Relação societária de Pedro Parente com dono da JP Morgan é investigada

Jornal GGN – A Comissão de Ética da Presidência, pasta que responde ao governo de Michel Temer, estaria supostamente investigando a relação do ex-presidente da Petrobras, Pedro Parente, com o banco JP Morgan, que recebeu pagamento de R$ 2 bilhões da Petrobras.

No final de maio, diversos jornais divulgaram que Parente, o então presidente da estatal, é sócio de José Berenguer, presidente do banco, em uma das empresas [relembre aqui]. Agora, a Comissão teria pedido explicações a Parente sobre o caso.

Da ABr

A Comissão de Ética Pública da Presidência enviou um oficio à Petrobras e ao ex-presidente da empresa, Pedro Parente, pedindo explicações sobre reportagens na imprensa que relatam supostas irregularidades no empréstimo feito pela Petrobras ao Banco JP Morgan. De acordo com as reportagens, Parente seria supostamente sócio deste banco. A comissão também solicitou esclarecimentos sobre esse fato.

O pedido de informação não significa que será aberto um processo para investigar a empresa ou Parente. A abertura ou o arquivamento do processo depende das respostas apresentadas, que serão analisadas pelos conselheiros. O prazo para apresentar esclarecimentos é de 10 dias corridos.

Em outro processo, a comissão decidiu aplicar uma censura ética ao ex-presidente da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) Laerte Rimoli. A sanção se refere a uma mensagem publicada em redes sociais, com alusões à palestra comemorativa do Dia da Consciência Negra, proferida pela atriz Taís Araújo.

Três membros do colegiado consideraram o conteúdo da postagem discriminatório e afrontoso ao Código de Conduta da Alta Administração Federal. Já outros dois conselheiros avaliaram que a manifestação era humorística, ainda que de mau gosto, mas não caracterizadora de violação ética.

Na época, Rimoli se desculpou com a atriz Taís Araújo e sua família por ter compartilhado  post inadequado em sua timeline. Não cabe pedido de revisão ou recurso da decisão.

Ouvido, o ex-presidente da EBC disse que respeita a decisão do colegiado, mas que a considera exagerada. Informou também que estuda com advogados as medidas cabíveis.

No mês passado, um outro processo contra Rímoli, que analisava suposta restrição de cobertura ao assassinato de Marielle Franco, foi arquivado por decisão unânime do colegiado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 comentário

  1. abutre

    Que tal qualquer uma comissão de ética dessas esticar um olho para descobrir quem são os cotistas do fundo abutre sediado nos USA , contemplado com 2,95 BILHÕES de dólares pela dupla Temer / Parente?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome