Crônica de assassinatos concedidos, por Rui Daher

A nova preparação será a PEC de segunda instância, ficha suja, opiniões escrotas e canalhas (vão me processar? Doriana já o fez). Tudo, será contraposto às admirações e convites planetários.

Crônica de assassinatos concedidos, por Rui Daher

Este texto vai para Chico Buarque e seu novo livro, a memória de Marielle Franco, assassinada por um clã carioca, e Mano Brown. Aquele abraço!

Cacete! O rabo do Evo ardendo e queriam o quê? Chegaram a pensar o que vinha aos ouvidos do índio boliviano, entre palavras, sussurros, ameaças veladas ou não? Como estariam agindo vermífugos interesses norte-americanos, bolsonaristas brasileiros, porteiros de condomínios milicianos. Ele corria perigo de vida. Foi safo e sábio. No México, mais perto dos EUA, poderá, quem sabe, reeditar o “Rato que Ruge”, saga cinematográfica com Peter Sellers, dirigido por Jack Arnold, em 1959, por acaso mesmo ano da Revolução Cubana.

Passo o altiplano, e aqui chego na Federação de Corporações, protegida por Deus, mas estranhada por Bergoglio?

Lula saiu da prisão que lhe armaram para não se candidatar a presidente. Lá, ficou por 580 dias. Quantos de vocês o fizeram? No longo período, como Mandela, personalidades mundiais, conscientes da desigualdade injusta, em visitas e reverências, mostraram apoio.

O Brasil de vocês, já estão a discuti-lo, na maior parte, para o mal. Bem, nunca fez. Povinho rápido, não, em conclusões, projeções de futuro, sem parar segundos para pensar? Dói? Onde? Sei, mas, educado, não revelo.

A nova preparação será a PEC de segunda instância, ficha suja, opiniões escrotas e canalhas (vão me processar? Doriana já o fez). Tudo, será contraposto às admirações e convites planetários.

Discursos muito agressivos para os da ‘Vigília’ e em São Bernardo? Como deveria ser? Paz e amor? RIP pede que Moro aja. O marreco de Maringá, sujo por sua condução parcial. Oh, derramo-me em gargalhadas.

Leia também:  Minhas aventuras no teatro (VII), por Izaías Almada

Quem aí paralisado? Cagões, covardes e, assim, coniventes com o nazifascismo bolsonarista, o neoliberalismo que arrocha a economia e deixa nossa vida para quando a geração atual já estará nos túmulos de cemitérios ou caixinhas com cinzas não lançadas em locais escolhidos.

Ou apenas quem não consegue entender como votaram num bosta para presidente de um país importante?

Não façam ideias erradas sobre mim, mas vamos lá. Ele é preparado para o cargo? A facada (?) o salvou de, ao menos, debater com o criativo Cabo Daciolo? Fosse com com Alckmin e Haddad, imaginem. E vocês pensaram que ele é são? Ainda acham?

Jair Bolsonaro, filhos e séquito são mais primários que qualquer títere africano. Nem tribal é, pois a recolheu em seu condomínio da Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.

Os militares que o sustentam seguem rituais das Forças Armadas, mas sabem que ele é um nada, destituído no justo momento em que ele perder o apoio dos 30% da ignorância nacional. Eles pensam, se reúnem, e cada petecada em Copacabana morrem de rir do presidente-bufão.

Caiam no real! Com seus votos inconscientes, nulos, em branco, anti-PT, vocês destruíram um país de grande futuro. Reconstruam-no.

#ForaMedo. Eles são uns bostas. Eu e muitos já enfrentamos gente pior.

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora