N° 2 de Wajngarten e irmão “administrador” tem bens bloqueados por impostos, por Fernando Brito

É muito difícil que Fábio Wajngarten, chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência da República termine a semana no cargo.

do Tijolaço

N° 2 de Wajngarten e irmão “administrador” tem bens bloqueados por impostos

por Fernando Brito

É muito difícil que Fábio Wajngarten, chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência da República termine a semana no cargo.

Não só a transgressão de manter-se como sócio de uma empresa prestadora de serviços que presta serviços – ainda que legítimos – a seus “clientes” na Secom o derrubará.

Mas a “esperteza” de colocar o outro Fábio, o Lieberman – irmão de seu secretário adjunto, Samy Liberman – como administrador de sua empresa.

Samy não é apenas irmão de Fábio, é seu sócio.

Os dois dividiam duas empresas: a Maida Brasil Participações (CNPJ 03.594.047/0001-19), comprada em 2015 de um empresa com sede no Panamá, e a Lelon Participações. Dias antes de ser nomeado, Samy, como o chefe Wajngarten, colocou o irmão de “administrador”

Ambas as firmas, assim como Flávio e Samy estão com os bens bloqueados por ordem da juíza Paula Mantovani Avelino, da 3a. Vara de Execuções Fiscais do TRF-3, em São Paulo, em cautelar de ação fiscal movida pela União.

Cúmplices na maracutaia de manterem seus negócios privados por baixo dos panos, chefe e adjunto estão com os dias (ou horas) contados.

O general Santos Cruz, demitido do governo por conta de Fábio e Carluxo deve estar rindo à toa.

Ou vocês acham que ele não sabia?

4 comentários

  1. Este governo é inoperante por si só. Mais um caso que mostra que antes de tudo, um barnabé bolsonarista tem de ser laranjeiro e/ou ter algum familiar envolvido em suas maracutaias

  2. Nassif;
    Estranho que ainda ninguém e nenhum partido levantou a responsabilização dos corruptores ativos: band, record, e outros.
    É medo de encararem estes corruptos hipócritas (edir macedo, sayads etc etc ) de frente???
    Vamos ver quem toma a iniciativa.
    Genaro

  3. De acordo com o Bolsonaro, o Rato Wajngarten vai continuar no comando da Secom.

    E o Camundongo de Curitiba, será que ele fez o juízo de consistência da denúncia?

    Antes ele afirmava:

    “Se a denúncia for consistente, o Ministro envolvido em alguma denúncia de corrupção deve ser afastado. […]. Eu defendo que, em caso de corrupção, se analise as provas e se faça um juízo de consistência, porque também existem acusações infundadas, pessoas têm direito de defesa. Mas é possível analisar desde logo a robustez das provas e emitir um juízo de valor. Não é preciso esperar as Cortes de Justiça proferirem o julgamento”

    “Ele, Bolsonaro, disse que ninguém seria protegido”.

    Os Trouxas caíram no conto do vigário do Bolsonaro e do $érgio Moro. Agora aguentem!

    Eles têm bandidos de estimação. E bandido bom não é bandido morto, mas bandido no governo.

  4. Edir Macedo e Wajngarten: u’a mão lava a outra.

    Eles estão se ajudando mutuamente. Ou seria comensalismo, e não mutualismo, já que ambos, no fundo, se alimentam insaciavelmente dos recursos públicos?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome