Moro: “Não tenho perfil político-partidário, meu candidato em 2022 é Bolsonaro”

Moro criticou Lula, criticou a decisão do STF de garantir a réus delatados a manifestação e disse ser boato as intenções de se candidatar nas próximas eleições: "Há um excesso de drama em Brasília"

Foto: Reprodução Veja

Jornal GGN – “Não tenho perfil político-partidário”, disse o ex-juiz da Lava Jato que hoje é ministro da Justiça de Jair Bolsonaro, Sérgio Moro, em entrevista à revista Veja desta semana. A afirmação foi feita após Moro ser questionado sobre suas intenções para o pleito das próximas eleições presidenciais e, após dizer que não tem perfil político, entrou em contradição ao completar: “meu candidato em 2022 é o presidente Bolsonaro”.

Durante a entrevista, Moro também demonstrou ampla “lealdade” a Jair Bolsonaro: “Minha relação com o presidente é muito boa, ótima. Nunca cheguei perto de pedir demissão. As pessoas inventam histórias. Sei que é mentira, o presidente sabe que é mentira. Não sei direito de onde essas intrigas vêm.”

“Eu digo ao presidente que essas notícias sobre uma eventual candidatura minha são intrigas. Ele sabe que eu não vou ser candidato. Primeiro por uma questão de dever de lealdade. Como é que você vai entrar no governo e vai concorrer com o político que o convidou para participar do governo?”, questionou, ainda sobre o tema das eleições 2022 e mostrando ser fiel a Bolsonaro.

Nessa linha, mostrando ter uma “relação muito boa, ótima” com o mandatário do PSL, o ex-juiz da Lava Jato disse se tratar de rumores a ideia de que ele tentaria disputar as eleições, que não irá se filiar ao Podemos e que pretende “fazer um bom trabalho como ministro até o fim”.

No ápice da crise da Lava Jato, em meio às divulgações das mensagens obtidas pelo The Intercept Brasil, Moro não deixou de sair em defesa da Operação e dos procuradores, assim como das polêmicas condutas e maneiras de condenar da investigação. “Não houve excesso, ninguém foi preso injustamente. Opinião de militante político não conta, pois desconsidera as provas”, completou [leia aqui].

Sem deixar claro se a referência era a Lula ou ao próprio jornal investigativo The Intercept, Moro também comentou a última decisão da Suprema Corte, indicando considerar “retrocesso”. “Agora vem essa discussão de que a ordem das alegações finais seria um erro da Lava-Jato. Os avanços anticorrupção não são de propriedade de juízes ou procuradores. É uma conquista da sociedade, do país. É o país que perde com eventuais retrocessos.”

Diante da deflagração de diversas irregularidades cometidas pelos investigadores, a força-tarefa da Lava Jato, com as mensagens obtidas e que revelam a parcialidade dos procuradores e de Moro como então juiz de Curitiba, o agora ministro da Justiça minimizou tais condutas e tentou reverter a culpabilidade, apelando ao apoio popular: “Esse episódio está todo superdimensionado. A Polícia Federal está investigando as pessoas que invadiram os celulares. (…) Mas nada vai mudar o fato de que a Operação Lava-Jato alterou o padrão de impunidade da grande corrupção. As pessoas sabem diferenciar o que é certo do que é errado”.

Leia também:  Collor diz que Bolsonaro repete mesmo erro de 1992 e pode sofrer impeachment

Também o juiz que condenou Lula fez ataques diretos e pessoais ao ex-presidente: “Há um excesso de drama em Brasília. As pessoas pensam tudo pela perspectiva do Lula, embora seja possível que o julgamento do STF sobre a ordem das alegações finais leve à anulação da sentença sobre o sítio de Atibaia. Lula está preso porque cometeu crimes”, disse [leia aqui].

E antes de concluir a entrevista, não deixou de elogiar o governo de Jair Bolsonaro, negando que as medidas do mandatário represente riscos à democracia. “O balanço desses primeiros meses de governo é positivo. A taxa de homicídios tem caído. Sete mil pessoas deixaram de perder a vida. (…) Falam em risco à democracia. É um exagero. O governo não tem o controle do Congresso, não tem o controle do Judiciário. A imprensa fala o que ela quer. Qual é o risco à democracia?”, finalizou.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

17 comentários

  1. Entrevista de Sérgio Moro com a revista Veja, só não explica o emprego que ele ganhou do governo bolsonaro, através das irregularidades cometidas com a operação vaza-jato, usando a justiça brasileira e coroando o Brasil com um atraso histórico no ponto de vista governamental, causando um prejuízo imensurável político/social/financeiro com o país e o resto do mundo, abrindo as pernas para os E.U.A. para qualquer negociata (muito/simples).

  2. “Opinião de militante político não conta, pois desconsidera as provas”. Seria um ato falho do ex-juiz?

    11
  3. ” Não tem perfil político partidário”. É um cinismo estonteante: Então o que o motivou a pedir exoneração do cargo de juiz, para ser subalterno do Bolsonaro? Condeno Lula com provas? Ele mesmo diz na sentença, que condena o réu por ” Fatos indeterminados”!!! Alguém se sentiria seguro sendo julgado por um juiz que pode condená-lo por ” fatos indeterminados”? Ou seja, condeno por qualquer coisa, não importa o que seja!!! Condeno porque quero e ponto. Pior ainda é o TRF4 validar uma aberração dessas!!!

    • Olha, é saudade da ditadura…..

      No final dos anos 70 um parente foi preso e amargou uma cana pesada apenas por que um infeliz o apontou como maconheiro….

      Da minha parte eu diria onde esses saudosistas deveriam enfiar a dita-dura que tanto amam…..

      E hoje é dia de baterem bumbo e rodarem como pião em homenagem ao cramunhão…….em respeito ao coiso deveriam descansar sentados na baqueta…….

  4. A farsa jato não cometeu crimes???? Os únicos incorruptíveis é esta turma? Me poupe!!! Este cara pensa que somos idiotas? Ele vem sendo ilegal desde o Banestado, entre outras ilegalidades. O único grande corrupto foi quem tirou milhões da miséria? Ele está recebendo muito dinheiro do depto de estado dos Usa. Quem sabe procuramos contas dele fora do país, e de todos os outros da farsa jato. Que soberba. Eles continuam, até quando?

  5. Quer apenas continuar no ministério da justiça, tudo por este objetivo, sabe que errou feio e a justiça continua sem fazer o correto, puni-lo pela seus atos ilícitos, este país sofre com estes caras.

  6. Esse é político até a medula, no pior sentido do termo….

    Nega ser político, fala aquilo que a patuleia quer ouvir, não cumpre nada do que promete, e não se escreve o que diz……. é o verdadeiro Político tupiniquim…….

  7. Pobre daquele juiz que se mostra nocivo ao país que serve…
    qualquer dúvida compare o Brasil de ontem com o Brasil de hoje

    tem que entender muito de mentiras para acreditar em Bolsonaro

  8. Esse energúmeno devia lavar a boca primeiro pra falar de Militantes. Não fomos nós que cometemos crimes, que desestabilizou a economia do Brasil ao paralisar a construção civil, Lava Jato ampliou a crise econômica e o desemprego com a demissão em massa. Dados divulgados pelo jornal Valor Econômico nesta segunda-feira (1º) indicam que as principais empreiteiras do país envolvidas na investigação liderada pelos procuradores de Curitiba e pelo então juiz Sérgio Moro perderam 85% da receita líquida – passando de 71 bilhões para R$ 10,6 bilhões – entre 2016 e 2018. Segundo o Sindicato Nacional da Indústria de Construção Pesada e Infraestrutura (Sinicon), o setor registrou perdas de 1 milhão de vagas de emprego entre 2014 e 2018. No conjunto da economia, a perda de postos formais chegou a 2,6 milhões no mesmo período.

    Segundo o economista André Calixtre, integrante da Associação Brasileira de Economistas pela Democracia (Abed), se a Lava Jato não pode ser culpada pela crise que atingiu o país, como um todo, é inegável o seu impacto negativo, principalmente no setor da construção civil.

    Quem vai pagar? MORO e todos eles, Procuradores, Juizes e Supremo são responsaveis por essa crise moral que tomou conta da nossa justiça brasileira.

  9. Não tinha e nunca teve estrutura jurídica, moral e competência para ser juiz e foi juiz.
    Neste momento constatamos que não tem competência, moral e ética para ser ministro apenas um novo Lalau.
    Falar dele como político é compara-lo com os nossos melhores exemplares: gedel, maluf,acm, fhc etc. e ele seguramente é o pior.
    A veja definitivamente gosta e vive da m#$%a.

  10. Ele se acha um grande malandro e imagina passar a perna no Bozo em 2022. O problema é que ambos dificilmente chegarão até lá.

  11. Não é o que a sua mulher disse no Twitter, Moro cara de peroba. Lá ela já estava sonhando com um marreco presidente.
    O ex-capitão nazista Bozo vai dar-lhe um pé na bunda e, o Lula passará o Bozo no liquidificador em 2022.
    #lulapresidente

  12. o marreco de maringá em entrevista, diz que a lava jato não cometeu excessos.

    Não houve excessos ????

    Perguntem a advogada Cata Preta, que teve que se refugiar nos EUA depois dela e da família serem ameaças de morte pela quadrilha de curitiba

    Perguntem ao advogado Tacla Duran, que teve que se refugiar na Espanha depois dele e da família serem ameaços de morte pela quadrilha de curitiba.

    Perguntem aos advogados do LULA que tiveram os telefones do escritório grampeados criminosamente.

    Perguntem ao delegado Maurício Moscardi Grillo, que foi afastado da PF por denunciar que a quadrilha de curitiba estava grampeando criminosamente o doleiro Youssef

  13. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome