Obra que usa discursos de Bolsonaro num bueiro é censurada porque “o presidente merece respeito”

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – Uma obra de arte chamada “A voz do ralo é a voz de Deus”, que insere discursos de Jair Bolsonaro numa espécie de bueiro cercado por 6 mil baratas, foi censurada no Rio de Janeiro pelo diretor da Casa França-Brasil, Jesus Chediak, com a benção do secretário de Cultura do Estado, Leandro Monteiro. O motivo para impedir a exposição da peça é que Bolsonaro foi eleito pela “maioria” e “merece respeito”.

A peça, do coletivo de artistas “És uma Maluca”, foi feita para uma exposição que tinha como mote a releitura de um escritor periférico. A que usa a voz de Bolsonaro foi inspirada num texto de Rodrigo Santos, de São Gonçalo, que narra episódio de tortura que lembra os idos da ditadura militar: uma mulher tem baratas introduzidas em sua vagina.

O diretor do espaço disse que “não nos interessa, no momento, envolver um presidente eleito, que ainda nem tomou posse. O artista é dono de sua obra, mas nós temos responsabilidade pelo espaço, que é público.”

O secretário estadual de cultura concordou com a medida e disse que não se trata de “censura”, mas de preservação da imagem do presidente eleito em espaço público.

Segundo relatos de O Globo, do bueiro saem discursos de Bolsonaro.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Doria diz que "pela primeira vez" houve queda "leve" nas mortes por coronavírus

22 comentários

  1. O ex-presidente Lula é um

    O ex-presidente Lula é um prisioneiro político, proibido de dar entrevistas. Nesse contexto, faz todo sentido respeitar a ditadura fascista.

  2. Genial. Os artistas

    Genial. Os artistas conseguiram o que queriam: a divulgação de sua obra. Eu, p. ex., teria dificuldade para me deslocar ao Rio para ver a obra, mas agora tomo conhecimento dela pelos meios de comunicação. Ótimo, que todos que estamos na resistência democrática aprendamos com os artistas.

  3. #

    Claro que Jesus ia censurar

    Ninguém toca no ungido do senhor!

    No mais, vamos redesignar o objetivo da obra que bem traduz o coiso.

    Uma voz que sai do bueiro, só fala merda, e está nos braços das baratas.

     

  4. Falemos de respeito?

    Bem, na peça “Le roi s’amuse” (O Rei se Diverte) , o bobo-da-corte Triboulet lança aos cortesãos este apóstrofo: “Suas mães para os lacaios se prostituíram: / Vocês são todos bastardos”. Foi em 22 se novembro de 1832. No dia seguinte, a peça foi censurada pelo governo francês. 

    Tamanha hipocrisia já tem muito tempo, então. Por exemplo, na guerra da Argélia, campos de concentração criados pelo governo francês tinham outro nome, “campos de agrupamento”.

    Ele  foi eleito, mas ainda não é presidente. Precisa desenhar?

  5. Pelo contrário

    1) Bolsonaro não foi eleito pela maioria

    2) Bolsonaro não merece respeito porque nunca respeitou

    3) Segundo o secretário, o DIP e a Ditadura militar não censuravam, mas sim preservavam a imagem dos respectivos regimes

  6. #

    Lula seria eleito pela maioria NO PRIMEIRO TURNO e não lhe respeitaram…

    Bolsonaro é contumaz praticante do nepotismo cruzado e também de nomear funcionário fantasma.

    Recebeu 200 mil reais da JBS.

    Usava o auxílio moradia, do qual não fazia jus, por ter residência própria no estado que ele representava, para “comer gente”.

    Planejou explodir adutora essencial para o fornecimento de água para a cidade do RIO de Janeiro, apenas para reivindicar aumento de salário.

    E ninguém o censurou. Surfou na ignorância popular.

     

  7. #

    Boçalnaro pregou abertamente a tortura e ninguém o censurou.

    Boçalnaro pregou abertamente o extermínio de pessoas e ninguém o censurou.

    Boçalnaro pregou abertamente o espancamento de gays para “corrigi-los”, e ninguém o censurou.

     

  8. Como sofre o meu patrão. Coitado!

    BOLSONARO DEFENDE REFORMA TRABALHISTA: É HORRÍVEL SER PATRÃO NO BRASIL

     Fizeram a refora trabalhista, acabaram com o Ministério do Trabalho. Quais são as outras sacanagens contra o trabalhador brasileiro, hem Bolsonaro?

    • Mais pura verdade.
      Se o

      Mais pura verdade.

      Se o patrão fosse valorizado, ele com certeza valorizaria mais o empregado. Como ele é tratado como pária, desconta no trabalhador.

      • Os interesses dos patrões e dos trabalhadores são contraditórios

        Os interesses dos patrões e dos trabalhadores são contraditórios e mutuamente excludentes. Quanto mais o patrão é valorizado, mais o trabalhador é desvalorizado e vice-versa.

  9. …para ver se as
    …para ver se as Instituições ainda estão “funcionando”, seria uma boa recorrer ao STF que, como se sabe, está sob intervenção militar não oficializada: o Tóffoli tem dado declarações previamente ditadas por um general, como por exemplos: chamar de movimento o golpe de 64, bem como dizer que tudo bem com a deposição de Dilma e prisão de Lula…e o coiso ainda nem tomou posse: neste caso os artistas já estariam presos pq o governo não aceitaria críticas nem oposição: ao invés de trabalhar, o coiso se limitará a combater a oposição…

  10. Se Lula fosse da Casa Grande…

    Se Lula não fosse da Senzala, o discurso seria: “A liberdade de expressão não é passível de restrições ou tutela prévia”.

    Foi o que pontuou a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), quando o caxorro Carlos Fernando dos Santos Lima, membro da Lava Jato em Curitiba, denegriu a imagem do Lula nas redes sociais.

  11. Bolsonaro foi eleito pela

    Bolsonaro foi eleito pela “maioria” e “merece respeito”.

    Hitler também.

    PS: Vai ser assim agora, os diretores dos espaços culturais ou começam a auto-censura para manter seus empregos, ou preferem colocar sua dignidade acima de tudo. Chediak fez sua opção

    • Minha amiga artista plástica

      Minha amiga artista plástica quase teve sua exposição cancelada. O motivo? Retratava mulheres empoderadas manifestando pleno domínio de sua sexualidade. Não tinha nada explícito, nem sequer nudez!

  12. Mais um boicote!

    Passei a boicotar a Livraria Cultura, quando o dono disse que eram legítimas manifestações a meu ver grosseiras e mal educadas, em debate do qual participavam candidatos de esquerda. Nunca mais voltei lá, quando estive no Brasil. Agora também, por causa da censura, não irei mais à Casa França-Brasil quando estiver por aí.

  13. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome