Brasil de todos os tributos, por Janderson Lacerda

E, a saber, caro leitor, são tantos impostos disfarçados em siglas que fica até difícil explicá-los

Arte Impostômetro

Brasil de todos os tributos

por Janderson Lacerda

Ai de nós, os pobres desta nação! Ai de nós que sofremos pela incoerência tributária de nosso país. Ai de nós!

De acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (IPEA), os brasileiros menos favorecidos economicamente, ou seja, pobres, precisam trabalhar 197 dias para pagar os tributos cobrados pela união, Estados e Municípios. Isto representa quase o dobro dos 106 dias exigidos de esforços, que “os mais abastados” (pessoas que ganham acima de trinta salários mínimos), devem trabalhar. Uma diferença imensa, principalmente, se considerarmos a qualidade de vida oferecida as classes com baixo poder aquisitivo. 

Um estudo recente feito pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) revela que dentre 30 países pesquisados, o Brasil é o que oferece o pior retorno em benefícios à população. A pesquisa levou em consideração os valores arrecadados por meio dos impostos e a contrapartida; isto é, os serviços públicos de qualidade recebidos em troca…

A verdade é que são tantos impostos para nós, pobres, que ficamos até perdidos no meio de tanta tralha tributária, que no final das contas (e que contas altas são!) não nos ajudam em absolutamente nada. É dinheiro perdido, ou melhor, “encontrado” por nossos governantes; é tributo que não acaba mais…

E, a saber, caro leitor, são tantos impostos disfarçados em siglas que fica até difícil explicá-los:

IR: Imposto Sobre a Renda e Proventos De Qualquer Natureza. (O famoso imposto de renda!)

IPVA: Imposto Sobre Propriedade De Veículos Automotivos.

ITCD: Imposto Sobre Transmissão Causa Mortis e Doações De Qualquer Bem ou Direito.

IPTU: Imposto Sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana.

ISS: Imposto Sobre Serviço De Qualquer Natureza.

ISRSDQNH: Imposto Sobre Relações Sexuais De Qualquer Natureza Humana.

Um novo imposto? Não é possível?

É isso mesmo! A partir de agora, para cada relação sexual em território brasileiro as pessoas deverão pagar imposto.

Sei que é um absurdo, mas a justificativa por parte do Estado é, no mínimo, curiosa (…). Para o Governo Federal, os brasileiros, a maioria pobre, ou miserável, não tem acesso a programações de cultura, esporte e lazer, por isso, pratica sexo com frequência, o que gera um grande prejuízo aos cofres públicos. Já que neste momento de absoluta intimidade o cidadão não consome, e logo não movimenta a economia doméstica do país. Além do mais, isso pode gerar uma crise interna e aumentar, consideravelmente, o desemprego. Sem contar o número de filhos que seriam evitados e em consequência o gasto com a saúde, educação e assistência social seriam menores.

Já com relação ao carnaval, um possível problema, o ministro do turismo declarou que o mesmo continuará acontecendo o ano inteiro, porém em um lugar mais adequado e com pessoas em condições econômicas de desfrutá-lo com responsabilidade: em Brasília, mais especificamente, na região da praça dos três poderes.

Apesar da má notícia, não há motivo para pânico, pois se você possui uma renda acima de 45 salários mínimos fique tranquilo: você está isento deste novo imposto!

Além disso, ocupantes de cargos públicos em esfera executiva, legislativa ou judiciária receberão Fórum Íntimo, isso quer dizer, que não terão que pagar pelo novo tributo. Já os aposentados, desde que tenham atingido idade superior a 98 anos, independente da faixa salarial, também estão isentos do novo imposto, ISRSDQNH brasileiro.

 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome