O secretário Perrella e sua visão do futebol, por João Sucata

ESPORTE BRETÃO

O secretário Perrella (do helicóptero) e sua visão do futebol

por João Sucata

Perrella filho, nomeado secretário dos esportes do atual governo federal não quer saber de ajuste fiscal no futebol.  Perrella pai é senador aecista, pro impeachment, natural que o filho recebesse a secretaria, uma prebenda. Nem neste e nem nas demais recompensas deferidas pelos pro impeachment se viu na mídia manchetes sobre “leilão de cargos para manter governo”.  Explicam: é apenas uma questão de manter a base aliada para aprovar projetos de lei.

No caso, porém, há algo mais: os Perrellas são donos do helicóptero que caiu no interior de Minas, com 445 quilos de cocaína ( e não meia tonelada, como se espalha maldosamente por aí). Estamos em um país onde se descobre e se expõe o pedalinho comprado por um ex presidente da República após dois anos de investigações do TCU, AGU, MPF, PGR, LAVA JATO, RECEITA, SNI (recomposto com outro nome), Polícia Federal, quebra de sigilo bancário, telefônico, tributário. Nem há vazamento do inquérito? Ou será que é a mídia que não divulga?

Bem, o tal secretário deu entrevista a Folha em 19 de setembro onde diz que jogador de futebol ganha muito bem, os clubes são deficitários, tem mesmo que cobrar caro ingressos para jogos, tem que ser ajudados pelo governo, justo que suas dívidas sejam anistiadas etc. Mais um detalhe: os Perrella são meio que donos do Cruzeiro.

Leia também:  Por fora, bela viola. Por dentro, pão bolorento, por Rita Almeida

Disse Perrella filho, em outras palavras, que a sociedade deve pagar os salários mirabolantes dos jogadores e a irresponsabilidade dos clubes,  que jogadores devem ser tratados como seres especiais. Fala pelo mesmo governo que quer adiar aposentadoria por falta de recursos para a previdência.

Já por diversas vezes governos (portanto não só este) perdoaram dívidas dos clubes. Todos sabemos que é comum jogadores ganhando mais de R$ 300 mil por mês, alguns mais que o dobro, Neymar enquanto no Santos ganhava quase o quádruplo. Robinho que foi do Santos para o Atlético de MG ganha  o triplo. Tudo indica que a remuneração total do centroavante Fred, que foi do Fluminense para o mesmo Atlético também é muito elevado. Ganham muitos milhões quando trocam de clube. Que o homem comum tenha que pagar esse custo é conclusão muito interessante do senhor secretário. Devem mesmo se responsabilizar  pelas dívidas que o Atlético fizer com seus craques, se o clube quebrar?  

De certo modo é a classe média quem anda pagando os altos preços dos ingressos, e revoltada, pois é pesado, mesmo para ela. O povão fugiu dos campos. Até isso perdeu. Um ingresso barato custa R$ 60,00. Pobre consegue assistir um ou outro jogo pela TV aberta. Logo mais teremos no Brasil mais torcedores do Barcelona ou do Chelsea do que do Flamengo ou Corinthians. Apenas a classe média mais bem de vida consegue pagar serviços dos canais fechados da TV Globo, que compraram exclusividade para televisionar os jogos. Além disso, como a TV Globo tem que faturar também com novelas, os jogos durante a semana são marcados para um horário da noite em que trabalhador não tem como assistir, pois no outro dia tem que levantar cedo. Mesmo que assim não fosse, o transporte público, especialmente o metrô,  ou ônibus para bairros da periferia, deixam de circular em horários próximos do fim dos jogos.  Como voltar para casa?

Leia também:  Greenwald diz que Moro "finge amnésia" sobre mensagens reveladas pelo Intercept

Eis aí mais uma conta que pode nos ser apresentada: anistia para os clubes em vez de exigir deles aresponsabilidade fiscal, o encontro de receita, que não é pouca, com despesas. Os irresponsáveis serão mais uma vez premiados, tanto os jogadores que ganham salários delirantes.

João Sucata

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

16 comentários

  1. esse parrella é fruto da

    esse parrella é fruto da esparrela com que tratam o brasileiro que, por sua vez, aplaude o ato de ser roubado e sacaneado diariamente. pobre povo.

  2. O secretário Perrella e sua visão do futebol, por João Sucata

    Não fosse o trágico seria uma piada pronta num país bananeiro.

    Dois pedalinhos, algo como 2 mil, mereceram a atenção de um enorme e bem pago grupo de funcionários públicos. descobriram que foi pago regularmente, com nota fiscal, após uma longa e trabalhosa investigação.

    Já o helicoca foi resolvido em 48 horas. Na primeira versão, a culpa era do mordomo, isto é, do piloto. Logo aconteceu o previsto: caso sumiu do noticiário e tudo voltou como dantes no quartel de abrantes.

    – My President Candidate have a chopper filled with coke. Frase sintomática dita por integrante do show business norte-americano que correu na rede no período eleitoral. Será que por lá sabiam os reais proprietários da “coisa” ?

    Por aqui, no ritmo humorístico de Curitiba “isso não vem ao caso”.

    É o Brazil, zil zil da Rede Golpe.

     

     

  3. Joias Bíblicas

    “O que é do Pó volta ao Pó”

    “Pode o espinheiro dar frutos?”

    “Os maus agem assim”

    “Não se deve esconder uma lâmpada debaixo da cômoda”

    “Até Belzebu tem sempre adeptos”

  4. Um erro simples, o

    Um erro simples, o helicoptero não caiu, ele estava fazendo sua segunda parada para descaregar sua carga.

    É possivel que tenham retirado cinco quilos a mais na primeira parada, realizada no interior de São Paulo.

    Nunca saberemos pois eles tem socios na PF e no MP

    • helicoca..,..

      Quando José Eduardo Farah vendeu o”paulistinha” para o SBT, trombando de frente com RGT e CBF, grande parte da imprensa (que muitas vezes fazem um jogo dúbio) foi contra a FPF, promovendo a caça ao seu mandato, através de reportagens diárias de investidas da PF no governo FHC. Derrubaram Farah, assumiu Del Nero na FPF e o monopólio das transmissões. Acabaram-se quaisquer possibilidades de diversificação nos torneios de futebol em SP e principalmente fora dele. No governo Lula/Dilma, nada foi feito para a quebra de monopólio das transmissões (que poderiam ter a interferência direta do CADE). A influência que houve foi pela manutenção de privilégios, construção de estádios com dinheiro público, associação e benefícios às entidades criminosas ligadas ao futebol, que estão sendo processadas e presas nos EUA, com( para dizer o mínimo) muita cumplicidade. Inclusive para obtenção no país das Olimpiadas e Copa do Mundo. Depois disto tudo, deste período de governos progresistas e de centro esquerda que nada fizeram, ou muito fizeram para a manutenção deste lixo dentro do esporte e da politica, culparemos a quem pela permanência da pocilga, onde o país atolado, não consegue se libertar? 

  5.  
    O derrotado Aécinho e

     

    O derrotado Aécinho e dileto amigo dos perrelas tá com os  buracos das ventas dilatados. Deveria consultar o médico e açogueiro Caiado para corregir o cheirador.

    Orlando

  6. Coisas do Brasil…

    O helicóptero era do Perrella. O piloto do helicóptero era empregado do Perrella. 

    Já a cocaína não tem dono nem tinha destinatário. Apareceu do nada e desapareceu da mídia também por encanto.

    E todos os coxinhas viveram felizes para sempre!

  7. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome