Brasil: um zero à esquerda?, por Izaías Almada

E assim caminhamos numa marcha, que me arriscaria a chamar de fúnebre, desde 2016.

Brasil: um zero à esquerda?

por Izaías Almada

A insanidade do atual governo brasileiro é de tal monta que, além de rebaixar o país a uma figura decorativa no cenário da geopolítica internacional, nos coloca como alvos de possíveis ataques de grupos muçulmanos radicais pelo alinhamento com o assassinato do general iraniano em Bagdá.

O puxa-saquismo (não há melhor expressão para definir nossa diplomacia) do Itamaraty é vergonhoso, sem qualquer noção de soberania e independência. O viralatismo sobrepõe-se à inteligência e à diplomacia civilizada.

Já lá se vão quatro anos que a direita brasileira e seus apaniguados entreguistas ensaiaram, ensaiaram, e tomaram o poder no grito, num impeachment mequetrefe, mas bem urdido, sem qualquer resistência da então presidente da república num regime chamado de presidencialista. 

Em 2018 a eleição fraudada e o assalto ao poder político por um grupo de incompetentes e recalcados ideológicos, cujo prazer é destruir o que se fez pelos mais necessitados da escala social, completa um quadro que levará alguns bons anos para ser revertido, se é que tal fato ocorrerá. 

Esse grupo que conduz o país ao abismo, audacioso e confiante pelas costas quentes que deve ter, já nem dá lá muita importância a uma palavra de ordem que seus adversários políticos costumavam gritar, mas que vai caindo em desuso por ter, com o passar do tempo, pelo visto, apenas um valor retórico: A LUTA CONTINUA!

E assim caminhamos numa marcha, que me arriscaria a chamar de fúnebre, desde 2016.

Não vai ter golpe, vai ter luta, diziam em 2013 os que mais pareciam se identificar com as liberdades democráticas, com os programas sociais que combatiam a fome e a miséria, com a defesa da soberania nacional, com a defesa dos direitos dos trabalhadores, com a justiça e a paz social.

E HOUVE O GOLPE!

E lá se instalou muito bem sentado no Palácio da Alvorada, um cidadão, cujo currículo, digo, cujo Prontuário é bem extenso, mas goza de total liberdade e boa saúde. E logo surgiu a nova palavra de ordem progressista: 

FORA TEMER!

E entrou dia e saiu dia, entrou semana e saiu semana, entrou mês e saiu mês, entrou ano e saiu ano, lá continuou o indivíduo e seus sequazes a inviabilizar o país perante o mundo. No entanto, A LUTA CONTINUAVA! (sic)

O grupelho, mesmo sob a “ameaça” de um monstrengo jurídico/policial chamado de Lava Jato, que combate a corrupção da mesma maneira com que o porco fala mal do toucinho, tratou então de desmontar o país e, sempre que necessário um deles vai a Washington ou Nova York prestar contas do que está acontecendo ao sul do Equador e trazendo da matriz alguma nova orientação para o prosseguimento da Operação PRENDE E CONDENA O LULA, pois sem ele, tudo indica, a luta vai continuar por muitos anos ainda.

Dito e feito: condenaram o ex-presidente Lula, sem provas, a doze anos de prisão e não lhe concederam o direito ao habeas corpus, mas:

A LUTA CONTINUA!

Vendem a Petrobrás e o pré-sal na bacia das almas, mas:

A LUTA CONTINUA!

Vão vender a Eletrobrás, mas:

A LUTA CONTINUA!

Cogita-se vender o nosso Aquífero Guarani, mas:

A LUTA CONTINUA!

Vendem a Embraer, acabam com a indústria da carne, com alguns conhecimentos científicos de patente nacional, solapam a saúde e a educação… E:

A LUTA CONTINUA!

Prenderam o Lula? E daí? A luta continua…

ELEIÇÃO SEM LULA É FRAUDE! 

Mas a luta continua!

ELEIÇÃO SEM LULA É GOLPE! 

Mas a luta continua!

E o tal do Temer? O do golpezinho mequetrefe…

Pois é, ele também continuou até passar a faixa para o mito…

E conduziu o país, no cenário internacional, para se transformar num zero à esquerda e voltar a ser parte do quintal colonizado da América Latina, tudo isso sob a vista condescendente das Forças Armadas que deveriam zelar pela nossa soberania ao invés de caçar traficantes em favelas do Rio de Janeiro. 

No meio dessa balbúrdia, desse país desgovernado, com o poder judiciário (em minúsculas mesmo) legislando em causa própria, um legislativo que mais parece um picadeiro de circo, imprensa mais suja que pau de galinheiro e um poder executivo com QI de galinha caipira, eu começo a sentir o pior dos medos: a desesperança.

Fique calmo senhor articulista, também não é para tanto, dirão alguns leitores ou mesmo muitos: A LUTA CONTINUA!

Pois é: o tal Jair foi eleito e conseguiu montar um ministério cuja soma dos QI’s dos ministros não chega a 90. E a luta? 

A LUTA CONTINUA…

 

6 comentários

  1. Pois é, “a luta continua” virou um mantra para internautas acomodados e preguiçosos, esses esquerdistas de salão. A luta se faz nas ruas e não no conforto do lar na frente do PC, ora bolas! Sem sangue nas calçadas nada mudará! Mas a pergunta maior é onde estão as tais lideranças “progressistas” (Aliás, peguei nojo até mesmo dessa denominação cujo significado nunca consegui entender). O fato é, senhoras e senhores, é que esse país nunca mais sairá da merda onde foi lançado. Para mim o “brasil” acabou e acabou de vez! O Lula já era e não há nenhuma liderança confiável para herdar o bastão. Eis o resumo da tragédia!

  2. Partilho dos sentimentos do autor e não consigo ter uma gota de otimismo, o Brasil caminhanto a passos largos pra não passar de um gigantesco plantation miliciano gospel, a “resistência” que temos é frouxa, pequeno-burguesa, quando não quinta-coluna! Desânimo total.

  3. E a culpa é de quem???
    A luta tem que ser de um conjunto, pois a união faz a força…
    Jogar no colo de A, B ou C, não resolve a força de determinada luta, pois as forças que tomaram o mando, no grito e na força, propriamente dito, são as que tem raízes na sociedade, subdesenvolvida, e servil ao capital e a oligarquia.
    Infelizmente, por falta de determinado grau cultural, a massa é adepta do mando dos patrões, e aceitam a elite como quem lhes dá o norte…

  4. É terrível a constatação da desesperança, mas, por outro lado, o mais terrível é aceitá-la. É isso que nos move. O internauta José Eduardo Camargo tem razão, mas esquece da existência daqueles que ainda colocam a razão de lado e se apegam a sinais viáveis e palpáveis de modificação de rumos, principalmente na formação de um bloco de Estados destinados a assumir a modificação da forma de governar, revelando que tudo, mas tudo mesmo, é e não é o que parece ser. A realidade é dura, mas a ânsia de buscar o Brasil melhor para nossos filhos, traduz os predicados dessa população que, embora desatenta, segue na luta do dia a dia; essa luta insana que move tudo e todos, essa luta que deverá armar a todos e desarmar aqueles detentores do poder. Amanhã vai ser outro dia…

  5. Que desespero!!! Estão atordoados, flutuando no espaço. São mais doidos que Bolsonaro ? E quando chegarem a conclusão e certeza que o PT, aliás toda esquerda não voltará mais ao poder nessa década no mínimo. Será que todos velhinhos e cansados, vivos ou mortos reconhecerão que foram Criminosos, que assaltaram o Brasil em escala global ? Que nos legaram uma educação nivelada com os países pobres da África ? Que nos legaram uma saúde onde os pobres morriam como moscas nos hospitais ? Que nos legaram uma segurança com 60.000 mortes por ano ? Só vou citar essas três, pois não há espaço aqui para mostrar a catástrofe toda dessa raça. Ou será que continuarão usando o troféu natimorto, e carcomido, com mais processos do que Sérgio Cabral, mais processos do que Eduardo Cunha, como eterno candidato ? Lógico não tem outro !!! Que sofrimento.

    • Eu sei ler bem e faço boa interpretação de texto, mas o que escreveu não deu para entender. E ainda no final do texto você fecha com os nomes de Cunha e Cabral. Cara… realmente dá sofrimento, sofrimento de ler comentários como o seu.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome