Lula e Jobim avaliam que Dilma não renuncia nem cai, diz colunista

Jornal GGN – Informações da colunista Mônica Bergamo (Folha) desta terça-feira (29) dão conta de que o ex-presidente Lula e o ex-ministro da Defesa Nelson Jobim teriam se encontrado há algumas semanas para discutir a atual conjuntura política e as saídas para a crise. “Foram analisados cenários que vão da cassação à renúncia de Dilma Rousseff”, escreveu a jornalista.

Tanto Lula quanto Jobim teriam concluído que a chance de cassação da chapa Dilma e Michel Temer pelo Tribunal Superior Eleitoral, a partir de ação movida pelo PSDB, é “remota”. No caso do impeachment, também não há certezas, pois além de acharem que não há fundamento jurídico, apostam que Dilma ainda tem força para garantir 172 votos para impedir a instauração do processo. Nesse ponto, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) seria um “aliado oculto” para frear o impeachment.

Isso porque, nessa hipótese, Temer assumiria o governo e, além de comandar o país, “o peemedebista ameaçaria a liderança do governador em São Paulo, fazendo o PMDB abocanhar mais espaços em território que o PSDB considera sagrado.”

Como a renúncia de Dilma é “quase impossível”, dado o perfil da presidente, a conclusão é que uma reforma ministerial de “envergadura” seria a saída. “Jobim disse a Lula, segundo relatos, que ela deveria nomear um ministro da Casa Civil forte, que ‘sentasse na cadeira’. Dilma deixaria o governo por conta dele e se dedicaria, por exemplo, à política internacional.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

12 comentários

  1. Eduardo Cunha

    Mas vai bater na trave, isso em si já é emoção demais.

     

    O coerente é esse Impeachment nem ir a votação,  deem logo o tiro de misericordia nesse Cunha se arrastando antes dele alcansar o detonador.

    • Jesus.. Como reescrever a Historia

      Só Jesus e não Jesuis salva quem tenta a mais de 12 anos reescrever a historia do Brasil.

      Então foi FHC que consertou o Brasil….

      Talvez quando quem viveu os anos FHC, vc poderá convencer o jovens que o FHC foi fantastico e só ele apenas ele salvou o BRASIL.

      • Como primeiro ministro do

        Como primeiro ministro do governo Itamar, ele foi o pai do plano Real que acabou com a hiperinflação de 20 anos.

        Como presidente do Brasil numa época em que a México quebrou, a Argentina quebrou 2 vezes, a Russia quebrou e até os tigres asiáticos quebraram, coréia do Sul no meio, ele não deixou  o Brasil fechar um ano sequer em recessão.

        A Dilma precisa de um campeão. Chama o Fernandão.

         

  2. Casa Civil

    Bom, a ideia de um “primeiro ministro” não é de toda ruim. La atras, eu ja havia citado o nome de Ciro Gomes para a Casa Civil, mas hoje ele é inviavel na articulação com o Congresso. Sem Cunha na presidência (até quando?), ai sim, acho que Ciro é o nome para este cargo. Em todo caso, o nome para Casa Civil e Justiça (o Zé caiu ou não caiu?) têm quer ser nomes fortes e ilibados…. 

  3. o poder revela… e o medo do poder de ser preso revela mais…

    buenos, o c(e)irco fechou

    eis o fator peso pesado jobim

    o tucano infiltrado na seara petista

    agora vai que vai: senta a pua! jobim

    by by lava jato! by by brasil! by by justiça…

    só não sei o papel ou papelão de lula à deriva…

    nesta requentada “geopolítica golbery odeàbrecht”.

    a história se repete…aqui agora como farsa lulopetista.

    [haddad, a esperança nesta lavoura arcaica: pica a mula do lulopetismo! antes tarde que nunca…]

     

     

  4. Finalmente

    Finalmente a profetisa Monica Bergamo publicou uma informação relevante e com um mínimo de confiabilidade. Pra começar, deu nome aos bois, não por acaso figuras políticas de peso. Não ficou naquele papo de “é consenso no partido”, “muitos já admitem” e outras bobagens. E ainda apresentou conclusões lógicas, e não baseadas apenas no achismo ou na vontade pessoal do jornalista.

  5. A situação que Zé Eduardo e

    A situação que Zé Eduardo e Dilma criaram é tão desalentadora na área da Justiça, que Nelson Jobim é um sopro de alívio, rssssss……

  6. Forma de governo

    Deixa ver se eu entendi: A Dilma iria nomear um “ministro da Casa Civil forte”, que iria de fato governar.; e ela se “dedicaria” a política internacional? Mudaram a constituição e ninguém soube? O Brasil é uma República Presidencialista. Aqui não temos Parlamentarismo ou Monarquia, onde a pessoa do Primeiro Ministro atua. Jobim está no lugar e na hora errada.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome