Dieguito, por Rui Daher

Dieguito, és um herói de quem, como muitos de nós, foi ser “gauche na vida”.

Dieguito, por Rui Daher

Estimado Don Diego Armando Maradona,

Sabía que venías al cielo. No tan pronto. Tristeza y catión. Quiero hacerte una invitación. Bergoglio estuve de acuerdo. El pueblo argentino también.

Passo à língua portuguesa. Afinal, somos países próximos e, por mim, nem mesmo no futebol nossa excelência deveria nos rivalizar. Ou sim. Por beleza e habilidade, deveríamos nos amar. Hermanos!

Dieguito, aí no céu, você nas mãos de Deus (ah, aquele gol!), escrevi parvas crônicas, reunidas no fracassado livro “Dominó de Botequim”.

Quando o português Serafim, dono do boteco (bodega), morreu, criei um Conselho Consultivo no céu, para continuar seguindo sua deliciosa saga. O livro não foi traduzido para o espanhol e nem para o aramaico. Aliás, deve ter sido lido por apenas 12 amigos brasileiros.

Mas é passado. Precisamos pensar no futuro. Você aí no céu e eu, por escasso tempo, aqui neste planeta de Videla, Gualtieri, Pinochet e, no Brasil de Jair Bolsonaro, em tudo semelhantes.

Lembro, Dieguito, quando Lula foi preso, você falando: “Estão lhe roubando o cargo de presidente”. Confirmo. Foi assim que entregaram à direita quase toda a América do Sul, para assim continuarem a dominá-la.

Querido, no meu Conselho estão as melhores cabeças das ciências sociais, capitalismo democrático e da cultura popular da América do Sul.

Veja, Pibe de Oro. Darcy Ribeiro, Ariano Suassuna, Walther Moreira Salles, Luís Melodia, Alfredinho ‘Bip Bip’, Beth Carvalho. Não especifico cada um deles. Sei que antenado sabes de quem falo, como saberias se falasse de Borges, Gardel, Le Pera, Scorza, Galeano, Rulfo, Jorge Amado, e tantos de nós que nunca nos ajoelhamos diante de trapaça EUA ou de um Vaticano corrupto e acovardado.

Leia também:  Verás que um filho teu não foge à luta?, por Izaías Almada

Hoje em dia, temos Bergoglio, torcedor do San Lorenzo, como Claudio, dono do sorocabano “Bar do Argentino”, que não é Boca. “Independiente”, mas a favor das causas sociais.

Dieguito, és um herói de quem, como muitos de nós, foi ser “gauche na vida”. Espero que aceite o convite de integrar o nosso Conselho Consultivo. Todos estão ávidos por sua aceitação. Desta vez, não por sua genialidade futebolística, mas pela sua coragem de enfrentar a injustiça social.

Nota: Fidel e Che não perdem uma de nossas apresentações musicais.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

4 comentários

  1. Prezado Rui

    Maradona, foi o gênio transgressor que o mundo precisa, sem eles nao há graça! Como Mozart, será eterno!!!

    Serio, o banqueiro Salles?

    Opa, então quer dizer que sou o 13 leitor do Dominó?

    Abraçao

    Mário Mendonça

  2. Maradona é a Argentina. É o abismo entre Nossos Vizinhos e o Brasil. Maradona foi o que ele quis ser. E não a vontade dos outros. Quem coloca cabresto no tigre?! O cão e o lobo segundo Esopo. Merece todas homenagens esta Lenda do Futebol. Mas outras duas coisas mostram bem o que é o Brasil destes 90 anos. Maradona continua em todos Noticiários, em todos Veículos, em centenas de Matérias. 41 CiDADÃOS TRABALHADORES BRASILEIROS, que agora deve ser 44 ou 45 Mortes, já desapareceram de todos Jornais. Até porque Domingo tem Eleição. E depois das Eleições a tentativa canalha de Prefeitos e Governadores sabotarem a Economia e Política com fechamento comercial e manipulação da sua Liberdade. Ah! O abismo entre o cordeiro dorminhoco que aceita bem o laço e Maradona, quero dizer o tigre?!! Outro aspecto óbvio destes 90 anos de Estado Ditatorial Caudilhista Absolutista Assassino Esquerdopata Fascista e suas Elites é João do Valle. O Brasil que produz seus Gênios mas não os conhecem. O Artista cita a migração nordestina em 1950, ano que o Nazista Gaspar Dutra está devolvendo o Governo para seu parceiro e cúmplice, o Fascista Getúlio Vargas. O Brasil torrando milhões de Dólares em ‘Elefantes Brancos’ para a Copa do Mundo, enquanto a Indústria da Seca, da Miséria, da Corrupção, da Burocracia, do QuintoMundismo corre à solta. A Tragédia Tupiniquim sendo construída e ampliada a partir de 1930 e amplificada em 1950, pelo Nepotismo dos Familiares do Fascista Tancredo Neves, João ‘Jango’ Goulart, Leonel Brizola entre Lacaios e Factóides como Juscelino Kubscheck, Darcy Ribeiro, Trabalhismo e Sindicalismo Pelego, (Itamar e Aécio mais tarde). Está tudo aí na sua Matéria. Colar de Brilhantes para a Rainha enquanto prospera e amplia a Miséria Brasileira. Pobre país rico. O óbvio que dizem não enxergar, como a genialidade João do Vale. Mas de muito fácil explicação.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome