MEC pede a escolas que filmem execução do hino e leitura de carta com slogan de Bolsonaro

MEC teria pedido que alunos, professores e funcionários sejam perfilados diante da bandeira do Brasil para a execução do hino nacional e que, posteriormente, seja uma lida uma carta que seria assinada pelo ministro Ricardo Vélez Rodríguez

O ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, durante cerimônia de nomeação dos ministros | Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

do Sul21

MEC pede a escolas que filmem execução do hino e leitura de carta com slogan de Bolsonaro

por Luís Eduardo Gomes

Diretores de escolas municipais de Porto Alegre receberam nesta segunda-feira (25) um e-mail enviado por um endereço que seria do Ministério da Educação pedindo para que, no primeiro dia de retorno às aulas — o Ensino Fundamental da rede municipal retorna as atividades em março -, alunos, professores e funcionários sejam perfilados diante da bandeira do Brasil para a execução do hino nacional e que, posteriormente, seja uma lida uma carta que seria assinada pelo ministro Ricardo Vélez Rodríguez encerrada com os dizeres “Brasil acima de tudo. Deus acima de todos”, slogan de campanha do presidente Jair Bolsonaro (PSL). O e-mail pede ainda um representante da escola filme a atividade e envie um arquio com os dados da escola para endereços de e-mail pertencentes à Presidência da República e ao MEC.

A reportagem confirmou com diversas fontes que diretores de escolas receberam o e-mail. A Associação dos Trabalhadores em Educação (Atempa) de Porto Alegre também confirma que o diretores receberam a mensagem. Procurada, a Secretaria Municipal de Educação (Smed) afirma que não tem relação com o fato e que ainda está tomando conhecimento da situação. A reportagem procurou a assessoria de comunicação do MEC na tarde desta segunda-feira, que informou que não tinha conhecimento do envio deste e-mail, e ainda aguarda confirmação se de fato ele partiu do ministério ou se partiu de um endereço não oficial. O e-mail foi encaminhado nominalmente para diretores das escolas pelo endereço noreply@mec.gov.br.

“Prezados Diretores, pedimos que, no primeiro da volta às aulas, seja lida a carta que segue em anexo nesta mensagem, de autoria do Ministro da Educação, Professor Ricardo Vélez Rodríguez, para professores, alunos e demais funcionários da escola, com todos perfilados diante da bandeira do Brasil (se houver) e que seja executado o hino nacional. Solicita-se, por último, que um representante da escola filme (pode ser com celular) trechos curtos da leitura da carta e da execução do hino nacional. E que, em seguinda, envie o arquivo de vídeo (em tamanho menor do que 25 MB) com os dados na escola (nome, cidade, número de alunos, de professores e de funcionários) para o seguintes endereços eletrônicos: secom.gabinete@presidencia.gov.br e imprensa@mec.gov.br”, diz a mensagem do e-mail.

Leia também:  Semestre de retrocessos, por Daniel Almeida
Mensagem do e-mail recebido por diretores de escolas municipais de Porto Alegre | Foto: Reprodução

Já a carta diz: “Brasileiros! Vamos saudar o Brasil dos novos tempos e celebrar a educação responsável e de qualidade a ser desenvolvida na nossa escola pelos professores, em benefício de vocês, alunos, que constituem a nova geração. Brasil acima de tudo. Deus acima de todos!”

Carta recebida em anexo no e-mail com a assinatura do ministro da Educação | Foto: Reprodução

Coordenadora-geral da Atempa, Sinthia Mayer diz que a entidade, que representa os profissionais de educação do município de Porto Alegre, confirmou que a maior parte das direções de escolas de Porto Alegre receberam a mensagem nesta segunda. Segundo ela, a se confirmar que o e-mail é de fato originado pelo MEC, seria a primeira vez que ela tem notícia de uma recomendação direta do ministério para as escolas municipais com orientações para a realização de atividades no primeiro dia de ano letivo. “O nome disso é assédio. As escolas são laicas e, além do mais, isso é praticamente um slogan de campanha eleitoral”, diz.

Sinthia afirma que o departamento jurídico da Atempa já está avaliando como proceder diante da orientação. “As escolas estão meio que ironizando, mas dificilmente isso vai ser adotado na rede municipal. De qualquer forma, a gente identifica um conjunto de irregularidades nesse e-mail. Primeiro, porque ele carrega uma declaração que não é da natureza do espaço pedagógico, que é a saudação a algum tipo de deus. Essa saudação é por si só irregular. Segundo, essa orientação saiu do gabinete do ministro e foi direto para a direção das escolas. Estamos estupefatos e surpresos com esse tipo de proposta enviada pelo MEC”, afirma.

Leia também:  Sob os céus de Brasilia, o strip moral dos poderes, por Luis Nassif

O Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa) também reagiu ao e-mail encaminhado aos professores. “Trata-se de uma proposta absurda colocada pelo MEC, que tenta impor a sua ideologia religiosa e política a todas as escolas, utilizando um slogan conhecido de campanha. Lembrando que na Constituição está garantida a laicidade da educação, o que a carta e o pedido feito às escolas desrespeita. Também a democracia é desrespeitada no momento que tu impõe um texto específico para ser lido e doutrinar as pessoas”, afirma Jonas Tarcísio Reis, diretor do sindicato.

Sinthia e Jonas destacam ainda que as escolas já realizam, durante o ano letivo, atividades em que o hino nacional é executado, mas que não são realizadas desta forma.

A rede municipal de Porto Alegre recebe, principalmente, alunos do Ensino Fundamental. Em razão de greves realizadas em 2018, as aulas só começarão a retornar em março.

A reportagem encaminhou um e-mail questionando o MEC se de fato essa mensagem partiu do ministério, a quais escolas foi endereçada, com qual objetivo e que medidas serão tomadas para impor essa orientação ou punir as direções que não adotá-las. O e-mail não havia sido retornado até a publicação desta matéria. Segundo o jornal O Estado de S.Paulo, a assessoria de imprensa do ministério confirmou o envio da carta, dizendo que se trata “apenas de uma recomendação e não uma ordem”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Liberar FGTS não recupera economia e prejudica habitação, dizem especialistas

8 comentários

  1. O governo Bolsonaro é formado de aposentados militares e de neófitos na administração pública. O que o ministro fez de colocar o jargão da campanha num cartão institucional é um ato flagrantemente ilegal. E tal situação depõe contra toda assessoria do ministro que deixou ele cometer esse erro primário no exercício da função pública.

  2. A investida anterior do dólar contra a ordem democrática se manteve por mais de 20 anos. E o pior, deixou sementes que agora, tendo encontrado terra fértil dos cucas-mongas, fajutos oportunistas, salafrários e medrosos, vemos vicejar.

    Podemos nos perguntar por quanto tempo essa investida se manterá assim, oficial, mas mais que isso precisamos cuidar para que nunca mais na história de nosso país tal barbaridade isso volte a acontecer.

    Demissão e cadeia já para Ricardo Véles Rodriguez!

  3. Vai ser preciso que nossos filhos jurem lealdade ao Bozo também?
    Acho que já está na hora do Tiririca se declarar autoproclamado presidente do Brasil e começar a resolver os problemas por aqui.
    Se o Guaidó pode, o Tiririca também pode.
    Alias, acho que nem os bolsominions mais tansos imaginariam que o Bozo levaria o País à beira de uma guerra contra a Venezuela apoiada pela Rússia e pala China.
    Se para enviar uma intervenção militar ao Rio de Janeiro, para não fazerem merda nenhuma, custou bilhões, quanto custaria uma guerra dessa envergadura?
    Se o presidente débil mental está disposto a gastar fortunas numa guerra de merda, por que deveríamos aceitar essa cruel reforma da Previdência?
    Tiririca no Poder!!! Já!!!!

  4. Meu Meteoro… Que vergonha ser governado por gente assim!!! :$
    Cada dia uma pior!!! Reclamavam tanto do PT, do seu “amadorismo” no trato com a coisa pública… Olhem esses ministros!!! Sem compostura e sem vergonha na cara nenhuma!!! Um despreparo que cora o mais ignorante ser!!! Um meter os pés pelas mãos diário sem saber onde está, o que está fazendo bem o tamanho do cargo que representa!!! Alguém por favor nos ajude!!!!!!!

  5. Onde chega o sem sentido! Este olavete peruviano despirocado está a serviço da destruição da educação no Brasil. Que vergonha me causa este desgoverno.

  6. todo dia sai uma cota de absurdidades do núcleo maluquinho ou uma declaração sensata do núcleo q finge estar sob parâmetros de normalidade. Tudo para fazer confusão e gerar provocação

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome