Impeachment S.A., por Antonio Lassance

Enviado por Mara L. Baraúna

Quem for às ruas no dia 15 vai estar vomitando seu ódio com o patrocínio de empresas e políticos que querem tirar o foco da lista de políticos da Lava Jato

Impeachment S.A.: como o lucrativo negócio de abrir fogo contra Dilma ajuda a varrer a corrupção para debaixo do tapete 

De Antonio Lassance

Da Carta Maior

Impeachment S.A.: uma empresa de capital aberto e mente fechada

Que ninguém se engane ou se faça de desavisado. As organizações Impeachment S.A. – uma sociedade mais ou menos anônima – está aí não só para promover eventos, mas, sobretudo, para se capitalizar.

Quem quiser ir às ruas no dia 15, com nariz de palhaço e cartazes pró-impeachment, vai estar batendo o bumbo e vomitando seu ódio com o patrocínio de empresas e políticos que querem bombar o desgaste de um governo por razões nada republicanas.

Algumas das organizações mais ativas na mobilização das manifestações do dia 15 de março são um negócio patrocinado pela oposição partidária e empresarial, com os préstimos sempre valiosos do cartel midiático, que dá uma boa força para a sua divulgação.

Tal e qual nos bons tempos do golpismo dos anos 1950 e 1960, trabalhar pela derrubada de um governo é, em parte, ideologia, mas tem seu lado ‘business’. Dá dinheiro.

Os grupos que organizam os protestos e clamam pelo impeachment começam como rede social, mas crescem com apoio partidário e empresarial.

Nenhum desses grupos deixa de pedir, publicamente, recursos para financiar seu ‘trabalho’ – seria melhor dizerem ‘seu negócio’. Até aí, nada de mais. 

Porém, o grosso das contribuições que algumas dessas pessoas recebem não são públicas e nem de pessoas que dão 5, 10, 100 reais. Hoje, a maior parte da grana que rola em prol do impeachment de Dilma tem outra origem.

Empresários em pelo menos três estados (São Paulo, Pernambuco e Paraná) relatam ter recebido telefonemas pedindo dinheiro para a organização dos atos do dia 15. A fonte da informação são advogados consultados para saber da legalidade da doação e possíveis implicações jurídicas para as empresas.

Leia também:  Suécia se afasta de estratégia flexível e avalia confinamento contra Covid

Em um dos casos, o pedido não foi feito diretamente por alguém ligado aos perfis de redes sociais que convocam o ato, mas por um deputado de oposição, com o seguinte argumento: “precisamos ajudar esse pessoal que está se mobilizando para tirar esses vagabundos do poder”.

O curioso é que o deputado oposicionista faz parte do seleto grupo de parlamentares que teve o privilégio de contar, entre seus financiadores de campanha, com empresas citadas na Lava Jato. Portanto, pelo critério da Impeachment S.A., o deputado amigo é, de fato, um honorável vagabundo.

É bom lembrar que quase a metade dos nomes da famigerada lista do ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, estava ligada às campanhas de Aécio ou Marina Silva

As empreiteiras pegas na Operação Lava Jato doaram quase meio bilhão de reais aos políticos e aos partidos com as maiores bancadas no Congresso, o que inclui os de oposição, como PSDB e DEM. Será que alguém vai se lembrar disso no dia 15?

Como o negócio funciona e prospera

A Impeachment S.A. virou franquia. Uma pessoa ou um pequeno grupo monta um perfil, sai à cata de adesões e seguidores e cria memes para serem espalhadas na rede. Com alguma sorte, essa ‘produção’ se torna viral – pronto, a fórmula de sucesso deu resultado.

Os grupos que organizam o protesto do dia 15 são muitos. Cada estado tem um ativista ou grupo de maior proeminência. Eles hoje disputam o mercado do protesto de forma cada vez mais empresarial. Com naturalidade, eles são absolutamente francos em dizer que o capitalismo é seu sonho de consumo. Qualquer maneira de ganhar dinheiro vale a pena.

Dependendo da força de adesão de cada perfil, o criador usa sua lista de seguidores, com ou sem nariz de palhaço, como portfólio para negociar patrocínio privado.

Quanto mais o impeachment se tornar um oba-oba, do tipo “atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu”, tanto melhor para o negócio de derrubar a presidenta.

Leia também:  Lula diz que boicote à Coronavac justifica impeachment de Bolsonaro

A busca de um mercado do protesto veio a partir do momento em que esses mascates do impeachment bateram às portas dos partidos, como o PSDB, o DEM e o PPS.

Pelo menos no caso de Pernambuco, houve tentativas também junto ao PSB, cujo ex-candidato à presidência, Eduardo Campos, também consta citado na delação de Paulo Roberto Costa. O PSB hoje abriga, entre outros, ‘socialistas’ da estirpe do antigo PFL, como os renomados Heráclito Fortes (PI) e Paulo Bornhausen (SC).

Alguns dos ativistas da Impeachment S.A., de espírito empreendedor mais aguçado, pegaram a lista de financiadores de campanhas de políticos da oposição com os quais mantêm contato e foram pedir ajuda para conseguir abrir portas em empresas dispostas a financiar a campanha do impeachment.

Os políticos tucanos, ao que parece, têm sido os mais empenhados em redirecionar os pedidos de patrocínio privado para o universo das empresas.

Publicamente, só para variar, os tucanos definiram, com o perdão ao vocábulo ‘definir’, que apoiam o ato pró-impeachment, mas são contra o impeachment. Hein? Precisamos de pelo menos uns dois minutos para entender o raciocínio e pegar algum tucano pelo colarinho branco, escondido atrás de mais esse muro.

Os tucanos querem o protesto, torcem pelo protesto, ajudam a patrocinar o protesto, mas fingem que não têm nada a ver com isso. Faz sentido – e ainda tem gente que acredita que eles realmente não trabalham pelo impeachment.

Por que 15 de março?

A própria data do protesto foi calculada politicamente, pela Impeachment S.A., com um propósito evidente. 

O alvo do protesto é a presidenta Dilma Rousseff, convenhamos, justamente no mês em que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, divulgará a lista dos políticos envolvidos no escândalo. Mais exatamente, na semana seguinte àquela em que a lista de políticos será tornada pública.

Os revoltontos do dia 15 pedirão o impeachment de Dilma, que sequer aparece citada na Lava Jato. Será que vão pedir também o impeachment do senador Aécio Neves, cuja campanha recebeu doações das mesmas honoráveis empreiteiras, diretamente para o comitê de campanha desse candidato?

Vão pedir pelo menos o impeachment de Agripino Maia (DEM-RN), acusado de receber R$ 1 milhão em propina? Delator por delator, Agripino tem o seu e merece algum cartaz de algum revoltonto mais bem informado.

Leia também:  Os sabujos da imprensa, por João Feres Júnior

Irão pedir a apuração rigorosa e a prisão dos envolvidos com o trensalão tucano? Ou a falta d’água em São Paulo racionou também a memória e o senso de moral e ética dos que se dizem fartos – principalmente depois de seu repasto?

Irão eles pedir o impeachment dos parlamentares do PMDB? Eles fazem parte do segundo maior partido da Câmara, o primeiro no Senado, e seriam decisivos para a chance de impeachment. Só que, por coincidência, estão entre os preferidos das empreiteiras na hora de financiar campanhas.

Os revoltontos do dia 15 ainda não pararam para pensar que querem um impeachment de Dilma a ser feito por um Congresso cujo financiamento de campanha desenfreado deixa a maioria de seus parlamentares abaixo de qualquer suspeita – se for para generalizar o ‘argumento’ de quem vê Dilma como uma inimiga a ser banida.

Serão esses, de fato, os que podem abrir a boca para falar em afastar a presidenta eleita ? Estranho. Não deveriam ser eles os primeiros alvos de cassação?

Quem promove a campanha pelo impeachment está dando sua contribuição voluntária ou patrocinada para tirar o foco dos corruptos que de fato têm nome no cartório da Lava Jato – o que não é o caso da presidenta.

Seria melhor, antes de falarem em impeachment de uma presidenta eleita pelo voto de 54,5 milhões, que os revoltontos do dia 15 esperassem a lista de Janot e a usassem para escrever seus cartazes.

Por que não o fazem? Talvez por que isso não seja lá um bom negócio.

(*)Antonio Lassance é cientista político

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

25 comentários

  1. Sem reforma do JUDICIÁRIO,

    Sem reforma do JUDICIÁRIO, nada que se fizer no Brasil prosperará!

    A idéia de que cada Juiz é independente, é boa, mas possui aspectos ruins!

    Transforma partes do Judiciário NUMA HIDRA DE LERNA!

    Onde ABUSOS SÃO COMETIDOS e não há NADA QUE POSSA REPRIMIR QUALQUER AÇÃO!

    O Juiz do caso Elke, será penalizado de que forma? Férias? Ostracismo?

    Isso em meu trabalho É PRÉMIO!

    Há uma parte que trabalha e trabalha sério, são estes que sustentam o judiciário.

     

  2. “Seria melhor, antes de

    “Seria melhor, antes de falarem em impeachment de uma presidenta eleita pelo voto de 54,5 milhões, que os revoltontos do dia 15 esperassem a lista de Janot e a usassem para escrever seus cartazes.”

     

    Bom, me parece então que os que saírem na lista já estão condenados ….

  3. O Brasil se assemelha aquelas

    O Brasil se assemelha aquelas esculturas esculpidas nas areias das praias.

    Vem a onda e destroi tudo que foi erguido.

    Assim foi, na ultima vez, em 1964.

    Tinhamos avançado em varios campos, politico,cultural, social,nas relações internacionais..

    Acabavamos de inaugurar a universidade de Brasilia, uma das mais avançadas do mundo, sonho realizado de Darcy Ribeiro.

    Ganhavamos todos os trofeus nos esportes, nos festivais de cinema, de musica, nas bienais de artes visuais.

    Eramos admirados pelo mundo.

    Veio uma onda de ignorancia e brutalidade e nos levou novamente para o ponto onde haviamos começado.

    Prenderam os artistas, os jornalistas, os professores,os cientistas,os patriotas em geral.

    Uma nuvem negra pairou sobre nossas cabeças por decadas,escurecendo nossos horizontes.

    Os melhores brasileiros não se acovardaram, mesmo diante de tanques, fuzis, prisões e tortura.

    Muitos morreram, outros perderam anos de suas vidas nos carceres,lutando por liberdade.Alguns sairam vivos das prisões, mas testemunhas e vitimas de tantas brutalidades adoeceram.

    E dai?

    Como uma grande sina estamos vendo uma nova onda vindo para afogar novamente nossos sonhos de um pais melhor para todos.

    Para quem, como eu, que vivi todos aqueles tempos de trevas, de horror, é quase incompreensivel assistir a reprise do mesmo filme.

    Creio que a mesma fibra que tivemos combatendo tanques não repetimos na batalha politica que veio depois.

    Não contamos a historia corretamente para o povo.

    Se o tivessemos feito certamente seria bem mais dificil alguem sair as ruas defendendo novamente um golpe.

     

  4. O curioso é que o deputado

    O curioso é que o deputado oposicionista faz parte do seleto grupo de parlamentares que teve o privilégio de contar, entre seus financiadores de campanha, com empresas citadas na Lava Jato. Portanto, pelo critério da Impeachment S.A., o deputado amigo é, de fato, um honorável vagabundo.

    Esse é o melhor trecho. Hilário e traduz bem o porquê de eu fazer uma cara de paisagem quando me chamam de apoiador de corrupto.

  5. 15/03 é uma manifestação

    15/03 é uma manifestação democrática, vai quem quiser e se sentir compelido a protestar contra um governo e um partido cada vez mais enredados em coisas, no mínimo, duvidosas.

    Os militantes e pelegos querem o que? Protesto só os do a favor do PT ou contra a oposição? 

    Movimentos sociais são os professores grevistas do Paraná?

    Ódio é o que destilaram contra o Mantega e Barbosa, que estavam em locais públicos, como cidadãos, embora a pelegada tenha aplaudido quando o Barbosa foi assediado em Brasília e se indignado com o Mantega.

    Sempre o lado do balcão é o que interessa, embora os 2 casos sejam igualmente repulsivos.

    Quem fomentou a divisão entre “nós e eles” foi o Lula, só que os “eles” e os “nós” agora estão entendendo o projeto de poder.

    O PT perdeu a conexão com a sociedade, e agora, aturdido, vê ódio onde existe apenas indignação.

    Lula, até ele, só aparece em ambientes controlados com claque de 2 Kombis de pelegos, sinal dos tempos!

    O PT hoje é um Arenão, a caminho do ocaso que ele mesmo procurou!

     

     

    • E Blá Blá Blá…
      Não se quer

      E Blá Blá Blá…

      Não se quer que não haja manifestação contra o Governo, o que se questiona é a sempre manjada “moralidade” como o sendo o background  para todo o circo.  Dizer que Lula dividiu o país é algo que concordo. Ele relamente fez com que o Morro descesse para o Asfalto. O confroto era inevitavel, cedo ou tarde, iria ocorrer certa movimentação social de baixo para cima provocando o que você chama de “dividir” o país. Fico imagindo como era bonito o Brasil antes de Lula, sem nós e eles, com mucamas e patrões divindo o mesmo elevador. Ah vai te catar rapá!

      • Realmente o Lula incluiu

        Realmente o Lula incluiu muita gente, inegável!

        Lula, sua família, Vaccareza, Dirceu e outros, foram mais incluídos ainda, e esse é o problema!

        Com a fatura que o PT cobrou, dava para incluir muito mais.

        Até os “nós” já perceberam!

        “Azelite”  perceberam bem antes.

         

        • Você esqueceu de dizer que o

          Você esqueceu de dizer que o Lula também “me incluiu”. Afinal, não nego que depois dele pude fazer coisas que não sonhava. Eu devo ser um comprado mesmo, né?

          Ontem em um texto do Nassif ele dizia sobre a mediocridade dos homens comuns ao exigir que Estadistas sejam santos. Por essas e por outras que desconfia de TODO combate a corrupção, atualemente. O Brasil não precisa de inimigos. Não temos guerras, Tsunamis, terremotos avasaladores, mas tem uma população que chega as raias de se igualar a hipocrisia saxônica e norte-america. 

          Eu não tenho tempo para incluir a lista de pessoas inclusas pelas políticas públicas do Governo. Nem preciso, o mundo já reconhece e é até bom que Lula nãos eja unanimidade, pois isso só reforça o seu papel na história.

        • Protestar é válido e legítimo,

          mas com este teu discurso, demonstra o nível dos argumentos dos protestantes. Sobre o Dirceu, ele já foi julgado e, que eu saiba, na AP 470 não apresentaram prova contra ele, apenas domínio do fato. Apeans um exemplo.

        • Com a fartura?

          Você é tão ignorante que não sabe que foi FHC que elevou os impostos de 25 para 35%? E que o PT não elevou os impostos, mas os manteve apenas, apesar das varias desonerações na industrias e incentivos. E que mesmo não vendendo nada e gastando muito (educação, investimentos, 400 bi de reservas)? E FHC não investiu nada mas sumiu com 120 bi das privatarias tucanas e deixou dívida com FMI que Lula pagou. !

    • Você acredita mesmo em alguma

      Você acredita mesmo em alguma coisa que escreveu ou só está repetindo o que algu´me mandou?

    • Acho que o senhor faz uma

      Acho que o senhor faz uma leitura errada da realidade. O dia 15 é tão sério, mas tão sério que deveria ganhar um nome, como sói acontecer com essas manifestações aplaudidas e bisadas pela nossa mídia… Deria chamar Revolução (sic) dos Pera com Leite ou, quem sabe, Grande Manifestação dos Todinhos… O que veremos, tenho a plena convicção, é um amontoado desarrazoado da nossa jeunesse dorée pregando golpes e falando coisas que não conseguem sequer entender… Vão pedir o impeachment da Dilma porque o IPTU subiu ou porque a taxa de condomínio aumentou? Porque mais alcool na gasolina não vai ser bom para os carrinhos importados? Aff…

  6. Ahh!Estarei vendendo

    Ahh!

    Estarei vendendo “energético e coxinhas” durante a manifestação..

    por favor “não furem meus olhos”! Estudante de escola pública paga

    “meia”..médicos ressentidos pagam inteira.Quem não for não paga.

     

  7. A data da Marcha do Mimimi,

    A data da Marcha do Mimimi, 15 de março, foi escolhida a dedo pelos golpistas:

    Em 15 de março de 1789 Joaquim Silvério dos Reis teria delatado os Inconfidentes;

    Em 15 de março de 44 antes de Cristo Julio Cesar foi morto à traição  no senado, inclusive por Brutus;

    Em 15 de março de 2001 explodiu a P36, fato que deu origem ao naufrágio ocorrido dias depois.

     

    Não, a data de 15 de março parece mesmo ter sido escolhida a dedo pelos “patriotas” para que a turma do mimimi fosse às ruas.

  8. Perfeito, a não ser…

    …A razão social, que deveria ser GOLPE S/A e não Impeachment, que no máximo é nome de fantasia…

  9. 15 de março, data escolhida a

    15 de março, data escolhida a dedo:

    Foi num dia 15 de março que Joaquim Silvério dos Reis entregou oficialmente o Tiradentes.

     

    Esses golpistas bem que poderiam ser servidos com aquela aguinha que a Argentina deu pro Branco beber na Copa de 90.

     

     

     

     

  10. parem de nomear algo com um

    parem de nomear algo com um nome que não passa

    de um golpe sujo e calhorda que sangrará a nação…..

  11. jumentos ou ostras?


    o “cerebro” dessa turma da “marchinha pelo impeachment” é menor que o sistema nervoso de uma ostra, mas …

    ostra não marcha. portanto são quimeras: jumentos com cerebros de ostras.

    vai ser hilário assistir esses ridículos pedirem um golpe à pm paulista.

  12. Vou e não sou patrocinado por
    Vou e não sou patrocinado por empresas e sim pela inflação alta, combustível caro, alimentos caros, energia elétrica cara, corrupção, etc. Entenderam eu preciso desenhar ?

  13. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome