O capitalismo nacional sob ameaça reage, surge uma nova politica

Comentário do post ” A terceira chance de Dilma
 
 
Fonte: Senado / Foto: Marcos Oliveira
 
A aposta do governo foi extremamente imprudente.
 
Tal opção consistiu em deixar a imprensa praticamente sem o contraponto do governo, deixando que esta imprensa e a oposição definissem o quadro político-econômico do país, pintando a imagem da Presidência e da Presidente com as piores tintas possíveis.
 
Tudo isso esperando que a atuação do Ministério Público, quando da divulgação da lista de políticos envolvidos na operação Lava-Jato, tivesse o condão de mostrar uma tal diferenciação da realidade, que a opinião pública ficaria perplexa diante do quadro pintado pela imprensa e pela oposição e os fatos concretamente apurados.
 
Note-se, caso se configurasse a investigação contra o Senador Aécio Neves, se delinearia, de forma mais clara que a ocorrida com o arquivamento, uma total inversão de responsabilidades, ou seja, nada contra Dilma e, ao contrário, a oposição e o referido ex-candidato é que seriam efetivamente os envolvidos nas tais operações fraudulentas.
 
Nesse momento, em que são restabelecidas novas premissas, em face da reconfiguração da realidade conjuntural, a Presidente voltaria a atuar de forma concreta perante a mídia – o que parece, vai efetivamente ocorrer -, com uma defesa mais factível e com menor vulnerabilidade, podendo passar a fazer o papel de protagonista no combate a corrupção.
 
Entretanto, frente a demora na definição, por parte do Ministério Público, a situação se deteriorou em demasia, e a estratégia não se revelou das mais aconselháveis, pelo excessivo desgaste decorrente da demora na aferição das figuras politicas envolvidas e, agora, pelo grau de envolvimento que se especula teria tido Aécio Neves e outras figuras menos notadas.
 
Prosseguindo.
 
Esta terceira chance mencionada pelo Luis Nassif, permite vislumbrar, de forma não tão evidente, mas passível de ser apreendida em suas linhas gerais, a existência de componentes de uma estratégia extremamente arriscada e mais, ouso dizer, equivocada, mas que, neste momento, tem alguma possibilidade de êxito.
 
É que, convenhamos, apostar tanto na atuação do Ministério Público, praticamente colocar todo o futuro em jogo, baseado apenas numa componente, conhecidamente de natureza frágil em suas convicções, pois sujeita a pressões incomensuráveis, afigura-se por demais temerário.
 
Ainda, a aparente calma e reacomodação do mercado que o Nassif chama de “barateamento”, não é uma simples calma, mas o realinhamento de “certas forças produtivas” e seus parceiros perante um quadro que se descortinava com cores apocalípticas.
 
A demora nesta recomposição das forças produtivas e do mercado nacional foi excessiva e não foi ainda devidamente apreciada, mas seus efeitos começam a aparecer.
 
O ataque feito contra as grandes empreiteiras e seus executivos nunca foi considerado como factível, e tomou de surpresa e despreparados toda esta estrutura, algo que colaborou para a falta de reação.
 
Neste cenário, tanto a opção do governo em esperar e articular suas re-ações com suporte no desdobramento da operação midiático politico judicial, como na expectativa da reorganização do setor empresarial brasileiro, se revelou uma opção de risco, calculado, mas de extremo risco.
 
Como a situação não evoluiu como ruptura, no atual momento se abre esta nova janela de oportunidade.
 
O pedido de água do PSDB, que através da imprensa anuncia até mesmo uma possível composição com o governo prenuncia um novo patamar no tabuleiro politico nacional,  mas com componentes imprevisíveis e infinita falta de confiança na intenção declarada.
 
A divulgação da lista – se ocorrer – delineará um novo quadro e, já na próxima semana, poderemos saber mais desta nova reconfiguração das forças nacionais ou, em outros termos,  isso que o Luis Nassif esta chamando de barateamento e nova chance.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  As eleições municipais em tempos de pandemia, por Rodrigo Medeiros e Luiz Henrique Faria

47 comentários

  1. Prezado SergioDesde o começo

    Prezado Sergio

    Desde o começo desta “operação” venho repetindo, o objetivo nunca foi a oposição, mas sim,  ” a base alienada” do governo.

    O jogo continuará a ser jogado pela polarização PT e PSDB.

    Lamentavelmente,  o estilo americano (dois partidos) de governar.

    Abração.

  2. O texto é de um otimismo
    O texto é de um otimismo impressionante. Com o grau de ódio e de desinformação que chegou uma parte considerável da classe média, e com a clara decisão do PSDB de utilizar isso a sei favor, não vejo janela de oportunidade alguma para acertos de governabilidade….

    A aposta no ódio do PSDB, notadamente representada pelo apoiou da cúpula do partido ao protesto do dia 15/03, vai tornar a política brasileira continuamente uma arena de gladiadores ávidos pelo sangue dos oponentes, custe o que custar… Inclusive a falência de empresas brasileiras que ajudaram a eleger congressistas de oposição….

    É o que o ódio espera do PSDB, e se o partido não atender abrirá as portas para outros partidos interessados na manada de votos raivosos…..

  3. Inclusão de Anastasia
    A inclusão de Anastasia e a exclusão do Aécio foi jogada combinada entre o Psdb e a PGR, simples assim. Investiga-se um sujeito considerado correto até por seus adversários, proclama-se logo sua inocência e o foco fica todo em cima do PT.
    Enquanto, Aécio vai se livrando – com a inestimável ajuda do PIG e do MPF – de suas listas: lista de Furnas, lista dos R$ 166 milhões, lista do Janot e, quem garante que não, lista do HSBC.
    Por isso, não acredito na reação da Dilma, a não ser que troque seu núcleo político por um núcleo mais aguerrido, que parta pra cima do Psdb e pressione por investigaçoes nas citadas listas.

    • LISTA DE FURNAS

      Caro Paulo, o foco do PGR era a PETROBRÁS, portanto, não deveria inserir  denuncias referente a FURNAS e outros.

      Pode esperar que a batata do Aécio está assando com as denuncias sobre a Lista de Furnas em que consta mais de 150 politicos.

      • Se o foco é a Petrobrás,
        Se o foco é a Petrobrás, porque o Juiz Moro está investigando Belo Monte e o setor elétrico? Furnas não está no meio disso porque?
        Foi desculpa esfarrapada para não denunciar Aécio. Porque não denunciou sendo que Youssef estava envolvido? A Camargo Correa também e a Camargo Correa está fazendo delação por estar em Belo Monte também! É muito suspeita essa proteção a Aécio. Janot prevaricou, o que Youssef contou envolve ate a irmã de Aécio, ou seja a extensão do que se contou é muito maior do que a de vários que estão na lista, que estão lá pelo motivo de disse me disse também. E como Aécio soube que seria tirado da lista? Alguem dentro do MPF e da PGR o avisou antes. Quem foi? E a denuncia da procuradora e as provas sobre a corrupção em Furnas envolvendo Aécio levadas a Janot não significam nada? E outro detalhe, Youssef fala claramente e repetida da mente que existia uma operação em Furnas entre PP e PSDB onde Aécio era quem comandava tudo na diretoria de Furnas da parte do PSDB e o mensageiro Janene comanda para o PP e o que Youssef fala é que as partes recebiam dinheiro desviado de Furnas . Isso é muito grave para que seja transformado em Pizza pelo Janot e o MPF!

    • LISTA DE FURNAS

      Caro Paulo, o foco do PGR era a PETROBRÁS, portanto, não deveria inserir  denuncias referente a FURNAS e outros.

      Pode esperar que a batata do Aécio está assando com as denuncias sobre a Lista de Furnas em que consta mais de 150 politicos.

  4. “Note-se, caso se

    “Note-se, caso se configurasse a investigação contra o Senador Aécio Neves, se delinearia, de forma mais clara que a ocorrida com o arquivamento, uma total inversão de responsabilidades, ou seja, nada contra Dilma e, ao contrário, a oposição e o referido ex-candidato é que seriam efetivamente os envolvidos nas tais operações fraudulentas.”

     

    Sério? O PT e os seus partidos aliados estão a 12 anos no governo, com distribuição de cargos pelas estatais, incluindo Petrobrás, e o comentarista esperava que fossem encontrados inúmeros agentes da oposição em operações fraudulentas? Só se a investigação incluísse o período pré chegada do PT ao poder.

  5. Pata Manca
    Os golpistas não dão à Dilma nem a chance de ser a “pata manca” como na política norte-americana. A condição de ser governo sem governar por não ter apoio nas Casas Legislativas. Querem logo destroná-la.

    A mídia coloca maldosamente a foto de Dilma junto com a do Aécio como se houvesse menção contra ela por parte dos Joãos-Sem-Braços delatores.

    O capitalismo nacional continua trabalhando e produzindo. Uma minoria de boçais, provavelmente a soldo de interesses estrangeiros está babando de ódio, pela sua própria impotência de conquistar o poder pelos meios legais, contra um governo legitimamente eleito. E que apesar das dificuldades e erros inspira enorme confiança por seu DNA desenvolvimentista e social, diferentemente de qualquer outra via no espectro político nacional.

    • Há efetiva menção à Dilma

      Essa afirmação, “A mídia coloca maldosamente a foto de Dilma junto com a do Aécio como se houvesse menção contra ela por parte dos Joãos-Sem-Braços delatores”, é equivocada, dissociada da investigação, pois Dilma foi acusada por Paulo Roberto Costa de saber da corrupção na Petrobras e da distribuição de propinas aos partidos e aos políticos.

      Há menção não só a ela, mas à boa parte da cúpula do Governo. Paulo Roberto Costa disse categoricamente que toda a corrupção da Petrobras era de conhecimento de Dilma, da Casa Civil, dos líderes dos partidos da base, dos políticos do PT, enfim, de todo mundo. O dinheiro que teria sido distribuído para as campanhas surge daí, desse conhecimento prévio.

      Dilma foi citada nas investigações. Paulo Roberto Costa fala até de um pedido de 2 milhões de reais vindo de Palocci para a campanha dela de 2010.

      Só não foi aberto o inquérito porque ela é presidenta da república e os crimes onde atua o PGR são não funcionais, o que não autoriza a investigação enquanto ela for presidente. A persecução penal fica suspensa, a prescrição dos crimes idem.

      No caso de Aécio Neves, a desculpa foi a de que não existiam provas da acusação ou que a acusação foi de “ouvir dizer”, algo assim. Na minha opinião, era para ter sido aberta a investigação contra ele. Ou então não se investigasse João Vaccari, já que o delator Barusco disse que não tinha provas contra ele. De qualquer forma, a situação de Vaccari, no contexto da investigação, é muito mais complicada, uma vez que a PGR está trabalhando com a premissa de que as doações das construtoras acusadas às campanhas eleitorais do PT eram pagamentos de propinas do esquema da Petrobras, vide a relação que se faz entre essas doações e os repasses para políticos como Lindbergh Farias, por exemplo.

      • Ai Jesus! … Ih, mencionei! … Tacale pau!

        “Paulo Roberto Costa disse categoricamente que toda a corrupção da Petrobras era de conhecimento de Dilma”

        Paulo Roberto Costa mencionou “ouvimento” de Youseff e etcs., que por sua vez desmentiu a menção de Paulo Costa. O famoso “disse-me-disse” que só adêvogados levam mais a sério do que qualquer coisa além de menção.

        Que aliás considerarão como acusações “categóricas” se algum dos envolvidos mencionar Jesus em algum exclamação como “Ai Jesus!”. 

        Prontchiu! Foi “categoricamente” mencionado!

         

        PS: O que é relevante é que na lista do MPF, Aécio pertence a ela como investigado com “carência de provas” (para investigar não é necessário prova, mas suspeita, indício e certamente os há), o que vc mesmo questiona. Já Dilma é sequer “mencionada” nesta lista para o STF, portanto é venal futrico da imprensa, que poderia dizer também o mesmo de Obama ou do Xá da Pérsia…

          • Já leu a refutação, Tony?

            Dá uma lida no meu comentário acima onde eu transcrevo trecho de depoimento de Yousseff onde ele acusa expressamente Dilma de saber da corrupção na Petrobras. Vai lá, lê. Ainda dá tempo de se informar.

          • Caro Argolo

            Li os dois, o dela e seu. A consistência dela e a inconsistência sua…

            Fica dando murro em ponta de faca numa acusação sem eira nem beira.

            Sabe a diferênça entre declaraçao e prova?

            Você é advogado mesmo? Desculpe, pensei que fosse.

          • Ai, ai, parece ser mais um analfabeto funcional hehehe

            Filhinho, qual parte do esclarecimento sobre o erro contido na afirmação do participante que fez o comentário inicial você não entendeu?

            O cara disse que Aécio e Dilma estavam em situações diferentes, ao contrário do que a imprensa quis passar quando colocava as fotos deles dois juntas. Isso é falso. Na verdade, a situação de Dilma, na concepção da PGR, é muito pior. No caso dela, foi a condição de presidente que impediu a abertura de inquérito, o que pode ser feito futuramente. Ela foi expressamente acusada por Yousseff, assim como Aécio também foi. Portanto, o que disse foi que a afirmação dele era improcedente em termos de operação Lava-Jato. Ela também foi acusada pelos delatores. Ele deu a entender que ela não tinha sido acusada pelos delatores e isso é falso. Foi sobre isso que eu comentei, apenas.

            No caso de Aécio, sempre dentro da concepção da PGR, não havia qualquer indício que autorizasse a abertura do inquérito, coisa com a qual eu discordo.

            Foi só isso mesmo o que eu disse, que tanto Dilma quanto Aécio foram acusados por Yousseff, que não faz sentido o que ele falou, entendeu? Leia devagar que você entende hehe.

          • Para de birra

            Me parece que analfabeto funcional não sou.

            O que me parece é que você quer fazer prevalecer a sua tese na marra. E para isso, como sempre, abusa das ilações.

            Está pressupondo, a partir de um comentario inicial de um colega. Foi isso que seu comentário expressa. A de que Dilma é culpada pois foi mencionada, sem provas, por um delator, E que o PGR só não a denunciou porque é Presidente (leu a mente do Janot ou ligou pra ele?).

            Cómo você abre um inquérito contra um PRESIDENTE com base numa menção? Fim da picada!

            Argolo, o que você acha ser uma virtude sua pode estar se transformando em defeito.

          • Tony, refutado, envereda pela desonestidade, tipico

            Um participante do blog disse que Dilma nao foi mencionada pelos delatores. Eu disse que isso era falso, que Yousseff mencionou Dilma. Provei a falsidade da afirmacao inicial. O que deveria acabar ai, ganhou outros ares quando um fake enveredou por questionar o merito da citacao do nome de Dilma em termos probatorios, o que nada tinha a ver com o comentario inicial, que meramente falou em inexistencia de citacao do nome de Dilma por parte dos delatores, o que eu provei que era falso.

            Tony, endossando o fake (o que o torna suspeito de ser fake tb), depois de igualmente refutado, faz a absurda afirmacao, sem qualquer fundamento no que eu escrevi e promovendo uma deliberada distorcao, tipico dos desonestos sem vergonha, de que eu eu tivesse pretendido dizer que a acusacao de Yousseff serve de prova da culpa Dilma (!). Ai eh dificil. Eh por gente como essa que o Governo Dilma esta fodido e mal pago.

            PS Teclado desconfigurado, dai a falta de acentos.

        • Tony, observe eu refutar a besteira dita acima

          Vou citar o que disse Yousseff (no documento que eu li, foi ele, e não Costa, mas este também deve ter afirmado a mesma coisa), ok? Como eu disse, eu leio os documentos, vou direto à fonte dos fatos e não fico emprenhando pelos ouvidos. Se eu disse que Dilma foi citada, é porque ela foi citada.

          E isso é tão óbvio, que o inquérito contra ela só não foi aberto porque ela ocupa o cargo de presidente da república e a Constituição Federal proíbe a investigação da pessoa do presidente pela prática de crimes não funcionais enquanto ela, a pessoa, estiver no cargo de presidente. Simples assim.

          Só isso já seria suficiente para entender que o que eu disse é verdade. Mas quando se é aloprado, nega-se a verdade, constrangedoramente.

          Mas aí vai a declaração de Yousseff de que Dilma, Lula e quase todo mundo da cúpula do Governo sabia da corrupção na Petrobras, a.k.a. Petrolão (declarações contidas no Termo de Colaboração 02, possível de ser lida na petição 5257, que trata do pedido de abertura de inquérito contra Gleisi Hoffman, qualquer coisa, clicar aqui para ter acesso à petição e constatar as declarações de Yousseff):

          “QUE, em complementação ao termo de declarações realizado na data de ontem, o declarante gostaria de ressaltar que tanto a presidência da Petrobras, quando o Palácio do Planalto tinham conhecimento da estrutura que envolvia a distribuição e repasse de comissões no âmbito da estatal; QUE indagado quanto a quem se referia em relação ao termo “Palácio do Planalto”, esclarece que tanto a presidência da República, Casa Civil, Ministro de Minas e Energia, tais como LUIS INACIO LULA DA SILVA, GILBERTO CARVALHO, ILDELI SALVATTI, GLEISE HOFFMAN, DILMA ROUSSEFF, ANTONIO PALOCCI, JOSÉ DIRCEU e EDSON LOBÃO, entre outros relacionados; QUE esclarece ainda que eram comuns as disputas de poder entre partidos relacionadas à distribuição de cargos no âmbito da Petrobras e que essas discussões eram finalmente levadas ao Palácio do Planalto para solução; QUE reafirma que o alto escalão do governo tinha conhecimento;”

          Tá vendo aí, Tony? Viu o nome da Dilma ali e do Lula? E a afirmação não é de “ouvi dizer”. Yousseff é categórico na acusação: Dilma, Lula e todos os demais sabiam da corrupção.

          Fora isso, tem a acusação de que Palocci teria pedido R$ 2 mihões de reais a Paulo Roberto Costa para a campanha de Dilma em 2010. Antes que falem besteira, estou apenas demonstrando que, diferentemente do que foi dito pelo comentário inicial, assim como Aécio foi citado por Yousseff, Dilma também foi. É so isso mesmo. Eu corrigi a informação errada do outro participante. E isso eu fiz porque eu leio os documentos. Não fico chutando informações e fazendo afimações falsas. O fato objetivo é esse: Dilma foi sim citada por Yousseff como conhecedora de todo o esquema de corrupção. Isso é um fato, registrado por escrito em seu depoimento.

           

           

           

          • Ai meu Jesus! (“citando” de novo!)

            “Se eu disse que Dilma foi citada, é porque ela foi citada”

            Foi citada pelo depoente (ai Jesus…) assim como Lula, Gilberto Carvalho, Ideli Salvatti, Jose Dirceu (nenhum “presidente” à época, como Palocci, devolvido), que também NÃO FORAM citados na LISTA do MPF ao STF, que é o que IMPORTA.

            Declarações soltas de criminosos reincidentes e envolvidos com política e crime são o que podem ser, meu Jesus! O resto é selecionar o que pode ser levado a sério e provar.

            Parece que o adevogado só lê o que lhe apraz. Gasta enorme energia em leitura e escrivinhação de um monte de palavras para refutar o irrefutável:

            A imprensa tenta envolver (e destacar!) Dilma num processo onde ela (como Lula e outros), AO CONTRÁRIO de Aécio, sequer foi mencionada:

            Na lista do MPF.

             

          • Fake retardado e a cartilha vencida

            Alguem disse que os delatores nao mencionaram Dilma. Eu disse que isso era falso e provei a falsidade, citando o depoimento de Yousseff. Essa era a controversia, ja superada. Ninguem discutiu sobre o valor probatorio da declaracao, que todos sabem precisar de outras provas (exculpatoria de correu, por si soh, nao vale como prova).

            Sugiro ao fake retardado que aposente a cartilha vencida, que ela nao engana mais a ninguem. Todo mundo viu que o que eu disse foi outra coisa e que voce, obtusamente e desonestamente, estah atacando algo que nao foi dito nos meus comentarios.

          • A irrelevância da bermuda xadrez nas intervenções irrelevantes

            Vamos voltar a origem dos seus já trocentos comentários, todos irrelevantes. Vou fazer um pequeno ajustepara tentar ajudar a fertilizar sua (des)percepção aguda:

            1) Aparece uma noticia com uma foto de Dilma de tailleur vermelho e Aécio de bermuda listrada, dizendo que “o MPF pediu o arquivamento dos inquéritos de ambos”.

            2) Um “participante” (sic) diz: “A mídia coloca maldosamente a foto de Dilma  junto com a do Aécio de bermuda xadrez como se houvesse menção contra ela na lista do MPF”.

            3) O dotô, ao invés de apenas comentar: “Ei colega, o Aécio está de bermuda listrada”, tece um looooongo processo de quinhentas laudas para corrigir um equívoco que não é o ponto do comentário, mas sim a tentativa da míRdia em destacar Dilma numa comparação indevida e marota com Aécio. Isso, até meu chihuahua de 6 meses já percebe.

            4) Aí uma fake (sic hehe) comenta que o fato da bermuda ser listrada ou xadrez é evidentemente irrelevante. Mereceria quando muito, uma linha, como a sugerida em (3). O relevante é a manipulação da mídia com a tão aguardada lista do MPF, equiparando incomparáveis.

            5) Na sua longa (e irrelevante) correção, vc ainda afirma que Dilma está de tailleur vermelho só porque é obrigatório para presidentas petistas,como as ciclovias paulistanas…

            Mas o dotô vai morrer lutando (e atirando, hehe) em sua defesa de que só disse que a bermuda de Aécio era listrada!

            Um comentário chuchu…

            Se não ajudar, peça ajuda “aos universitários”…

          • Óbvia é a incapacidade de interpretar seus próprios argumentos

            “E isso é tão óbvio, que o inquérito contra ela só não foi aberto porque ela ocupa o cargo de presidente da república”

            Não percebe a comparação entre uma tosca e infundada “menção de sabiam”, contra acusações de recebimento direto de propinas, coincidentes até com documentos de outros processos.

            Não percebe que a lista que traz grifada inclui “não ocupantes do cargo de presidente”, como o próprio Lula, Gilberto Carvalho, Ideli, etc. que também não foram mencionados na lista do MPF.

            E olha que se denomina advogado!

             

            PS: Apenas como curiosidade: FHC sancionou uma lei no final do seu mandato, dando foro privilegiado a ex presidentes e outros “ex”, também curiosamente derrubada pelo STF já no ano do mensalão e penúltimo de Lula I, declarando-a inconstitucional.

          • Acontece, fake, que Dilma foi acusada em outros contextos

            Palocci eh citado por Costa como responsavel por um pedido de R$ 2 milhoes de reais que seriam aplicados na campanha de Dilma de 2010. Alem disso, varios politicos da base aliada, entre eles politicos do PT, teriam sido beneficiados de repasse para a campanha de 2010. Sem falar da citacao de Vaccari feita por Barusco, tesoureiro que se encontra sendo investigado no processo comandado por Moro.

            Lula e os outros citados provavelmente nao foram objeto de pedido de abertura de inquerito veiculada pelo PGR Janot porque, primeiro, acima de tudo, os indicios foram fracos e, segundo, o que impedia a abertura no STF, porque os outros citados nao tem direito a foro por prerrogativa de funcao, ou seja, nao sao deputados nem senadores nem ministros (Salvatti nao eh mais nada, nem Dirceu, nem Lula, nem Palocci, nem Gilberto Carvalho etc, unica excecao feita a Palocci, que foi pedido remessa das pecas de informacao para que a autoridade competente procedesse conforme entendesse de direito, fora do ambito do STF, pois os indicios contra ele foram mais consistentes, citado em duas diferentes ocasioes, isso se nao foi citado em outras).

            Por isso nao foi pedido abertura de inquerito nem no STF nem na primeira instancia contra os outros citados (indicios insuficientes e nao existencia de foro por prerrogativa de funcao). Palocci nem mesmo foi objeto desse tipo de pedido, qual seja, abertura de inquerito. Quem farah isso eh a autoridade competente de primeira instancia, depois de analisar as pecas de informacao remetidas por Janot.

            Leia a Constituicao, fake burro, e aprenda a interpretar corretamente os fatos

            Art. 102. Compete ao Supremo Tribunal Federal, precipuamente, a guarda da Constituição, cabendo-lhe:

            I – processar e julgar, originariamente:

            (…)

            b) nas infrações penais comuns, o Presidente da República, o Vice-Presidente, os membros do Congresso Nacional, seus próprios Ministros e o Procurador-Geral da República;

            c) nas infrações penais comuns e nos crimes de responsabilidade, os Ministros de Estado e os Comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, ressalvado o disposto no art. 52, I, os membros dos Tribunais Superiores, os do Tribunal de Contas da União e os chefes de missão diplomática de caráter permanente;(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 23, de 1999)

            (…)

            Foi por tudo isso que o PGR Rodrigo Janot nao pediu abertura de inquerito contra os outros citados, a excecao de Palocci, citado duas vezes, em condicoes diferentes (sabedor do esquema de corrupcao e pessoa supostamente responsavel por pedido de dinheiro de corrupcao para a campanha de Dilma em 2010, um fato concreto citado por Paulo Roberto Costa em sua delacao, que disse que o pedido chegou ateh ele, fato suficiente para abrir um inquerito e apurar a verdade da acusacao).

            No caso de Palocci, Janot pediu que fossem remetidas as pecas de informacao para a primeira instancia para as providencias cabiveis. Ele nao tem direito a foro por prerrogativa de funcao e, portanto, o PGR nao poderia pedir abertura de inquerito contra ele, nem no STF nem na primeira instancia. Fez o que era cabivel, requereu a remessa das pecas para a primeira instancia. Por uma questao de logica basica, se contra ele foi feito esse procedimento, eh porque a situacao dele diverge das demais pessoas nas investigacoes da Lava-Jato.

            Portanto, contra os outros citados, alem do foro por prerrogativa de funcao, os indicios foram considerados insuficientes para um pedido de abertura de inquerito, diferentemente de Dilma, cuja justificativa do PGR Janot para a nao apresentacao do pedido de abertura, como todo mundo que leu as peticoes correspondentes sabe, foi o paragrafo 4 do art. 86 da Constituicao Federal. Fora isso, teria sido pedido abertura de inquerito contra ela. Basta ler as peticoes onde o assunto foi tratado.

             

             

          • Insistente, redundante e repetitivo para suposições irrelevantes

            1) A única “acusação” feita à Dilma foi de que ela (e um monte planaltino) “sabia”… (curiosamente em delação complementar).

            2) Todas as demais “acusações” são a pessoas que “podem ser ligadas” à campanha dela em 2010 (sequer à pessoa dela).

            3) Na sua repetitiva difusão da “acusação” de Paulo Costa, vc omite convenientemente que ele (a) foi “categoricamente” desmentido por Youseff; (b) ele próprio (Costa) declarou “não saber se à época Palocci tinha algum cargo no governo”; (c) não “tinha certeza” se o pedido fora feito por Palocci ou por um assessor (talvez estivesse bêbado, hehe).

            Portanto, sua singela defesa à uma inocente “correção” à um colega, através de todos esses seus longos e redundantes comentários, incluindo até um “alerta geral” de que “ninguém está se atendo aos fatos da lava-jato” já está ficando grotesca.

            Realmente, nesta profusão de “fatos”, tentamos nos ater aos relevantes.

            E vc continua deixando um loongo rastro do excesso de areia vazando do seu caminhãozinho.

             

            PS: Quanto a “ler a CF” (que vc pegou carona no meu FHC), vc sabe bem que burros não lêem. Mas ainda assim, escrevem melhor q vc….

             

  6. O capital nacional privado ficou doente terminal desde pós-JK

    Eu cresci numa época de “Brasil Grande”, em que houve um apogeu do capital nacional aplicado em todas as áreas (indústria, comércio, serviços, alimentos, etc). Até a o “capital estatal” em diversas áreas tirou o Brasil do completo atraso (energia, comunicações, petróleo, aviação, siderurgia, etc.).

    Quem não sabe disso, desconhece como funcionava o Brasil nestas áreas, antes.

    Até mesmo a indústria automobilística tinha capital nacional! (santa inocência, Robin!), como a Vemag e o grupo Monteiro Aranha (? ou Carvalho, se não me falha a memória, não vou pesquisar), na DKW (Auto-Union-Audi), Willys e Vokswagen (as “do Brasil”, públicas conforme um ex-presidente do STF e chefe do nosso Judiciário).

    Até o maior porto da AL era de capital privado (família Guinle).

    Já do meio da ditadura em diante, onde uma parte da oposição à ela, disfarçada de democrática mas pouco nacionalista (o atual PSDB), surfando na onda das “Diretas Já” apenas para entregar o país à globalização, este capital adoentou-se e gangrenou-se em muitas partes do seu corpo (na verdade, foi envenenado…).

    Assim, a proteção a setores estratégicos (feita em quaisquer países, como EUA, Japão, Europa, China) para seu desenvovimento (ou resguardo) soberano, independente e competitivo, potencial inegável deste nosso torrão varonil, foi destruido à machadadas (já por Collor), precedido por uma longa e incansável campanha de míRdia (ah essa míRdia, a quem ela serve?) contra esta “proteção indevida”, natural a qualquer infância contra adultos velhacos e predadores desse mundão. Deu no que deu.

    Como toda criança que precisa de cuidados e proteção, deve com o devido tempo, se desenvolver e aprender a se virar quando adulta, para competir no mundo real. Portanto os erros aí são pelo menos dois:

    1) A proteção serviu apenas para proteger crianças mimadas (nosso empresariado ,culturalmente mal acostumado a privilégios), que nunca quiseram sair das barras de saia da proteção, mantendo uma vidinha fácil sem se preocupar em desenvolver-se, tornar-se adultas e competir. Só faturar, tlim, tlim!

    2) Ao invés de um planejamento de seu amadurecimento, foram repentinamente largadas nas ruas, já pelo primeiro Fernando (nada contra o nome, mera e nefasta coincidência), tornando-se, como apetitosos(as) adolescentes, presas fáceis dos predadores que já estão nestas ruas do mundo há séculos.

    O fato é que do capital privado nacional (que ainda era incipiente para, por ex. poder criar gigantes privados da indústria, como o foram já no século XIX nos EUA) sobrou muitíssimo pouco, reduzido bascamente à área financeira, com alguns bancos (eminentemente Itau e Bradesco), que pouco produzem e muito sugam da economia.

    Na área produtiva, ficou “difícil”. Na comercial, algumas redes que hoje estão se tornando também estrangeiras. Fomos invadidos até por escritórios imobiliários, jurídicos e de publicidade, atividades tipicamente locais. (sim, nosso capital é pequeno, mas nosso mercado e recursos materiais e humanos não).

    Na área agropecuária sempre tivemos gigantes familiares, ainda que menos “empresariais”, mas que precisam girar nelas mesmas. Na industrial ficamos a ver navios, literalmente (de Cingapura, por ex…).

    Até a indústria automobilistica, uma das maiores do mundo, sabemos ser 100% estrangeira!

    O que sobrou de relevante foi …

    O setor de construção!

    Desde pelo menos os cinquenta anos em cinco de JK e a construção, a partir do zero, de uma capital mundialmente conhecida, desenvolvemos um capital nacional relevante neste setor, que construiu de barragens e pontes gigantes a portos, estradas, aeroportos, centros industriais, etc. aqui, no Iraque, nos EUA e pelo mundo afora.

    Talvez seja esta a última grande machadada em nosso “capital nacional”.

    Aí sobrarão os “fundos de pensão”, que já tem destino (in)certo, 2 grandes bancos esponja e um pequeno capital (uns 5 bi/ano?) de financiamento de campanha, de sentada abundância para “vistas” (que tenho certeza não foi sequer visto desde então) num processo já decidido no STF (e que deveria ter valido já nas últas eleições).

    Ah, sim, tem a JBS. Mas esta precisa gastá-lo para manter seus bois (com ou sem nome) gordos.

    Portanto, daquela velha e surrada “divisão” entre capital e trabalho, neste berço esplêndido …

    Advinhem o que nos sobrará?

  7. Dilma e o lulopetismo guiaram

    Dilma e o lulopetismo guiaram o país ao abismo e a culpa é da imprensa!?!

    Gnus também sabem contar piadas..

  8. Imprensa?

    Estranho, a escalada de aumento de preços que percebo em meu dia-a-dia não me parece ser coisa da imprensa.

  9. JaNot Brasil -JaYes tucano


    JaNot Brasil -JaYes tucano parece ter feito tudo sob medida, direitinho para os Pigs. Não listar nenhum tucano seria descaramento demais! Então citaram o Naná.

    Além disto, para não estender o assunto de tucano na lavajato, foi anunciado que a investigação do Anastasia será uma das primeiras.

    Alguém duvida que ele será inocentado e com ele todo o ninho tucano?

    Enquanto isto, confundem os corações e as mentes dos incautos, dizendo que o inexistente caso Dilma é que foi arquivado.

    Tá tudo dominado!!!

     

     

  10. Tem gente que não está se atendo aos fatos da Lava-Jato

    Exemplo:

    “A mídia coloca maldosamente a foto de Dilma junto com a do Aécio como se houvesse menção contra ela por parte dos Joãos-Sem-Braços delatores” (afirmação do participante Fernando Antonio Moreira Marques, num dos comentários abaixo).

    O que realmente consta na Operação Lava-Jato (declarações contidas no Termo de Colaboração 02, possíveis de serem lidas na petição 5257, que trata do pedido de abertura de inquérito contra Gleisi Hoffman, qualquer coisa, clicar aqui para ter acesso à petição e constatar as declarações de Yousseff):

    “QUE, em complementação ao termo de declarações realizado na data de ontem, o declarante gostaria de ressaltar que tanto a presidência da Petrobras, quando o Palácio do Planalto tinham conhecimento da estrutura que envolvia a distribuição e repasse de comissões no âmbito da estatal; QUE indagado quanto a quem se referia em relação ao termo “Palácio do Planalto”, esclarece que tanto a presidência da República, Casa Civil, Ministro de Minas e Energia, tais como LUIS INACIO LULA DA SILVA, GILBERTO CARVALHO, ILDELI SALVATTI, GLEISE HOFFMAN, DILMA ROUSSEFF, ANTONIO PALOCCI, JOSÉ DIRCEU e EDSON LOBÃO, entre outros relacionados; QUE esclarece ainda que eram comuns as disputas de poder entre partidos relacionadas à distribuição de cargos no âmbito da Petrobras e que essas discussões eram finalmente levadas ao Palácio do Planalto para solução; QUE reafirma que o alto escalão do governo tinha conhecimento;”

    Como se observa, Dilma foi citada por Yousseff como conhecedora do esquema de corrupção, além de outros membros da cúpula dos Governos do PT. Logo, o comentarista falou uma coisa falsa, sem amparo nos fatos da Operação Lava-Jato.

    • Muito texto e grifo inútil, para pouca relevância

      O que importa não é o que foi mencionado nas milhares de horas de depoimentos e declarações, a maior parte delas centrada em um “enojado” criminoso confesso que trai seu país e sua empresa, que podia lhe dar uma vida mais do que confortável e um outro criminoso confesso e reincidente, misturado à política com negócios (tucano’s way of life) permitidos por um avantajado traseiro sentado sobre uma decisão julgada e final do STF sobre financiamento político.

      O que importa é o caldo extraído destas milhares de horas de declarações e delações pelo MPF em continuidade ao devido processo legal numa lista enviada ao STF que CONTÉM uma petição em nome de Aécio Cunha e NENHUMA em nome de Dilma (e outros “não presidentes” mencionados no comentário grifado e inútil).

      O que importa é o fato de a míRdia insinuar e destacar o nome de Dilma numa lista (a do MPF) em que ela nunca esteve.

      Defender fatos farsescos usando fatos farsescos é farsesco ao quadrado.

      • Outro fake retardado distorcendo o que foi dito, boneco de palha

        Alguem disse que os delatores nao mencionaram Dilma. Eu disse que isso era falso e provei a falsidade, citando o depoimento de Yousseff. Essa era a controversia, ja superada. Ninguem discutiu sobre o valor probatorio da declaracao, que todos sabem precisar de outras provas (exculpatoria de correu, por si soh, nao vale como prova). No entanto, pode tranquilamente amparar um pedido de abertura de inquerito, desde que associado a outros fatos, como, alias, deixou claro o PGR Janot. Isso eh ainda mais verdadeiro no contexto da Lava-Jato, onde outros fatos podem indicar a existencia de indicios, como a acusacao de Costa de que Palocci teria pedido a ele R$ 2 milhoes de reais para a campanha de Dilma de 2010 e o fato de inumeros politicos da base aliada do governo, inclusive politicos do PT e o tesoureiro do partido, terem sido supostamente beneficiados pelos pagamentos oriundos de dinheiro de corrupcao.

        No entanto, em nenhum momento entrei no merito probatorio da acusacao de Yousseff, que eu sei muito bem nao ter esse peso probatorio conclusivo e sempre depende de outras provas.

        Sugiro ao fake retardado que aposente a cartilha vencida, que ela nao engana mais a ninguem. Todo mundo viu que o que eu disse foi outra coisa, qual seja, Dilma foi sim citada pelos delatores, e que voce, obtusamente e desonestamente, estah atacando algo que nao foi dito nos meus comentarios (que a citacao do nome de Dilma, acusada por Yousseff, teria valor probatorio conclusivo, o que eu nunca disse que tinha, ateh porque sei que nao tem).

        • Vc precisa se decidir se é só uma “correção” ou “mais” que isso

          Se for, uma linha bastaria, tipo: “Dilma foi citada sim, por fulano e beltrano” (ningúem contradisse) …

          Mas sua rasa percepção não lhe permite entender que a “controvérsia” de origem no comentário de “alguém” tem outro foco: a manipulação de míRdia para atingir e desgastar Dilma (pra variar) e quem sabe amortecer o Aécio nela.

          Se não for isso, já escreveu e grunhiu muito (e defensivamente)

          Para um ponto tão irrelevante.

  11. só leio prognósticos, nenhuma

    só leio prognósticos, nenhuma conclusão….

    mas sempre achei que a dilma age corretamente ao

    deixar as coisas acontecerem porque ela acredita

    na maturação da democracia brasileira.

    e quer mesmo tentar eliminar ese processo de corrupção….

    por enquanto a democracia prevalece…

    vamos ver no que dá….

    o que nos resta é defender a democracia….

    o resto é golpismo barato…

  12. dilma, a ingênua

    será que por parte do grupo dirigente do governo federal não há inteligência política?

    parece que Dilma e seu grupo não conhece a história do governo Bush e a construção como verdadeira da mentira das armas no Iraque para se fazer o que foi feito.

    desde quando pode-se acreditar nesse grupo do judiciário e do M. Público brasileiro?

    não sei de onde tiraram como estratégia a passividade ridícula diante da ofensiva feroz da quadrilha que tomou conta da mídia e do judiciário brasileiro

    só mesmo sendo muito ingênuo.

    e com essa ingenuidade vamos todos para um buraco, mais que negro

    acorda Dilma e seu grupo

    • Vc num percebeu

      Te tanto tio Sam influenciar , você ignora a raiz política plantada ha 12 anos não quero atenuar a gravidade dos EUA quanto a cumplicidade ao terrorismo dos EUA pelo mundo afora.

      acho um tanto paranóico e na verdade doentio da sua parte o simples mencionamento com EUA x Iraque ..apesare vcs serem paranóicos beirando o extremismo e graças são poucos ainda temos , e vc também tem, a descendia supeiora esta imoralidade deles. Fac,a então o seguinte:

      procure se informar;

      Mantenha a calma;

      Ou procure um Dr.

      Ou siga-nos sem medo

  13. Entendi não…
    Quer dizer que

    Entendi não…

    Quer dizer que o Governo achava que a Lava-Jato iria incriminar o Aécio e assim virar o jogo? COMO a Petrobrás iria dar dinheiro sujo ao Aécio se ela está sob o comando do PT há 12 anos?

    Outra coisa: a corrupção na Petrobrás é sem dúvida importante pro desgaste do Governo, mas não é o fator principal. O que está inviabilizando o 2° governo Dilma foi a conduta dela de mentir desscaradamente nas eleições e depois fazer tudo o que disse que o Aécio faria…

  14. O advogado Miguel Reali está

    O advogado Miguel Reali está dizendo que devem renunciar aos cargos: Dilma Roussef; Renan Calheiros e Eduardo Cunha. 

    O que me espanta é ver deputados e senadores insistindo em CPI, em Comissão de Ética, tudo no sentido de questionar colegas, isso num cenário político degradado, talvez o pior já visto ao longo da História do Brasil. Eu, se fosse convidado pra essas CPI não iria de jeito algum. Se convocado, iria, porém pra manter-me quieta, como tantos fazem, só pra encher o saco desse bando de pateta.

    Com relação a Dilma, o eco das ruas será a resposta para que ela fique ou faça o que entende Miguel Reali. Eu, particularmente, ando pra lá de decepcionada com a inépcia da Presidenta. Não consigo vê-la no Planalto até o final do seu mandato.

  15. Trecho da decisão do Ministro Teori acerca da presidente Dilma

    Para dirimir dúvidas em relação a ter o referido Ministro do STF, Teori Zavascki, expressamente descartado até mesmo a hipótese de existirem elementos hábeis a que se pudesse abrir um Inquérito contra a Presidente Dilma, segue o trecho da decisão em que primeiro são relatadas as considerações do PGR Rodrigo Janot : De análise conjunta dessa referência com outras em que disse também acreditar que determinadas pessoas soubessem dos fatos não pode gerar, automaticamente, providência de investigação direta quanto a eles se não há nenhuma indicação sequer de um dado que permita essa conclusão.e, após, a conclusão do Ministro Teori: “Portanto, a rigor, nada há a arquivar em relação a Presidente da República.” 

    “[…] Impende referir expressamente também que, no início do Termo de Colaboração n. 2, Alberto Youssef, espontaneamente, destacou genericamente que, quando se referiu na linha anterior do mesmo depoimento ao termo ‘Palácio do Planalto’, seria uma menção tanto a Luiz Inácio Lula da Silva, Gilberto Carvalho, Ideli Salvatti, Gleise Hoffmann, Dilma Roussef, Antonio Palocci, José Dirceu e Edson Lobão. Na sequência, iniciou propriamente dito o depoimento com detalhamento de novos fatos. De análise conjunta dessa referência com outras em que disse também acreditar que determinadas pessoas soubessem dos fatos não pode gerar, automaticamente, providência de investigação direta quanto a eles se não há nenhuma indicação sequer de um dado que permita essa conclusão. Nestas situações, não havendo uma indicação com indícios mínimos de participação de eventuais agentes, na linha de reiterada jurisprudência do Supremo Tribunal Federal (v.g. HC 82.647-PR), o ordenamento jurídico e a necessária prudência impõem obstáculo a pleito de instauração de procedimentos perante o Supremo Tribunal Federal (vide especialmente termos de depoimentos n.s 2, 14, 19, 41 e 57). De qualquer forma, e em complemento, é fundamental também deixar bem expresso que tal conclusão momentânea e inicial não implicará jamais em não adoção de providências de condutas de quaisquer indivíduos, desde que, porém, estejam presentes os pressupostos exigidos pelo ordenamento jurídico, notadamente indícios de participação ou omissão com influência no resultado dos fatos criminosos.” (Rodrigo Janot- grifo meu)

    3. Dessa narrativa fática, constata-se que o procedimento foi instaurado exclusivamente em relação a Antonio Palocci Filho, porquanto, em relação a “referência a envolvimento indireto” (fl. 68) da campanha da Presidente da República, o próprio Procurador-Geral da República já adiantava excluir, dos elementos à vista, conclusão que conduzisse a procedimento voltado à Chefe do Poder Executivo. Portanto, a rigor, nada há a arquivar em relação à Presidente da República. Aliás, ainda que assim não fosse, é certo que, nos termos da Constituição Federal, “o Presidente da República, na vigência de seu mandato, não pode ser responsabilizado por atos estranhos ao exercício de suas funções. (Ministro Teori Zavascki,grifo meu).

     

    Integra do texto … http://jornalggn.com.br/sites/default/files/documentos/pet_5263_0.pdf

     

  16. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome