Temer, o presidente ilegítimo e sitiado, por Alexandre Tambelli

temer_e_a_espada.png

Por Alexandre Tambelli

Temer foi com muita sede ao pote.

Uma sociedade nova se desenha no Brasil desde os primeiros anos da Era Lula.

Passou-se a ter alguns direitos novos, que aos poucos foram sendo incorporados no cotidiano dos brasileiros.

Os Ministérios da Cultura, da Saúde, da Educação, do Desenvolvimento Agrário, do Desenvolvimento Social, da Igualdade Racial, das Mulheres, dos Portadores de Deficiência, etc. foram providos de programas e ações que atendem os brasileiros de todas as classes sociais, sendo que milhões deles, antes eram desassistidos pelo Estado em coisas básicas: acesso à Cultura, à Saúde, à água, à Educação, à Moradia, ao Transporte, etc. E ai vem o Temer e quer desestruturar tudo de um dia para o outro e mercantilizar todos os programas e ações do Estado, e descontinuar muitos deles?

Tornaram-se direitos adquiridos e que a população não quer que acabe.

Imaginemos a situação real.

Meu irmão, ontem, chegou à Drogaria Raia e foi adquirir duas caixas de remédio da Farmácia Popular e o sistema não funciona mais. Pagou 12 reais por caixa. E o sujeito que não pode pagar 24 reais para o remédio mensal da pressão, como é que faz? Fica sem tomar o remédio, que por anos seguidos tomou de graça?

Imaginemos a avalanche de casos como este e em todas as áreas do Governo o que não acarretará.

Vem um maluco e acaba com a Política de cotas, vem outro e acaba com os pontos de Cultura, vem outro e acaba com a Farmácia Popular, vem outro e acaba com o crédito para a Agricultura Familiar, vem outro e quer cortar o Minha Casa, Minha Vida, etc., é assim que funciona um Governo?

Tem alguma coisa errada e desligada do tempo atual nesse Golpe de Estado.

Enxergam o Brasil de 2016 como se fosse o Brasil colônia de Portugal, onde não se podia ter Universidade, nem Imprensa e havia a escravidão. E, o Governo era apenas voltado para favorecer e enriquecer o colonizador.

2016 é outro Brasil.

Quando as pessoas começarem a ver o que lhes afeta cotidianamente, economicamente e socialmente com este ultra neoliberalismo anti povo e anti Brasil não haverá força repressiva para conter a revolta popular.

O episódio do Temer fugindo para Brasília mais cedo, ontem, com a manifestação da Frente Povo Sem Medo e do MTST nas imediações de sua casa no Alto de Pinheiros em São Paulo é um exemplo básico do que virá pela frente.

Temer é um Presidente sitiado. Não pode olhar na cara de um brasileiro sequer, a não ser do pessoal da Rede Globo & Cia. e do Mercado Financeiro.

Temer não tem como se apresentar perante a comunidade internacional. Temer não tem como falar à Nação pela TV. Temer não tem manifestações de Fica Temer! Só de Fora Temer!

Somos 205 milhões de brasileiros. Se tiver 5 milhões apoiando o usurpador é muito.

Imaginemos na hora que ele mexer na Previdência Social e na CLT de forma a ferrar a classe trabalhadora se sobra algum espaço para ele se manter no Poder. Claro que não sobra!

Nós temos, é claro, uma população, em boa parte, alimentada pelo noticiário da velha mídia, e muita gente pode tê-la como fonte única de informação; agora, vamos ser sinceros, quando não der mais para ser atendido no SUS em uma operação de alta-complexidade, quando a CLT for terceirizada e não se tiver mais a segurança de receber férias, delas serem remuneradas em 1/3, de se receber o 13°, quando a Previdência Social der aquele presentão dos 65 anos para se aposentar e sem a remuneração devida, etc. quero ver que aparato policial, que discurso da velha mídia e do Governo segura a multidão nas ruas e na Internet: nenhum segurará!

Que Governo é capaz de mexer em direitos adquiridos desta magnitude como é a CLT?

Ainda mais hoje, 2016!

Nós estamos sendo educados para reivindicar nas ruas o que queremos. Desde 2013 a população foi incentivada, pelos próprios golpistas, para ir às ruas e pedir a queda do PT ou pedir mais Estado (a mídia não se furtou de mostrar cartazes com os dizeres, que estádios novos poderiam ser trocados por hospitais padrão FIFA, certo?).

Jornadas de Junho, Não vai ter Copa, Manifestações pró-impeachment, pró- Democracia e fica Dilma são exemplos incontestáveis de multidões, de certa forma, organizadas nas ruas e espontâneas, que estão para além da mídia e dos poderes constituídos.

A classe média e médio-altas tradicionais de preto numa quinta-feira pré-impeachment na Câmara dos Deputados, lembram? Combinaram via Internet e viralizou nestes grupos sociais a ideia do vestir preto e vestiram. E foi, além, velha mídia, porque se não fosse no dia anterior a Paulista lotaria de gente, com a Globo no intervalo da novela das sete, lincando apresentador de Telejornal, convocando as pessoas para irem para a Avenida protestar contra o Lula, o Governo Dilma e o PT e apareceram apenas 300 gatos pingados.

Hoje temos uma independência da população diante dos poderes constituídos. Temer não tem legitimidade nenhuma. Quando o carro novo, o smartphone e Miami ficarem muito mais distantes do bolso dos brasileiros, quem segura a turba ensandecida e despolitizada? Turba que até o primeiro mandato de Dilma se deliciava com esses consumos cotidianamente.

Ninguém.

Na Era da Internet você querer implementar um Regime de Exceção no Brasil? Em um País continental e urbano? Com malha rodoviária já estabelecida e com milhões e milhões de automóveis em circulação, sem contar os outros transportes coletivos de massas?

Reunir milhões ficou fácil. Repressão? Não há como se generalizar.

Podemos até reprimir os movimentos sociais, mas a turba desorganizada das classes média e médio-altas tradicionais e do povão ninguém controla. Só o bolso cheio controlará. E, este, quem ajudou a ter o bolso cheio foi justamente àquele partido e os seus governantes Lula e Dilma, e que querem, as elites deste País aliadas da velha mídia, extirpá-los da Vida pública.

E, como faz para convencer o jovem desligado de tudo que o seu smartphone não dá mais para acessar a nova versão do androide e ele  não tem grana para comprar um novo? E, quando o sujeito alienado da Globonews e do JN descobrir que foi enganado e não pode mais ir para Miami, em definitivo, porque ficou caro demais para orçamento de menos, porque a mexicanização, programa real do Temer, propõe que seja, assim, para sempre? E, a escola particular subir de preço porque a procura diminuiu e o custo fixo do estabelecimento de ensino se manteve quase igual?

Estamos trabalhando com a mentira e, Temer, Rede Globo, Moro & Cia. podem ser as vítimas, em breve, do que plantaram.

Não era para acabar com a corrupção e voltar ao tempo de benesses até o primeiro mandato de Dilma, que o Impeachment serviria?

E, de repente, a pauperização coletiva se constrói comandada pela casta política mais corrupta que há e muitos presentes nas delações e investigações da Operação Lava-Jato?

Brincar com fogo em 2016 não cabe mais. Repressão e Ditadura não cabem mais. O povo brasileiro aprendeu que existe às ruas e a Internet para protestar e vai estar lá protestando contra retrocessos econômicos e sociais.

Alguém vai reprimir uma manifestação dos “coxinhas” na Paulista?

Se há uma demora da classe média e médio-alta tradicionais para ir contra/ ou de ficarem caladas diante o/do Governo ilegítimo de Temer, e, muitos dizem ser, porque estes brasileiros destas classes queriam a queda de Dilma, por não se sentirem à-vontade de pertencer a uma sociedade, onde, perderam a exclusividade nos shoppings, nas praias e aeroportos, não tardará a hora deles acordarem, também, para a realidade pretendida por este Governo do Mercado e dos banqueiros apenas, e protestarem, também. Assim, como o povão, menos engajado nas suas comunidades ou nos movimentos sociais existentes.

As ruas já foram apresentadas e incentivada suas ocupações pelos próprios golpistas, como já sabemos.

Todos os recuos de Temer e seu Ministério nas suas ações de desmonte de programas sociais e culturais em andamento, e com apenas uma semana de Governo, mostram que ele não pode fazer o que bem quer e nem fazer o que a Globo e o Mercado, seus patrocinadores, querem.

A população está atenta aos atos de Temer e a cada dia mais.

Não me causaria surpresa, se o Presidente sitiado no Palácio do Planalto vier a renunciar em pouco tempo.

Estejamos atentos. Podemos passar o Brasil a limpo e mudá-lo para melhor e de forma definitiva, e, tomara, tenho fé que será, seja breve, o Governo da usurpação!

Continuemos na Luta para levar a informação verdadeira aos brasileiros sobre a tentativa de mexicanização do País, mexicanização que o Governo Ilegítimo do Temer, patrocinado pela Rede Globo e Mercado pretende, sem votos e sem aval da população para tal intento.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora