Haddad ajudará Alckmin na crise hídrica do estado

 
Jornal GGN – O prefeito de São Paulo Fernando Haddad ajudará o governo do Estado a enfrentar a crise hídrica. Nesta quarta-feira (28), ele irá se encontrar com o secretário de Recursos Hídricos do Estado, para definir as estratégias, e guiará os prefeitos da região metropolitana nas iniciativas. Haddad ainda criticou a demora do encontro.
 

Do Estado de S. Paulo

Haddad se reunirá com secretário de recursos hídricos para ajudar governo Alckmin

Por Tássia Kastner

Encontro envolverá prefeitos da região metropolitana no dia 28 e vai discutir pontos como a multa para desperdício de água

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, afirmou neste domingo que a reunião entre o secretário Estadual de Recursos Hídricos e os prefeitos da região metropolitana de São Paulo será para que o governo do Estado possa orientar os municípios sobre como colaborar em meio à crise de água. “Nosso objetivo é ouvi-lo e colher subsídios para que possamos colaborar com o governo do Estado”, disse Haddad a jornalistas, após a entrega da Medalha 25 de Janeiro, na sede da Prefeitura.

“Meu papel é de oferecer apoio na coordenação dos prefeitos da região, para que o secretário e a Sabesp possam orientar aqueles que, mesmo não sendo os responsáveis, consigam colaborar”, complementou. O governo do estado de São Paulo é liderado por Geraldo Alckmin, do PSDB.

Segundo Haddad, a reunião foi marcada para 28 de janeiro, na sede da Prefeitura paulistana. No entanto, o prefeito criticou a demora da realização desse encontro. “É uma reunião que já poderia ter acontecido. Tentamos algumas vezes no ano passado e finalmente o secretário (Benedito Braga), recém-empossado, se prontificou a comparecer”, disse.

O prefeito afirmou ainda que, na reunião, poderão ser discutidos os pontos da minuta da Lei de Posturas Municipais, entregue às prefeituras pelo governador Alckmin. A lei incluiria a proposta de multa para desperdício de água, como seriam consideradas, por exemplo, as lavagens de calçadas e carros. Haddad afirmou, no entanto, que existem pontos operacionais que ainda precisam ser discutidos, como o destino dos recursos arrecadados com a multa, a meta de economia de água com a medida e também outras iniciativas que poderiam ser adotadas.

Haddad também comemora seu aniversário hoje, 25 de janeiro, mesmo dia da cidade de São Paulo. Segundo ele, o presente que gostaria de receber é o mesmo desejado pela população. “Eu acho que todo mundo tá pedindo chuva na Cantareira”, disse.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

5 comentários

  1. Pois é…

    A Dilma colocou no PAC a obra que vai salvar o sistema Cantareira. Vai acelerar a obra e o Governo Federal pagaa conta da incompetência Tucana. E agora essa iniciativa do Haddad.

    No fim das contas, o PT (que é acusado pelos Tucanos de ser o culpado pela crise de água) vai ser o salvador da São Paulo que tanto o odeia…

    • Eles dão um jeito de esconder as placas

      Eles dão um jeito de esconder as placas bem como qualquer outro meio que indique as fontes de recursos, o pig vai dar uma forcinha para que a população creia que os tucanos são competentes até dizer chega

  2. Quero ver o “homo sapiens” respeitar as matas ciliares

    Quero ver o “homo sapiens” respeitar as matas ciliares, deveriam deixar pelo menos uns 5 km de mata às margens dos rios, assim estariam preservando os mananciais d´agua bem como flora e fauna. Mas o que vemos são rios carecas, nem as nascentes respeitam. Pelas estradas vemos aquelas pequenas bolas de mato que teriam o caráter de preservar a natureza, até quero ver que bicho vai ficar ali, por isso os vemos atravessando as estradas à procura de comida e água. 

  3. Responsabilidade

    Ajudará Alkmin ? Em que ? Segundo a opinião de vários palpiteiros, inclusive aqui, O Estado de São Paulo não existe enquanto instituição responsável por qualquer crise que seja, tem uma espécie de licença para matar, a la James Bond: se vier alguma coisa boa, essa turma e a midia cartelizada fatura, se houver alguma sombra de cobrança, o Estado não é responsável por nada. Minas também tinha esse status especial sacramentado, mas parece que vão fazer uma pequena revisão. De qualquer forma, estão todos se mexendo um pouco tarde, ou é impressão ?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome