Indústria espera que Temer mude legislação trabalhista

Enviado por Henrique O.

Da Agência Brasil

CNI pede a Temer mudanças nas legislações trabalhista e previdenciária

Por Ivan Richard

Representantes do setor industrial apresentaram hoje (27) ao vice-presidente da República, Michel Temer, um conjunto de 38 propostas para os próximos dois anos caso a presidenta Dilma Rousseff seja afastada pelo Congresso. Segundo o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, entre as sugestões estão mudanças nas legislações trabalhistas e previdenciária, alteração na política cambial, refinanciamento de dívidas das empresas e desburocratização.

Para Andrade, a discussão em torno da saída de Dilma tem contribuído para melhorar o ambiente de negócios no país, mas também são necessárias mudanças nos rumos da economia para reaquecer o setor.

“Essa discussão [do impeachment] tem trazido o ambiente de tranquilidade, confiança, esperança no brasileiro. Isso já é muito importante para que os investidores comecem a pensar em tirar seus investimentos e projetos da gaveta e colocar em cima da mesa. Agora, precisa de mudanças sérias, propostas adequadas e políticas públicas definidas”, argumentou.

O presidente da CNI afirmou que há mais de um ano as confederações de vários setores da economia discutem alternativas para melhorar o ambiente de negócios.

“No caso da indústria, apresentamos 38 propostas para que o setor volte a ter participação importante no PIB brasileiro. Eles são referentes a oito temas, cada um deles relativo às questões tributária, trabalhista, Previdência Social, infraestrutura e burocracia. O vice-presidente recebeu bem as propostas”, afirmou Andrade.

Na área trabalhista, o presidente da CNI defendeu a aprovação do projeto de lei que regulamenta as terceirizações e a “valorização” dos acordos sindicais entre trabalhadores e empresários. “Só esses dois pontos resolveriam grandes questões existentes hoje nas relações de trabalho e que acumulam a Justiça Trabalhista de um grande número de processos”.

Para o presidente da CNI, esse é o momento de trabalhadores, sindicatos e empresários darem sua “cota de sacrifício” para que o país saia da crise e volte a crescer. “Hoje, podemos pensar em si próprio e cada um querer fazer poucas mudanças e manter a situação como está. Mas, se mantendo essa situação, não vai dar a ninguém condições de, no futuro, ter trabalho, respeito, poder crescer, de ter lazer, emprego e uma vida confortável. É preciso que cada um dê uma cota de sacrifício. É preciso que as pessoas, as centrais sindicais deem uma cota de sacrifício.”

Segundo ele, a “cota de sacrifício” das empresas têm sido a queda na participação do setor industrial no PIB. “Saímos de um PIB em que tínhamos participação de 18% há quatro anos  para uma participação de 9%. Isso já é um sacrifício enorme que a indústria tem feito, mantendo um parque industrial ativo, competente, capaz de crescer, inovando, com desenvolvimento e tecnologia”.

Câmbio

O setor industrial também pediu a Temer, caso assuma o comando do país, que adote políticas de “previsibilidade cambial”. “Há a necessidade de uma política cambial estável para que o setor exportador possa fazer um preço, assinar um contrato, sair para vender seus produtos lá fora. Se hoje o dólar está a [R$] 4 e amanhã a [R$] 3,50, você não tem condições de fazer propostas”, destacou.

Perguntado se a intenção é o futuro governo controlar o câmbio, Andrade explicou que o Banco Centro tem mecanismos para manter a moeda “estável” e “previsível” em relação ao dólar sem que haja efetivamente um controle.

“Não estamos falando em controle cambial, mas existem políticas do Banco Central que podem fazer o câmbio mais estável e previsível. O que falta no Brasil é previsibilidade. O que estamos querendo é essa previsibilidade. Não estou dizendo que o câmbio tenha de ser [R$] 4 ou [R$] 3,50, mas precisamos de previsibilidade das políticas públicas”, concluiu.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

26 comentários

  1. “valorização dos acordos
    “valorização dos acordos sindicais entre trabalhadores”…

    Sem antes mudar a legislação para que tenhamos, realmente, sindicatos fortes, representativos?

    Que piada de mau gosto.

    Qtos sindicatos em condições de negociação efetiva com os empregadores temos no Brasil? Dois? Três?

  2. Na boa…

    estou adorando. Vamos todos, os trabalhadores, sifu e comer o pão que o tinhoso (Cunha, é seu servo mais eloquente) amassou, mas que vai ser hilário ver diversos e diversas “patriotas CBF” e “Fora Dilma e leve o PT junto” que são assalariados com cara de pastel estragado depois da “festa cívica” a partir do dia 17/04/2016, ahhhhhh… isso vai.

    • Vou ver muitos

      aqueles da classe média (que pensam que faz parte da burguesia) que apoiaram o golpe se fu… e vou ironinzar muito esse coxinhas. Vou me divertir muito.

       

    • Não posso negar..

      Também “tô” esperando este momento. Minha recomendação é ir ali na paulista e, com cara de babaca paulista, perguntar para o cretino skaf: “poxa, eu que vou pagar o pato?”

    • Com a implantação da ditadura

      Com a implantação da ditadura Michel Cunha Temer haverá uma queda significativa do tão propalado déficit da previdência, pois com a diminuição de gastos com a saúde, o trabalhador que encontra-se em auxílio doença e os idosos que utilizam o SUS morrerão rapidamente devido a precariedade do tratamento médico .

      Este será o primeiro genocídio provocado pela ditadura Michel Cunha Temer .

      Uma tragédia inevitável !  Uma lástima !

       

    • Há certas coisas que nem brincando se dizem…

      Que alegria, né, o circo vai pegar fogo, os coxinhas vao se danar… O fato de estarmos no mesmo circo é um mero detalhe, claro. Haja!

      • Ana Lú é o seguinte

        briguei muito pra que não chegasse o Brasil aonde chegou,

        fiz greves, fui pra ruas, internetiei o quanto pude e pra que?

        Um bando de imbecis teleguiados ajudaram a instalar um golpe de estado, um golpe que está trucidando nosso Estado Democrático de Direito, um golpe que só está tendo reação efetiva sabe de quem? Dos sem terras, dos sem tetos e de uma parcela dos trabalhadores e estudantes. Esses e essas imbecis foram alertados milhões de vezes, e isso desde 2013 quando explodiu aquela tal “primavera de Junho”, os tais “lindinhos” e “mascarados anônimos” de Lailane Neubarth.

        Quer que eu deseje o que pra essa gente que apoiou e ainda apoia Temer e Cunha, um mar de rosas, só pelo fato de serem também, alguns e algumas, trabalhadores e brasileiros?

        Santa paciência, solidariedade tem limites e esse povo todo não merece nenhuma, merece mesmo experimentar governantes fascistas e nazistas como Temer e Cunha para que, pelo menos uma parte dele, aprenda a valorizar os preceitos democráticos.

          • Acho

            que você nunca prestou atenção nos meus comentários aqui.

            Movido pelo ódio, eu?

            Não vejo que me ferro junto?

            Francamente.

            Como é uma “letrada” e intelectual, deve mesmo achar que sou apenas um “coxinha da esquerda”, só pode.

          • Francisco, comentei a partir dos seus comentários anteriores

            Nos daqui mesmo deste tópico, nao fiz avaliaçao da sua pessoa em geral. Acho até que vc deve ter feito apenas um desabafo, mas, repito: certas coisas nao devem ser ditas nem de brincadeira. Desejar que todos nós nos ferremos só para punir os coxinhas? Tem dó! E nada disso tem a ver com ser ou nao ser letrado e intelectual, nao projete sobre mim coisas que nao tem base nenhuma nos comentários que fiz e a que vc responde…

  3. O pato que de pato não tem

    O pato que de pato não tem nada mas pelo contrário, é muito esperto, agora enfia a mão no bolso da classe média, aquela que protegeu com unhas e dentes o inflado pato skarf…e ae macacada sem noção, que tal começar a reforçar o paneleiro….rss

    Se bem que já não é a primeira vez que a classe média assume a pauta da burguesia chegando ao absurdo de confudir-se com esta, o Moro tá nos states, o Tio Sam estendeu-lhe um tapete vermelho…triste Brasil que não soube segurar em suas mãos seu destino.,..o que dizer de um povo que, por falta de conhecimento, ao invés de lutar para manter suas conquistas, dentre elas a principal (a continuidade da democracia) fez coro com os seus algozes….

  4. Têm alguns pontos importantes

    Têm alguns pontos importantes no escrito, em especial o pedido de dar estabilidade para o câmbio. Eu concordo plenamente com isso considerando que como Andrade corretamente colocou você precisa de estabilidade cambial quando lida com contratos de médio e longo prazo aonde a moeda combinada não é o real. Ninguém quer fazer um contrato de longo prazo envolvendo câmbio aonde possa haver flutuações que podem invibializar o acordo.

    Porém, “flexibilizar” as suas relações trabalhistas é perigoso em um país de tradição escravocrata como o Brasil, vocês não amadureceram o suficiente em suas relações entre empregados e empregadores para que seja possível negociações de igual para igual. Não é possível uma negociação trabalhista justa aonde o empregador considera o empregado como um escravo. Somente quando vocês forem uma democracia de verdade e houver respeito entre empregador e empregado é que será possível ter contratos de trabalho negociados sem mediação de um governo.

    E finalmente, não adianta os seus industriais quererem aumentar a participação deles no PIB do país se não produzirem produtos que o mercado interno e externo queiram comprar. É tolice tentar competir no preço com a China (a menos que os seus industriais estejam pretendendo o mesmo tipo de trabalho semi-escravo praticado na China), o câmbio não vai ajudar e o que vende é um produto de valor agregado que o consumidor deseje comprar e que fale bem dele mesmo custando um pouco mais do que o equivalente chinês. Em resumo, a sua indústria precisa se aperfeiçoar ao invés de esperar que o governo faça tudo por eles e que a diferença cambial vá remediar a falta de qualidade dos seus produtos.

    E aproveitando o barco, parem de vender “carroças” para os seus consumidores. O mercado consumidor não é estúpido.

  5. Foi esse cara que falou que o

    Foi esse cara que falou que o trabalhador não precisa de hora de almoço, pois pode comer um sanduba com uma mão e operar a máquina com a outra?

    • Quem falou isto foi o vice-presidente da Fiesp

      Chamado  Streinbuch aquele que recebeu do Brasil a Companhia Siderúrgica Nacional, saque promovido pelo PSDB quando no poder através Ferando Cardoso ainda solto.

  6. Férias do trabalhador no Governo Temer.

    (diálogo entre o trabalhador e a atendente da terceirizada que o contratou).

     

    Imagina a cena do trabalhador pedindo pra entrar de férias depois de um ano de trabalho no Governo Temer.

    O sujeito trabalha no local X e lá não tem RH. Afinal é só um posto de trabalho.

    Então ele vai até o local que o contratou, sua empregadora, e chegando lá só tem uma sala com uma atendente e um terminal de computador. (eis o tamanho da sua empresa: PAGA PATO S.A. com 20 mil funcinários).

    Pega uma senha número 171 e espera de pé pra dar lugar aos idosos por 2 horas.

    Então chega a vez do sujeito.

    A atendente pergunta:

    – Em que posso ajudar Senhor?

    – Gostaria de agendar a data das minhas férias.

    – Ok. Vou abrir uma ocorrência Senhor. O número do protocolo é 171171171 Senhor. Daqui uma semana o Senhor volta.

    Passada uma semana volta o trabalhador ao seu empregador e obtém a resposta da atendente:

    – Fui informada que o Senhor faltou pela segunda vez no trabalho e que não avisou o seu superior da falta e estamos lhe demitindo e descontando dois dias de trabalho.

    – Mas eu apenas cheguei atrasado pra poder estar aqui e pedir minhas férias!

    – Não posso fazer nada Senhor! Já temos um novo trabalhador ocupando sua vaga Senhor no seu posto de trabalho Senhor. Vá com Deus. Curta suas férias Senhor. Meu supervisor mandou dizer para o Senhor que já enviou recomendações às empresas do setor para não mais lhe contratarem por ser reincidente na falta ao seu posto de trabalho Senhor. Algo mais em que possa ajudar Senhor?

    – Não!

    – Tenha um bom dia Senhor.

     

  7. Cota de sacrifício para todos

    Cota de sacrifício para todos com a flexibilização das leis trabalhistas, sepultamento dos processos trabalhistas em andamento e “renegociação”(leia-se perdão) da dívida?
    Só vejo sacrifícios para o trabalhador, direta e indiretamente (Estado).

     

  8. A industria quer escravos,

    A industria quer escravos, nao trabalhadores.

    Empresarios do sex XIX na contramao da historia. Enquanto o mundo exige trabalhadores comprometidos e cada vez mais especializados, aqui no BR querem mesmo eh mao de obra temporaria e escrava.

    Pais andando para tras e rapido.

  9. A nossa cota de sacrifício é:

    refinanciamento da  dívida das empresas. Porque prefirimos rolar a conta e aplicar o noosso rico dinheirinho no mercado financeiro.

  10. Paneleiros do Brasil

          As pesquisas mostraram que a maioria dos paneleiros pertencem a classe média/ média alta, com curso superior, emprego fixo, caso iniciativa privada, pode-se calcular que exercem funções de analise/supervisão até média gerencia, gente que “se acha”, é “preparada”, um importante “ativo humano da empresa “, fundamentais para ela.

          Então preparem-se, pois a terceirização chegando as atividades – meio , pegará justamente suas areas de atividade, pois as de “fim” , as diretas já foram enxugadas, agora será a hora de “subir a piramide” , mas não é por sacanagem, será bom para vcs., pois os mais aptos, “empreendendores”, saberão lidar muito bem com esta situação nova de liberdade empregaticia, completamente autonomos poderão vender seus serviços a qualquer empregador, trabalhar “por projeto”, gozar férias quando desejar, para que vale-refeição, vale-ali,emtação, convenio médico, plano de aposentadoria, afinal o que são estes “penduricalhos”, quando comparados a total liberdade de emprego e trabalho.

  11. gora os golpistas vem com

    gora os golpistas vem com tudo para fazer as reformas que

    eles sempre pretenderam mas o governo popular conseguiu evitar

    ……

  12. Alguém conhece a empresa orteng

    Os eduardos cunhas se proliferam na plutocracia brasileira. Alguém já ouviu falar da orteng? Pois bem trata-se de uma empreiteira e montadora de paineis elétricos. Sua incompetencia administrativa e técnica vem de muito longe. Pena que este espaço é curto pra dizer.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome