E aí? Como vão os negócios?, por Rui Daher

– E aí? Como vão os negócios?

Não pensem me enganar dizendo que não ouvem tal pergunta com fulminante frequência.

– Mal. A crise pegou todo mundo.

Mais uma vez, desaconselho fingirem que vão sair pela direita, girarão o corpo e me driblarão pela esquerda. Fernando Henrique Cardoso tentou isso e não conseguiu.

– Se eu pudesse, saía do Brasil.

Sim, já foi mantra da direita, direção Miami. Com menor fervor, hoje em dia, ouve-se isso também à esquerda. Num planeta fulminante endireitado não creio eficiente consultar a Decolar. Ainda que o destino indicado fosse Cuba, correriam o risco de uma invasão trumpiana.

Eu sou partidário do “daqui não saio, daqui ninguém me tira”. A não ser que alguém me pagasse bem para escrever de um paraíso fiscal no Caribe sobre a onomástica usada pelos milhares de brasileiros que têm contas bancárias lá. Seria muito mais engraçado que qualquer crônica do “Dominó de Botequim” (Livraria da Vila, por favor).

Daí que vou ficando por aqui mesmo, sabendo de tudo pela manchete de capa da Folha de São Paulo, que mais não preciso, fazendo Andanças Capitais por sertões, litorais, e por esta fantástica cidade de São Paulo, em breve a ser transferida para Interlagos.

Quando das andanças, até o final do dia sou homem sério. Vejam que até botas uso. A calça jeans colada ao corpo e o cinturão de dupla sertaneja ainda não adotei. A preocupação é com as cobras, embora elas sejam muito mais frequentes no escritório de São Paulo. Também mais burras, mais óbvias, fáceis de pisar na cabeça e depois limpar as fezes esmagadas.

Leia também:  Negligência do governo com o meio ambiente prejudica investimentos, por Eugenio Singer

Mas, indefectivelmente, assim escorre o dia entre visitas a fazendeiros, lojas agropecuárias, cooperativas, reuniões, palestras faladas e pouco ouvidas. Aviso: nunca uso PowerPoint. Ele pode encontrar culpados por convicções e não por fatos comprovados. Se é para mentir, melhor só falar.

É quando as perguntas “como vão os negócios” se entrecruzam com as respostas:

– “Mais ou menos … péssimos … vai-se levando … melhorou um pouquinho … sabe que não posso me queixar … uma merda … tive que demitir 10 empregados, só ficou minha sobrinha … para mim, os que ficaram terceirizei, imagina se dá para dar benefícios”.

– Pena, não? Tivemos um período muito bom de, pelo menos, 10 anos.

– Foi isso! Gastamos o que não tínhamos.

– Com quem? Pra você foi bom?

– Bem, quer dizer, não me lembro bem … pelo menos estamos botando para correr os corruptos, aquela canalha do PT.

– Só o PT? 

– É o que leio e ouço do William e da Renata. Gente séria, não?

Á noite, de volta ao hotel, viro o bicho. Entendam como quiserem. Mais simples para quem lê minhas escritas, caminhada de 20 anos, sem que profissão fosse.

Primeira providência, depois das fisiológicas e higiênicas, tirar a AK-47 da mochila e completar a munição. Colocar no frigobar a seringa e a insulina do viver desde 1975. Duro de queda, hein?

Informar-me sobre qual o melhor boteco da cidade – geralmente pontos já conhecidos, onde sou saudado por proprietários, garçons e fregueses constantes.

Leia também:  Deutsche Bank prevê chegada de 'desordem' global por "guerra fria" entre EUA e China

– Como vão os negócios, professor?

– Agora, bem demais.

– O de sempre?

– Claro.

Na volta Irene, a AK-47, ri.  

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

8 comentários

  1. Na verdade os empresários são

    Na verdade os empresários são burros demais. Não sabem a quem servem. Não entendem uma guampa de economia, não entendem uma nada de geopolítica, não conhecem o próprio pais, não conhecem a própria história. São ignorantes completos. Estúpidos e preconceituosos demais para saberem onde estão seus verdadeiros interesses.

    Mas o que você queria de gente que é doutrinada no neoliberalismo, acredita na Globo e é ensinada a acreditar na “virtude do egoísmo” de Ayn Rand?

    Estão se ferrando? Bem feito!

    E mais bem feito ainda para o trabalhador assalariado que, por acreditar na Globo, vai comer o pão que o Diabo amassou!

    Fdm-se!

    • vivem afundados na narcísica

      vivem afundados na narcísica busca pelsa sensação de superioridade, forrageando atrás de qualquer elemento da realidade que possa ser usado grostescamente para gerar uma narrativa do tipo “fiz o certo e não cometo erros”.

      Nada mais eficiente do que isto para gerar uma população facilmente manipulável…

       

      A pergunta é: como você consegue aprender se não consegue se lembrar dos seus erros?

       

      E o bloqueio é emocional – o mesmo do qual os psicopatas não conseguem fugir em 99% dos casos. Este é o ponto: não é um conjunto de conteúdos o aspecto central da dominação, é sim um conjunto de emoções.  

    • vivem afundados na narcísica

      vivem afundados na narcísica busca pelsa sensação de superioridade, forrageando atrás de qualquer elemento da realidade que possa ser usado grostescamente para gerar uma narrativa do tipo “fiz o certo e não cometo erros”.

      Nada mais eficiente do que isto para gerar uma população facilmente manipulável…

       

      A pergunta é: como você consegue aprender se não consegue se lembrar dos seus erros?

       

      E o bloqueio é emocional – o mesmo do qual os psicopatas não conseguem fugir em 99% dos casos. Este é o ponto: não é um conjunto de conteúdos o aspecto central da dominação, é sim um conjunto de emoções.  

  2. Que legal! Onde está  a

    Que legal! Onde está  a sabedoria do PATO ou do seu DONO? Quem não aprende no AMOR, acredito que deva aprender na DOR! Esperemos pra ver o que vai acontecer! O Funcionário Público que apóia a Direita, os Liberais e/ou os Neoliberais, na minha opinião ( posso estar enganado ), são acentuadamente pouco inteligentes, sem querer ofender ninguém, mas em uma análise simples há que perceber que:  os Libeirais; os Neoliberais; os da Direita, sempre tendem a beneficiarem os seus pares capitalistas, sem a contrapartida aos trabalhadores, sejam estatutários ou CLTistas. É isto que estamos percebendo no governo Temer. Vejam, na época do governo do PT, pergunto: “Quem não ganhou dinheiro?”. Mas agora com a desculpa que a conta tem que paga, o governo Temer fará a contenção de gastos dos Estados ( os funcionários públicos – trabalhadores –  e os pobres serão os mais prejudicados ); depois virá a reforma da previdência ( os trabalhadores  serão os únicos prejudicados ) e depois a reforma trabalhista, mexendo na CLT ( só os trabalhadores serão prejudicados ). Ora, na época de VACAS GORDAS TODOS GANHAM; o PAGTO da CONTA só aos TRBALHADORES será IMPUTADO? Acorde povo brasileiro! A e O GLOBO, o ESTADÃO, A FOLHA, a VEJA, a IstoÉ, enfim o PIG e  AZELITES do BRASIL, também a classe FORMADORA DE OPINIÃO (?!?!?!?!?!?!)  que a GLOBO adora e manipula, todos eles só querem PHODHÊ-LOS ( alerta aos trabalhadores e ao povo humilde ), porém  serão também prejudicados pois venderão menos, crescerão menos,  mas não darão o braço a torcer! O Brasil a cada tempo, ou de tempo em tempo, merece uma lição até que, pela dor, aprenda! Bom dia a todos! Que Deus nos abençoe e nos Salve de nos tornarmos trabalhadores escravos, ou seja, sem poder consumir devido ao baixo salário que receberemos, a exemplo do que é o méxico hoje!!!!

  3. Que legal! Onde está  a

    Que legal! Onde está  a sabedoria do PATO ou do seu DONO? Quem não aprende no AMOR, acredito que deva aprender na DOR! Esperemos pra ver o que vai acontecer! O Funcionário Público que apóia a Direita, os Liberais e/ou os Neoliberais, na minha opinião ( posso estar enganado ), são acentuadamente pouco inteligentes, sem querer ofender ninguém, mas em uma análise simples há que perceber que:  os Libeirais; os Neoliberais; os da Direita, sempre tendem a beneficiarem os seus pares capitalistas, sem a contrapartida aos trabalhadores, sejam estatutários ou CLTistas. É isto que estamos percebendo no governo Temer. Vejam, na época do governo do PT, pergunto: “Quem não ganhou dinheiro?”. Mas agora com a desculpa que a conta tem que paga, o governo Temer fará a contenção de gastos dos Estados ( os funcionários públicos – trabalhadores –  e os pobres serão os mais prejudicados ); depois virá a reforma da previdência ( os trabalhadores  serão os únicos prejudicados ) e depois a reforma trabalhista, mexendo na CLT ( só os trabalhadores serão prejudicados ). Ora, na época de VACAS GORDAS TODOS GANHAM; o PAGTO da CONTA só aos TRBALHADORES será IMPUTADO? Acorde povo brasileiro! A e O GLOBO, o ESTADÃO, A FOLHA, a VEJA, a IstoÉ, enfim o PIG e  AZELITES do BRASIL, também a classe FORMADORA DE OPINIÃO (?!?!?!?!?!?!)  que a GLOBO adora e manipula, todos eles só querem PHODHÊ-LOS ( alerta aos trabalhadores e ao povo humilde ), porém  serão também prejudicados pois venderão menos, crescerão menos,  mas não darão o braço a torcer! O Brasil a cada tempo, ou de tempo em tempo, merece uma lição até que, pela dor, aprenda! Bom dia a todos! Que Deus nos abençoe e nos Salve de nos tornarmos trabalhadores escravos, ou seja, sem poder consumir devido ao baixo salário que receberemos, a exemplo do que é o méxico hoje!!!!

  4. Sem um Trilhão de Reais

    GOLPE TIROU R$ 1 TRILHÃO DE CIRCULAÇÃO DO PAÍS (As razões da quebradeira e do desemprego)

    Publicado em dezembro 18, 2016 por Deixe um comentário

    Crise econômica decorrente da crise política, colocada em marcha pela aliança PMDB-PSDB para derrubar a presidente Dilma Rousseff, custou caro ao País; no último ano, cerca de R$ 1 trilhão deixou de circular na economia brasileira, um montante equivalente aos créditos bancários que foram sendo pagos pelos devedores e não retornaram ao mercado na forma de novos empréstimos, bem como à expansão natural do mercado, que não ocorreu; uma queda de 25% em relação ao que deveria estar circulando se a economia estivesse operando em níveis “normais”; volume de crédito bancário que gira na economia hoje é equivalente ao disponível em 2012

    Brasil 247Brasil 247 – Crise econômica decorrente da crise política, colocada em marcha pela aliança PMDB-PSDB para derrubar a presidente Dilma Rousseff, custou caro ao País. No último ano, cerca de R$ 1 trilhão deixou de circular na economia brasileira. O montante equivale aos créditos bancários que foram sendo pagos pelos devedores e não retornaram ao mercado na forma de novos empréstimos, bem como à expansão natural do mercado, que não ocorreu. Uma queda de 25% em relação ao que deveria estar circulando se a economia estivesse operando em níveis “normais”. O volume de crédito bancário que gira na economia hoje é equivalente ao disponível em 2012. Para os especialistas, isso mostra que o Brasil vive uma “crise de crédito” e não sairá da recessão se esse nó não for desatado.

    As informações são do Estado de S.Paulo.

    “O enrosco tem duas pontas. De um lado estão devedores enforcados. Cerca de 22% do orçamento familiar está comprometido com o pagamento de juros de dívidas e praticamente metade das empresas tem geração de caixa inferior às suas despesas financeiras. Ou seja: os tomadores de crédito precisam digerir altas concentrações de dívidas. De outro lado estão os bancos, que já renegociaram débitos, ainda temem o calote e não querem – nem podem – correr o risco de emprestar mais em meio a uma recessão sem prazo para terminar. Trata-se exatamente do que parece ser: um círculo vicioso, que só vai se encerrar com o pagamento das dívidas.

    “O levantamento foi feito pela gestora de recursos Rio Bravo Investimentos, com base nas variações do estoque de crédito monitorado e divulgado pelo Banco Central. O curioso é saber o que motivou o levantamento. O economista da Rio Bravo, Evandro Buccini, ficou incomodado porque os indicadores de confiança na economia permaneciam otimistas, mas os índices sobre a situação atual não melhoravam. E pior: a recessão se aprofundava. “Fomos checar as componentes do nosso modelo, que traça cenários, e nos deparamos com essa queda no crédito. Está explicado: sem crédito, sem dinheiro, a economia não vai mesmo reagir”, diz.

    Segundo Buccini, a partir desse dado, fica mais claro que, apesar de União, Estados e municípios estarem com sérios problemas nas contas públicas, que precisam ser sanados, o fiscal não é cerne da recessão. O que vem corroendo a economia é o que a literatura econômica chama de “credit crunch”, crise de crédito. No caso do Brasil, originada e realimentada pela explosão das dívidas.”

     

    • Inflação

      Se o dinheiro foi recolhido e não voltou ao mercado existe Deflação ou como preferem hoje, desinflação, o que é verdade, com os preços no atacado caindo vertiginosamente.

      Por outro lado, abre espaço para a emissão e  colocação de crédito não inflacionário novo, pois existe espaço monetário para isto. 

      O Temer não faz porque não quer, é um covarde.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome