Dilemas de Redação, por Rui Daher

por Rui Daher

No momento, discutimos a conveniência de fechar o BRD, Blog Rui Daher, neste GGN. Assustou-nos o entrevero do último episódio quando o coronel da PM, Jadir, usando de seu cacete amassou o siri do Nestor, que somente hoje teve alta nas Clínicas.

Tudo indica que os proprietários do golpe têm boa memória das técnicas da ditadura e não irão abrandá-las, como pensa ter acontecido o erudito dono da Folha, Otávio Frias Filho. Sem dúvida, na época, a pimenta não ardeu em seus olhos. Em outro lugar, não sei.

Mais do que a luta contra a ditadura, porém, nos desaminam as pouca repercussão e baixa audiência de nossas matérias de escracho e galhofa, oportunas pelo ridículo que os golpistas confirmam a cada dia.

Nossa encruzilhada está entre sermos uns bocós metidos a engraçadinhos, a perda de humor dos brasileiros, ou a qualidade intelectual dos leitores do GGN e de quem aqui escreve, todos bem informados, pesquisadores densos, quase sólidos, e que não se desmancham no ar mesmo quando excedem o consumo de líquidos com teor alcoólico maior de 40%. Leram muito, fazem análises consistentes, têm bom gosto artístico. Por que perder tempo com pretensiosos bufões?

Uma única crítica: brilhantes, se excedem nas análises sobre essa porra de golpe, ficam repetitivos, pois a mim tudo parece tão explícito que nada mais há a elucubrar. Uma Brigitte Bardot em Búzios.

De qualquer forma, num jornal de todos os Brasis, impossível um blog Groucho Marxista ter preferência de leitura sobre covers de Antonio Gramsci.

Logo que o golpe se prenunciou irreversível, o projeto do BRD, um conluio de resistência meu, de Pestana e Nestor foi simples, na levada do viés tragédia e farsa. O golpe civil-militar de 1964 e o parlamentar de 2016, se repetem; a Marcha da Família com Deus pela Liberdade e a meninada digitalizada e incauta nas ruas, em junho de 2013, também. Por que não repetir a farsa de um, infinitamente menor, novo “O Pasquim”?

Leia também:  Consciência negra e seu dia, por Urariano Mota

Perguntados, os remanescentes vivos nos encorajaram, desde que prometêssemos não nos deixar apodrecer, como fizeram os Cassetas depois que o Bussunda se foi. Sobrou um Madureira menor que o Canto do Rio, e os demais viraram atores medíocres da TV Globo.

Durante a semana recebemos várias ameaças de empastelarem o blog. Com seu tino comercial apurado, Pestana lembrou:

– Deixa. Certamente, ganharíamos mais do que escrevendo aqui para não sermos lidos.

– Como assim? E quem botaria as mãos na massa? Já sei, deixariam todo o trabalho pesado este alquebrado Nestor.

– Eu posso cuidar do recheio e o Pestana das vendas.

– Já que vão empastelar, precisamos remeter à política. Sugiro chamarmos a casa de empastelaria.

– Gosto. Boa jogada de marketing. Além do que, para pastelaria, falta-nos um chinês.

– Para lembrar a usurpação que sofremos e rivalizar com as coxinhas, que tal “Empastelaria BRD”?

– Entendi. “Empastelaria Blog Rui Daher”.

– Nada. Mais saborosa: “Empastelaria Bela, Recatada e Do Lar”.

– Saquinhos e guardanapos totalmente brancos, certo?

– Claro. “O pastel que pacificará o País”. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

40 comentários

  1. lindo e histórico.

    a luta não pára – ela só melhora.

    parabéns aos responsáveis.

    eu já aguardo.

     

    “guardanapos totalmente brancos”  

    :¬)

  2. Engano teu. A tua audiência é

    Engano teu. A tua audiência é altíssima, mas quem tem mais saco para comentar qualquer coisa.

    A única vontade é seguir o Che. mas, também, ficou no passado.

    O Brasil como nação acabou.

    A lei não mais vigora. Rasgaram a Constituição com o apoio do STF, o suposto defensor da maldita.

    Os novos governantes implementam um programa com autorização de quem ? De ninguém e quem reclama ? Quase ninguém.

    Roubaram o meu voto e os ladrões espertos se regojizam do malfeito.

    Vá entender esses 54,5 milhões de eleitores. Já deveríamos ter feito o que o Ciro anunciou de público.

    Mas, a pasmaceira é geral.

    Ficamos a esperar  o caos.

    Mas espero, pelo menos, continuar a ler o teu blog, se é que entendi a mensagem.

    • João Jorge,

      o seu relato é o mais preciso possível. Sinto-me da mesma forma, mas acredito que ridicularizá-los é o que nos resta, pois o Che é passado e o Ciro acredito que propõe, mas também não faria o que gostaríamos de fazer. Me alegra muito saber que vc. quer continuar a ler o blog. Abraço.  

  3. Fechar? Parar?

    Fechar? Parar? Permaneçamfirmes pois essa corja que está no comando desse Titanic teimoso chamado Brasil muito farão para nos causar risos e lágrimas, talvez de sangue.

    Fiquem queridos!

  4. Não sei o que dizer…

    Se o Brasil já fechou (e nem mesmo foi pra balanço), qual a importância de um blog a mais ou a menos. Eu também tenho um, anônimo, desconhecido, onde só escrevo para… sai lá, continuar pensando? Façam o que seus sacos mandarem. Obrigado, até aqui. “Boa noite e boa sorte”, senhores!

  5. Fechar?

    Soy Contra!

    Não é por que o blog é pouco lido que deveria fechar/calar-se.

    Afinal, o critério que deveria prevalecer para uma tomada de decisões dessa importância não deve ser o de dólars & cents.

    • Foi mal

      Peço desculpas se meu comentário possa ter dado origem à qualquer interpretação de que o Ruy e seus companheiros estivessem interessados em dinheiro.

      Escrevi muito mal, pois embora quisesse destacar outros critérios além dos da audiência, acabei escrevendo esse infeliz comentário.

      Tá escrito, não posso apagar, só posso me desculpar.

        • Não se desculpe não,

          GalileoGalilei, é que você não imagina os salários estratosféricos que pago aos Nestor e Pestana. Por formarem nome de rua, em São Paulo, se valorizam demais. Daí que mais leitores e mais grana ajudariam a manter os solertes repórteres do BRD.

  6. Protesto!

    Caro Rui, O Boteco do Rui Daher precisa sobreviver. Já não chegam os botecos reais que estão ou fechando ou às moscas? Certo, é uma crise do setor, a primeira a sofrer as consequências, uma temakeria na rua Maria Antonia fechou as portas recentemente. Na Maria Antonia, dá para imaginar? Para seu governo, até a poderosa Ambev está incomodada com a concorrência da igualmente poderosa Heineken. Exemplo: No bar do Ceará, rua Major Sertório, para furar a avassaladora preferência pela Heineken, que baixou para R$ 9, a Ambev derrubou a Original a inimagináveis R$ 7 mangos. É mole?

    É notória e evidente a crise nesse importante segmento econômico, os botecos estão fechando mais cedo, deixando de abrir aos domingos, um horror sem tamanho, desolador, constato isso diariamente, do alto dos meus 46 anos de incessante e ininterrupta militância etílica. Até o portentoso Bar do Alemão foi atingido, conferi sábado passado. Portanto, suplicamos para que o BRD – Boteco do Rui Daher, último baluarte, resista bravamente. No mais, como ficam a valorosa dupla Nestor & Pestana? Na rua da amargura? Precisamos atravessar essa tormenta juntos. Até o Serafim passou por isso, e o Mané Português teve de viver uns tempos em New Jersey (da última vez que estive com ele confidenciou-me que a situação atual só perde para aquela, em que teve de imigrar forçadamente). 

    Não empastelarão o BRD. Às barricadas!

     

    • Fernando,

      Se temos uma crise que resulta em maior concorrência entre os fabricantes de cevadas, mais uma vez devemos agradecer à presidente eleita e deposta pelo golpe. Subamos nosso consumo, pois os botecos também precisam sobreviver, se não pela margem, pelo volume. Já a Ambev e o sequestrado Heineken não me preocupam muito. Pisarem na bola, vou de Galicia, coisa assim.

      E não é que, neste exato momento, o Pestana e o Nestor me deixaram aqui na Redação, cheio de dilemas, e foram a um boteco na Angélica aproveitar o preço da Original? Liguei, convocando-os para uma reunião, e um deles me respondeu: “vai à merda, Rui”. Você acha que assim posso fechar o BRD? Trabalhista na certa! 

      Abração 

      • Comigo você não tem desculpa

        Comigo você não tem desculpa Trabalhista, então, vai à merda, Rui!  Fechar o Botequim? Só se for por cima do meu cadáver, se bem que isso não seria grande problema, se vivo pouco valho. Se tentar, arrombaremos a porta. Poucos frequentadores tem o lado positivo, beberemos mais. Grande abraço.

          • Nada como uma história de amor

            Sem uma Love Story ficam sem  sal os relacionamentos .

            Abração

            LOVE SPEAKS

            I appear like any other person.
            Yet I am infinite in nature.
            I am light.

            Those who know their own nature
            will recognise the light
            that I am.

            Those who have forgotten the light
            will see only a body here,
            only a form,
            hear only words.

            *

            Many feel
            like they do not ‘fit in’.

            Well, let me tell you, friend,
            you are not supposed to feel
            like you ‘fit in’!

            You are infinite light.
            You are pure potential.
            You are invisible
            yet visible as ten thousand worlds.
            You are silence. You are billions of years young.
            You cannot fit in!

            Your inner contentment
            is indestructible.

            You laugh with the birds at sunrise.

            *

            Others complain, become bitter over time,
            jaded, worn, resentful, bored,
            then blame the world for their unhappiness.

            Yet you remain
            as fresh as you ever were.

            You are happy
            because you are not at war.

            And you could care less about fitting in.

            ‘Normality' was too small for you.
            ‘Convention' was suffocating.
            You are happy to be ridiculed.
            You know the joy of freedom.

            *

            I am light.
            And I speak to light.

            I see the light in you.
            And recognise it:

            You are myself.

            And this is love,
            beyond conditions.

            We have known each other
            for ten billion years.

  7. Ajuda

    Gente, é só pedir. Ja estou colaborando com doi meios de midia alternativa. Crédito diretamente na conta. podém contar com a minha ajuda. Não sendo um valor exorbitante, estamos ai.

  8. Eu também….

    Não gostaria de ver seu botequim fechar. Estamos na fase do inicio dos  Golpistas no poder e, pelo jeito, além de lágrimas, teremos tb muitos motivos para boas risadas. A “briga de foice no escuro” entre os dois grandes do golpe vai ser dimaisdaconta!

    FIQUE RUI !

    • Lenita,

      os dois grandes do golpe vão se destroçar. Só uma peninha prá não dizer que eu não falo sério: “a briga de foice no escuro” vai cair de graça em bicos tucanos. Abraço.

  9. É fácil entender a causa desse dilema

    Temos aqui e alhures ótimos pensadores e analistas que postam e comentam sobre

    economia, conjuntura política, sociologia, educação e por aí vai.

    Acontece que existe uma limitação para o aprofunfamento das questões mais sérias.

    Por melhores que sejam os artigos postados ninguem ousa passar do meio da

    montanha. Não se da nome aos bois e não se diz de onde realmente vem as pauladas.

    Observamos que tem um grupo de gente muito bem informada que se faz de bobinha e

    outro que é de bobinhos que se passam por esclarecidos. O resultado é essa pasmaceira.

    O ideal seria se fosse possível proporcinar de vez em quando uma conversa a quatro

    olhos, mais franca e rica de informações, o que não é possívem no espaço de um

    blog público , com uma moderação rígida que tem lado e tem medo.

    Parar com o blog não. Com todas as suas limitações os blogs são preciosos.

    A minha frustação é que tantas vezes gostaria de informar algum ponto de

    vista, o que não é possível por não passar pela moderação.Isso sem considerar

    os blogs que não estão abertos para comentários.

     

     

  10. dilemas….

    A febre dos meios de mídia que possibilitavam a presença dos comentários de seus leitores extinguiram-se até sobrar GGN e seus poucos blogs. Um país acostumado à mordaça. É mais da face de um país limitado que não ouve seu próprio povo. É a face da caricatura democrática em que vivemos. Calados só nos restará ouvir o que nos falam. Abandonados, nos restará o que? Estados Unidos do Brasil? Fala aí, Serra?!  

    • Zé Sérgio, caro

      Conhecer os comentários sobre o que escrevemos é base para o crescimento intelectual.Daí, inclusive, eu sempre tentar responde-los. Abraços  

    • dilemas….

      Se não me fiz entender, o elogio foi rasgado.  Pouquissimos falam sobre o Brasil. E aqueles que entendem do que falam, rarissimas exceções. Só perderemos, se quem enxerga não falar o que está vendo. Abs.

  11. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome