Reforma Educacional e a Nação em risco, por Frederico Firmo

por Frederico Firmo

A proposta de mudança radical no ensino médio do país, através de medida provisória pode vir a ser um dos maiores crimes contra educação deste país, já perpetrados por um governo.

Ao descartar toda a discussão e debate de educadores que vêm ao longo de todos estes anos, analisando, avaliando pesquisando e propondo mudanças, este governo simplesmente jogou fora tudo que foi produzido, todo o dinheiro investido e possivelmente a esperança de se ter um país desenvolvido intelectual, cultural e cientificamente. Esta proposta simplista demonstra uma profunda ignorância ou talvez,ojeriza ao pensamento às humanidades, às artes e à ciência. A medida parece afirmar que o que importa para a formação de um cidadão, é falar e escrever em português, fazer contas, (desculpe a simplificiação pois bem sei que matemática é mais do que isto), e falar inglês. Este simplismo, mostra com clareza a concepção de cidadão deste governo. O inglês entra provavelmente nesta lista para não correr o risco de o aluno aprender espanhol e se relacionar com os vizinhos e quiçá, porque querem que se torne um consumidor de bens importados, e um bom empregado de uma indústria estrangeira, após a flexibilização das leis trabalhistas.

Numa tacada única o governo demonstrou uma falta de compreensão total do que é educação, do que é cultura. do que é arte e do que é formação de um cidadão. Em plena era do conhecimento, o governo demonstrou desconhecer o papel da educação para o futuro de um país como o nosso e pode comprometer, para sempre, o esforço de formar cientistas e técnicos. Por motivos profissionais me sinto obrigado a focar no desastre provocado por esta medida para a área de Ensino de Ciências. Aos leitores que sentirem falta das humanas, por favor me perdoem pois, eu não tratarei aqui o desastre na área de humanidades, mas saibam que estes dois desastres tem igual magnitude.

Durante os últimos anos o ministério da Educação tentou implementar uma política, de criação, e fortalecimento das licenciaturas no país. Para isto colocou na origem dos novos campi universitários, cursos de licenciatura com particular preocupação com a formação de professores de ciência: física, química, biologia e matemática. Para ampliar esta formação criou em todos os novos campi das Federais, cursos de licenciatura nas mais diversas áreas. Para alcançar regiões, neste imenso país, estimulou e investiu e formou uma estrutura nacional de cursos públicos gratuitos de Ensino a Distância e Semi-presencial. Prefeitos de várias cidades, ao longo do país, de todos os partidos, participaram da iniciativa, e investiram na criação de polos em conjunto com as Universidades Públicas. A importância e o papel das Universidades Publicas nos cursos a distância foi fundamental, para que fosse estabelecido um padrão de qualidade. Muito trabalho, pesquisa e desenvolvimento foi feito no que hoje se transformou Universidade Aberta do Brasil. Isto não foi uma propositura partidária, mas sim os passos para o estabelecimento de uma política de estado. Uma política que é crucial para a formação de uma massa crítica, muito necessária. nas áreas científicas e tecnológicas. Sem esta massa crítica não poderemos jamais almejar uma soberania , num mundo onde o conhecimento é o maior valor. Um país sem professores de ciências comprometerá a formação desta massa crítica de forma inapelável. Isto coloca o futuro desta nação em risco. Aliás ” Nação em Risco ” foi o nome do artigo que uma comissão americana liderada por Geral Holton,escreveu há quase 30 anos. Lá também o debate continua e as dificuldades ainda são grandes, pois continua baixo o número de americanos interessados na área de ciências. Entre outros problemas, gostaria de lembrar que nos Estados Unidos esta matérias são eletivas e não obrigatórias. Antes que me questionem, eu quero dizer que grande parte da massa crítica no USA é formada por cérebros formados em outros países, inclusive o Brasil. Em recente trabalho, 2015, revisitaram o trabalho de Holton e avaliaram que problemas ainda persistem são graves, e devem ser enfrentados continuamente. Entre as conclusões mais enfatizadas foi a de que, toda e qualquer reforma vinda de cima para baixo, mesmo que vinda de grandes cientistas e iluminados, tem poucas chances de ser bem sucedida. Imaginem o que diriam de uma reforma feita por medida provisória e com um caráter claramente midiático.

Leia também:  Site cancela financiamento coletivo de movimento paramilitar de Sara Winter

Muito se fez ao longo dos últimos anos, várias políticas foram implantadas visando se tornarem políticas de estado e não de governo. Esta medida provisória, não melhora nada, pois a tudo ignora. De fato vem destruir todo este trabalho, e se quiserem usar os termos que tanto gostam, pode-se dizer que é um exemplo de como jogar todo o dinheiro público já investido no ralo.

É necessário se compreender com clareza que esta reforma terá consequências funestas. Políticos e administradores públicos tenderão a deixar a educação em terceiro plano. Temos prova disto, pela resistência de vários governadores e prefeitos que entraram com ações, junto ao supremo, contra o estabelecimento de um piso nacional mínimo para professores. Estes abraçarão esta reforma correndo, pois em breve poderão eliminar as disciplinas eletivas devido à falta de professores.

Esta Medida Provisória, por si só implica na destruição de tudo o que foi feito em prol da formação de professores. Quem almejará ser professor de Física, Química , Biologia. No momento as secretarias de educação já tem diminuido significativamente o número de horas de Fisica Quimica e Biologia, argumentando a falta de professores. Com esta medida e a interrupção de políticas de estimulo a docência, administradores terão não apenas uma justificativa, como também o meio legal, para “diminuir os custos”. Para estes será um fato consumado. Sem preocupações com o país, mas preocupados com a propria administração em breve proporão o fim da eletividade e porque não a eliminação sumária destas disciplinas. Ou como já disse um secretário, de educação, porque não deixar algumas eletivas para apenas algumas escolas especializadas!!!!!

Leia também:  Moro diz que Bolsonaro é "incoerente" em bandeira anticorrupção

As políticas de incentivo a formação de professores de Ciências tinha como objetivo criar um futuro para o país. Esta medida além de ser pouco criativa é o retorno ao passado. O passado dos tempos do Clássico e do Científico, porém isto se repetirá apenas como farsa, pois além de outros tempos, temos uma outra escola pública. Aliás me parece que estávamos a caminho do resgate da escola pública e esta política vai na direção oposta.Com certeza escolas privadas manterão todas as disciplinas , ( a preços módicos é claro) criando um fosso ainda maior, entre os que tem e os que não tem. Voltaremos aos tempos onde na universidade apenas alguns poderão entrar, ou poderão ter acesso a certas áreas.

Este governo não apenas está mudando a política educacional,mas tambem traz ainda com o espectro da terceirização e flexibilização a possibilidade de abrir brechas para privatização total da educação. Do ponto de vista estratégico do país este governo está fazendo algo como bombardear todas as estradas do país.

Sem educação científica o país será apenas consumidor do conhecimento produzido em outro lugar e sem educação humanística o país perderá seu poder de reflexão. Mas todos falaremos inglês.

Prof. Dr. Frederico Firmo de Souza Cruz – Professor do Programa de Pós Graduação de Ensino de Ciências e Tecnologia; Programa de Pós Graduação em Física; Depto. de Fisica – Universidade Federal de Santa Catarina   

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

10 comentários

  1. Esse é o resultado da

    Esse é o resultado da “Jornada de Junho de 2013”, mais saúde e educação. Bão foi só derrubar um presidente, ou um partido, mas sim fazer um revolução através da caneta, apoiada pelo Congresso (maioria reacionária) e pelo 4o poder…

    A revolução se amplia com os mesmos partidos, e pessoas, liderando as eleições municipais. O povo, como sempre, indifierente.

    Demonstra que a educação não consiguiu dar a essa população a visão critica de nada. Sim, o PT é direita, foi o que os professores de história falavam em sua aulas…

  2. Como é que vai ficar o ENEM??

    No golpe do ensino medio, digo, “reforma”, metade é base nacional comum, e a outra metade é salve-se quem puder. Ou seja, aquilo que eles chamam de “flexibilização” não passa de precarização. Cada sistema de ensino monta a outra metade do ensino médio do jeito que quer e bem entende. Imagine a lambança. Ainda não vi ninguem explicar como é que vai ficar o ENEM …

  3. Porque não deu certo

    Os cursos EAD semi presenciais e a distância nunca deram muito certo, ou seja deram certo para poucos. Diferentemente das presenciais, os alunos dependem de professores que respondam dúvidas por e mail, telefone, etc.

    Vou dizer por expeirência própria porque não deu certo. Tudo ia bem, até o 6° demestre num curso de licenciatura que eu fazia. Professores respondiam dúvidas por e mail, tudo o mais.

    Até que fizeram uma redação pedindo para explicar a entrada macissa  de dólares do Brasil, foi na época do primeiro mandato de Dilma. Fiz a besteira de falar bem do Lula, e mal do FHC. O professor me repreendeu, e nunca mais depois disto me responderam dúvidas, nem por e mail nem por telefone. Sem suporte para o curso, desisti.

    Se em curso de licenciatura de exatas já é assim, imagine num curso de direito ou de administração. Por isto o MP está cassando o PT com tanta fúria. Uma seleção artificial dos mais anti petistas para se formarem e terem diploma.

    Moral da história, em cursos de Universidades privadas a condição pre requisito é ser contra o PT. Se você não for, provavelmente não passará no curso.

    • Caro José Guimarães

      Eu mencionei o curso de EAD das universidades publicas, porque sei do esforço nestas universidades, para se alcançar um nível de qualidade. Sei também da existência de muitos cursos de EAD em escolas privadas e sei também que muitas encaram o EAD  não como uma modalidade de ensino, mas sim como uma forma de fabricar dinheiro. Não cairei aqui no perigo da generalização, mas com certeza muitas escolas privadas aderiram a EAD,apenas pelo lucro. Eu sinto muito pela sua experiência,  mas com certeza o professor citado agiria da mesma forma num curso presencial. Infelizmente no momento atual movimentações no MEC indicam que este governo irá privilegiar as Escolas Privadas. E neste caso com estas mudanças, a forte ênfase que era dada a inclusão e à  formação de professores, se transformará logo numa grande quantidade de cursos de administração, direito etc… Não que estas profissões não merecam atenção, mas acho que socialmente precisamos mais do que nunca professores, e principalmente professores que não ajam como este.  

      • Concordo, porém…

        Caro Frederico

        Concordo, que o país precisa de professores, porém, não os terá. Não os terá, pois o salário pago a um professor é incompativel com o custo de vida no Brasil. Aqui em SP, um professor ganhar menos de 2000 reais, e a imensa maioria ganha menos que isto, não dá para alimentar uma família. Só para ter uma idéia, um pedreiro, que nem saiba ler ou escrever ganha 150 reais por dia, uns 4500 reais por mês, muitíssimo mais do que o dobro do salário de um professor. Ninguém faria a besteira de se formar em licenciatura, sendo que pode ganhar muito mais sem investir um tostão em estudos, e correr o risco de não se formar, como foi o meu caso.

        Para sustentar uma família aqui em SP, o salário mínimo é de uns 3000 reais por mês. Menos que isto, dá para passar um bom nervoso.

        O governo resolverá esta carência de professores fácil. Ele começará a pescar todos os diplomados derrotados que achar nas ruas, por isto aprovou a Medida provisória permitindo que qualquer um possa dar aulas, desde que tenha diploma superior. E se derrotado ensina alunos, então formaremos uma nova geração de derrotados no país.

        Por fim, o governo fará mil e um malabarismos para conseguir driblar a falta de professores, como por 50 alunos ou mais nas salas de aula, cortar matérias ” desnecessárias ” e muito mais.

        Direito é tão procurado, pelo salário astronômico de juízes e procuradores, de até 30 mil reais por mês, e subindo sem parar. Administração é um diploma que garante emprego em qualquer área, como gerente, ou diretor de empresas, com bons salários.

        Sim, se fosse presencial, provavelmente fariam igual, mas no EAD é pior, pois sem o contato com o professor, o curso acaba de vez. Na verdade o EAD não deu certo por que o perfil da maioria dos alunos EAD, é de alunos de baixa classe, que trabalham o dia todo, as vezes em dois ou três empregos simultâneos, como eu, e não lhes sobra tempo para estudar. Os cursos presenciais, de alunos mais abastados, que nada fazem o dia todo, pois o pai lhes paga o sustento, ou tem empregos leves e de meio expediente, pois não precisam do dinheiro para sustentar a família, o aluno tem maior tempo de estudar, mais aproveitamento. Pelo menos esta era a reclamação mais frequente no EAD que eu cursava. Faculdade exige muito tempo à disposição do aluno.

        Infelizmente, cada vez mais teremos mais professores reaças, mais cidadão reaças, no fim tudo se tornará reaça, e eu mesmo acabei tendo de fingir no dia a dia ser um tucano reaça, para manter emprego, sobreviver e não ser discriminado, por ser contra um governo que está entregando o país de graça à estrangeiros. A gente acaba aprendendo a dançar conforme a dança.

         

         

        • Também concordo José

          Caro José

            Concordo plenamente, pois uma reforma de  Ensino deveria começar atacando o problema salarial dos professores e por açoes que resgatassem o merecido valor e  respeito que os professores merecem. Infelizmente a visão desta reforma é apenas administrativa  e querem apenas diminuir custos. E isto não porque o país não tem dinheiro. O governo anterior já mostrou que temos sim,  muito dinheiro para investir na educação.  Mas José fique ligado, pois muitos estarão juntos enfrentando tudo isto. Um grande abraço amigo. 

  4. Educao
    A burrice , e a cegueira peitista, impediram de receber, o que eu pobre, da periferia já falava há, cinco anos, que se não houvesse reforma da mídia, e da educação voltada para o senso crítico o governo cairia. A vida melhorou, mas a cabeça não. Assim é que o povão não tá nem aí culpa o PT pela corrupção, desemprego e tudo mais de ruim que virá. Lula foi cego, Dilma foi cega, e agora o Brasil indo pro caos, sem Luta. Sem resistência.

  5. EAD
    Em um Curso EAD. O estudante, só pode contar consigo mesmo, tem de ser autodidata e muito disciplinado. Sobre redações críticas, ou que requer um pensamento mais elaborado, e alguma criticidade, tem de ter uma sorte rara, de ter um professor pensante, com uma visão ampliada do mundo, e são raros. Tive problema em sala de aula também, comparando ADM, Lula com outras. Me impediram de fazer o curso de direito em Itapetininga por causa de colocação crítica.

  6. Aprovar o PL 6.840/2013 e derrotar a MP do golpe no ensino médio

    A medida provisória do governo golpista para reformulação do ensino médio é um imenso retrocesso e uma ameaça ao nosso futuro como nação soberana e justa. É preciso derrotar a MP do golpe no ensino médio.
    No lugar da MP precisamos fazer pressão na Câmara para aprovar o Projeto de Lei 6.840/2013 que foi amplamente discutido e é apoiado por vários partidos. O PL 6.840/2013 foi debatido na Comissão Especial do Ensino Médio que teve como presidente o Deputado Federal Reginaldo Lopes. Nestes artigos discuto mais a esse respeito e apresento várias informações sobre o PL 6.840/2013 e sobre a MP do golpe:

    http://angelo.blog.br/2016/09/24/aprovar-o-pl-6-840/

    http://angelo.blog.br/2016/09/23/governo-golpista-mente-sobre-a-reforma-do-ensino-medio/

  7. Escola sem partido na canetada

    Ninguém percebeu, mas essa reforma é o começo da instituição da escola sem partido (e sem pensamento). As humanidades e as ciencias socias são diminuidas ou extirpadas na reforma. E é ai que se dá o conflito entre visões de mundo diferente. O ensino médio é reduzido a um conteúdo que se supõe meramente técnico.

    O conteúdo politico da medida é obvio para quem quiser ver.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome