“Tratava com bandidos, sei o que fazer no governo”, diz Temer

 
Jornal GGN – “Às vezes podem dizer ‘Temer está fraco coitadinho, não sabe governar, não!’ [batendo na mesa]. Fui secretário de Segurança duas vezes e tratava com bandidos, então eu sei o que fazer no governo”, disse o presidente interino Michel Temer, em discurso exaltado, nesta terça (24).
 
A declaração ocorreu aos parlamentares da base aliada, que se encontraram com o interino no Palácio do Planalto para discutir as medidas econômicas anunciadas e a votação no Congresso da nova meta fiscal.
 
A manifestação ocorre diante do cenário de crise e instabilidade que vive a gestão de Temer, em pouco mais de uma semana de governo. Desde que tomou posse, no dia 13 de maio, sofreu críticas de baixa em seu Ministério, com erros e recuos constantes, como a do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, que propôs nova forma de escolha da Procuradoria-Geral da República, a extinção e depois recriação do Ministério da Cultura, a falta de mulheres e negros no comando de pastas e, mais recentemente, o caso da exoneração do ministro do Planejamento, Romero Jucá (PMDB-RR).
 
Visivelmente irritado diante das críticas, Temer disse que sua equipe não tem que ter compromisso com erros. “Houve um equívoco, eu reverei essa posição. Quando houver equívoco, tem que rever a posição. Se fizer, conserta-lo-ei”, disse.
 
O presidente interino concluiu mencionando que “Deus” o colocou nessa missão para ajudar a tirar o país da crise. 
 

26 comentários

  1. Lembra do “aquilo roxo”? Ai

    Lembra do “aquilo roxo”? Ai que homarada valente! Só sabem agir nas sombras, conspirar e é claro lidar com bandidos, eles mesmos.

     

  2. Precisa mesmo saber lidar com

    Precisa mesmo saber lidar com bandidos. A começar pelo seu ministério, seu braço direito Romero Jucá, seu amigo Eduardo Cunha, seus aliados José Serra e Aécio Neves, os 300 picaretas do congresso…

  3. Meu D’us do Céu!

    “Tratava com bandidos, sei o que fazer no governo” é pior que “O Aécio é o primeiro a ser comido”.

    Pior que isso só o Serra em campanha: “Como o Damião. Como a mãe do Damião. Como o Sérgio. Como a Dona Genoveva. Como a Vânia, que conheci na Muoooca…”

  4. Pois eh, Michel o chefão da bandidagem finalmente concluiu

    O plano americano para o Brasil , coisa que nem os milicos e o o FHC conseguiram, adeus pré sal !! Adeus soberania e só na base do assalto e roubo!! Quem diria a República dos Bananas deu pro USA seu pré sal e nenhuma gotinha de sangue americano caiu! só das crianças e pobres brasileiros daqui pra frente claro, porque o retrocesso vai nos colocar no mapa da fome e da mortalidade infantil novamente, mas isso não vem ao caso!!!

  5. Nao diga..
    Tambem se nao soubesse como ia tratar com: cunha malafaia feliciano juca serra os 3 patetas marinhos os civitas a quanto é merval gilmar aecim perrela e mais uns 200 entre camara e senado……

  6. Nao diga..
    Tambem se nao soubesse como ia tratar com: cunha malafaia feliciano juca serra os 3 patetas marinhos os civitas a quanto é merval gilmar aecim perrela e mais uns 200 entre camara e senado……

  7. Nao diga..
    Tambem se nao soubesse como ia tratar com: cunha malafaia feliciano juca serra os 3 patetas marinhos os civitas a quanto é merval gilmar aecim perrela e mais uns 200 entre camara e senado……

  8. Errou o tempo gramatical!

    Manda falar com a Madastra do Texto Ruim ou com Madame Natasha ( a que ministra aulas de piano e portugues): usou o passado, tratava, o certo é o presente trato!

  9. golpe vai deixar muitas frases marcantes…

    a pouco tempo dei de cara com uma placa que tem tudo a ver, se trocarmos minha área  po interinidade

    …se roubar na minha área já sabe, não sai vivo…

    entre bandidos da pesada, geralmente o não sai vivo significa tem que dividir

  10. Analogias Literárias

    “tratava com bandidos, então eu sei o que fazer no governo” 

     

    Nassif: essa é uma fala firme, que bem poderia fornecer elementos para a ficção nacional. Dizem que já existe um autor empenhado em escrever algo do gênero.

    Tratar com bandido não deve ser coisa fácil. Nas “mil e uma noites”, por exemplo, depois de sacrificado Qassem, uma especie de “congressista” das arábias, Alí Babá, que já fora do mesmo grupo, agora queria assumir Césamo, por vingança e prazer. E resolveu, com muitas artimanhas, afastar comparsas e adversários. Como conhecia profundamente as ações dos parceiros tratou de surrupiar o ouro e safar-se de qualquer ameaça. 

    Na literátura árabe as coisas correram soltas. Será que em nossa ficção haveria possibilidade para semelhante trama, com desfecho também feliz? Até porque nosso autor parece conhecer bastante o “metiê”? Pode dar até Nobel de Literatura.

  11. essa frase do temerkão

    essa frase do temerkão  paeadoxalmente parece que

    foi a síntese de seu próprio governo…

    achou que foi uma grande ameaça talvez aos

    movimentos opopuilares, mas

    passou a ser no mínimo hilária

    ou tragicamente especular…

  12. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome