há pessoas contra a reforma da previdência? Precisa comprar pra aprovar ?

    Quem são eles ?

    Ia mandá-los pra outo planeta.

    Mas duvido que há um planeta mais atrasado do que a Terra.

    Que é o inferno máximo de todos os planetas.

       Fim de linha.

    • “Ainda há pessoas contra a

      “Ainda há pessoas contra a reforma da previdência?”

      Sim. A imensa maioria da população brasileira, particularmente quem vive de salário e terá de um dia se aposentar ou morrer trabalhando.

      “Precisa comprar pra aprovar ?”

      Óbvio. A reforma é uma bosta, não resolve nenhum problema estrutural, ferra os assalariados e terá de ser desfeita em breve. Só pagando muito bem para convencer um deputefe a votar por ela. Aliás, nem pagando muito bem fica fácil. Tem de pagar bem e ainda ameaçar e chantagear.

      E se você não consegue se convencer de que a reforma é um  horror, então pense um pouco: por que é tão difícil de aprovar, se é assim tão boa?

  2. compra e venda sempre existiu.

    Três tópicos.

     

    1 – Esse maldito uso do troca-troca sempre existiu desde o governo Sarney. Com os milicos não era preciso, pois eles sempre mandavam na maioria.

    2 – Dilma fez a mesma coisa. Em dezembro de 2014, Dilma chantageou Deputados prometendo liberar emendas parlamentares, mas só para quem votasse o projeto de lei que flexibilizou – aliás, acabou – com o superávit primário. Também liberou emendas a torto e a direito para se livrar do impeachment. 

    3 – Minha saudosa mãe costumava dizer que quando se quer pegar a galinha não se diz xô. Marum é um aparvalhado. Se usar bancos públicos para barganhar votos, vai cometer pedalada. Se fizer isso Temer será impichado.  Então, nada de alertaR Temer, deixa ele cometer a pedalada. 

     

  3.  De fato, muitos governantes

     De fato, muitos governantes negociam apoios, e, vez por outra, apoios são desfeitos, e o jogo democrático prossegue naturalmente. Assim, sobrevém, avança, progride, regride etc.. Às vezes, ou quase sempre, os grupos e seus interesses não convergem. É normal.

    No caso da quadrilha de celerados que usurpou o poder constituido no Brasil. Num movimento inicialmente deflagrado por um filho de papai mineiro. Neto de velho oligarca,  raposa política amamentada nas tetas estatais desde os primódios da Velha República. Embora, fosse um civilizado espécime político de seu tempo, tendo prestado relevantes serviços aos seus conterrâneos e parceiros de classe.

    O mesmo, nem um átimo sequer, se pode dizer da miséria de neto que esse homem acalentou e promoveu aos mais altos cargos políticos, apenas, baseado na meritocracia familiar. Pois é. O facínora Aécio Neves, ficara estremamente insatisfeito quando tentou sua mais audaciosa jogada. A derrota para a primeira mulher a se eleger num país aberrantemente machista e ainda dominado por ideologia escravocrata. Foi demais para o mimado e oportunista salafrário mineiro. Aliás, resalte-se que o Estado de Minas Gerais não deve nenhuma culpa por ter tido a desventura de ter dado berço a um pústula como esse rapaz.

    Mas, o pior veio depois. E, a foto que ilustra a excelente matéria expõe vivamente, a que ponto descemos. Ou, melhor dizendo, em que brejo e, na companhia de quais vermes, fomos capazes de chafurdar. O diabo que se apiede de nós. Amém.

    Orlando

  4. Esforco inutil

    Judas vendeu Cristo por 30 moedas e nao usufruiu, enforcou-se. Os canalhas vendilhoes do povo que aceitarem o dinheiro sujo do golpista mor,  podem fazer o mesmo,  nao vao se reeleger.

  5. Esforco inutil

    Judas vendeu Cristo por 30 moedas e nao usufruiu, enforcou-se. Os canalhas vendilhoes do povo que aceitarem o dinheiro sujo do golpista mor,  podem fazer o mesmo,  nao vao se reeleger.

  6. Esforco inutil

    Judas vendeu Cristo por 30 moedas e nao usufruiu, enforcou-se. Os canalhas vendilhoes do povo que aceitarem o dinheiro sujo do golpista mor,  podem fazer o mesmo,  nao vao se reeleger.

  7. Cadê  os ‘moralistas” do PIG

    Cadê  os ‘moralistas” do PIG cheiroso? Não vão reclamar do “fisiologismo” da política brasileira?

    Cadê o povo que ia “moralizar” a política do país? Agora pode?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome