Sem sucesso, ala do PT tentou fazer as pazes com Eduardo Cunha

Jornal GGN – O colunista Ilimar Franco (O Globo) publicou no domingo (27) que não é só a presidente Dilma Rousseff que tenta, no âmbito da reforma ministerial, conter os ânimos de Eduardo Cunha (PMDB). Um grupo de deputados federais do PT também tentou, sem sucesso, fazer as pazes com o presidente da Câmara, na semana passada. Segundo Ilimar, a iniciativa fracassou porque Cunha acredita piamente que sua implicação na Lava Jato tem digitais de ministros petistas.

O encontro para tentar consertar o “clima de terceiro turno” entre PT e Cunha, exarcebado desde que este assumiu o comando da Câmara, ocorreu na quarta-feira passada. Petistas saíram “convencidos que não tem jeito”. “O problema não é político, mas de falta de confiança”, apontou o colunista. ‘Cunha reafirmou estar convencido que o governo tem tudo a ver com a abertura de investigação contra ele pela PGR. E criticou de forma eloquente a Polícia Federal e o MP por ficaram apertando os investigados até que falem o nome dele.”

Em entrevista ao GGN, o deputado Paulo Teixeira (PT) disse que um acordo com PMDB é essencial para o governo sair da crise política em que se encontra. Não há como “superar o momento” sem a legenda do vice-presidente Michel Temer e do presidente do Senado, Renan Calheiros.

Mas quanto a Cunha, Teixeira demonstrou reservas, justamente em função do clima criado após a disputa pela presidência da Câmara. “Esse acordo, na minha opinião, era muito difícil de acontecer com o Eduardo Cunha. Eu acho que tem que ser com o PMDB governista, o PMDB do Temer. Foi assim que nós fizemos [no passado, na disputa pela presidência da Câmara]. Houve uma ruptura desse acordo com a candidatura de Eduardo Cunha. Eu retomaria considerando que o que era para ser deles já foi”, comentou.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora