O barco do amor (ou da vergonha), por Leonardo Isaac Yarochewsky

do Justificando

O barco do amor (ou da vergonha)

por Leonardo Isaac Yarochewsky

“Navegando nas ondas do mar eu vou
Meu destino eu vou seguir
No barco eu vou cantando o amor
Que levo dentro de mim” 

The Love Boat (O Barco do Amor) foi uma série de televisão norte-americana que foi produzida e transmitida entre 1977 e 1986 pela ABC. A série se passava em um navio que realizava cruzeiros  de luxo por diferentes lugares do mundo. Tratava-se basicamente de uma comédia romântica (havia sempre alguns casos amoroso entre vários passageiros).

A maioria dos episódios desenrolavam-se a bordo do navio Pacific Princess. Foram também outros barcos para a série ao longo do tempo como o Royal Princess (para cruzeiros no Caribe), O Stella Solaris (para cruzeiros no Mar Mediterraneo), o Pearl of Scandinavia (para cruzeiros no Mar da China) e o Royal Viking Sky (para cruzeiros na Europa).

Em outro barco aconteceu algo no mínimo inusitado, para não dizer vergonhoso. O ex-ministro da Justiça Alexandre de Moaraes indicado ao STF (Supremo Tribunal Federal) pelo atual ocupante do Palácio do Planalto participou de uma reunião na noite do último dia 7 (terça-feira) no barco do senador Wilder Morais (PP-GO), em Brasília. O jantar ocorreu na chalana Champagne, casa flutuante de Wilder. Alexandre de Moraes foi acompanhado de Sandro Mabel, assessor especial de Michel Temer. Alexandre de Moraes, que vem sendo questionado como nenhum outro na história recente do STF, afirmou que foi “surpreendido” com o jantar no barco do senador.

Leia também:  TV GGN: O avanço das milícias na Bolívia

Segundo parlamentares que participaram do encontro, o indicado para o STF foi questionado sobre acusações de envolvimento com a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), a Operação Lava Jato, legalização de drogas e prisão em segunda instância. “Foi uma sabatina informal”, contou um deles.[1]

Diferentemente da série “O barco do amor” aqui não há nada de engraçado. Os senadores e o ex-ministro da Justiça protagonizaram um deprimente espetáculo em que a República é maculada. É lamentável que aquele que possa vir a ocupar uma das 11 cadeiras da mais alta Corte de Justiça do País se proponha a participar de encontros nebulosos para tratar de conchavos sabe-se lá sobre o que. O preço da nomeação de Alexandre de Moraes, caso esta venha se confirmar, saíra muito caro para os valores da República.

Não bastassem todas as criticas feitas por diversas entidades e juristas do País ao indicado, Alexandre de Moraes, filiado ao PSDB até poucos dias, revela que não poupará esforços para acomodar os seus correligionários e aqueles que agora o apoiam.

A indicação de Alexandre de Moraes, por tudo que já foi dito, é mais uma bofetada dada por Michel Temer na sociedade brasileira para consolidação do golpe. O destino desse barco será o mesmo do Titanic. Mas aqui, o naufrágio se dará exclusivamente por responsabilidade daqueles que optaram por conduzir o barco em águas turvas.

Leonardo Isaac Yarochewsky é  é Advogado Criminalista.

 

3 comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome